Festas Felizes e um excelente 2014

18 de dezembro de 2013 · 6 comentários




DESEJO QUE 2014 SORRIA A TODOS NÓS.

Muito obrigado pela sua Presença.

Este blogue entra em 'modo' descanso
desde hoje, 18 Dezembro até 1 Janeiro 2014.


.

Manhattan, em NY, desenvolvimento urbanístico desde 1850

17 de dezembro de 2013 ·

A paisagem citadina mais conhecida em todo o mundo




 Chrysler Building


Edifício Conde Nast
Empire State Building


Edifício GE no Rockefeller Center

Manhattan em 2013
.

Planeta Oriental no mapa natal. Que é?

12 de dezembro de 2013 · 4 comentários


Veja bem a ilustração que anexo para perceber no mapa onde está o planeta oriental.

Há dois conceitos dominantes sobre como encontrarmos o planeta oriental no nosso mapa natal.

1) Os astrólogos mais tradicionais dizem-nos que já Ptolomeu (no seu 'Tetrabiblos') afirmava que o planeta oriental no nosso mapa natal é o primeiro que ou nascia ou se punha 'antes' do Sol. Por outras palavras, o planeta que se encontrar em longitude celeste, (na ordem zodiacal) inferior ao Sol será oriental.

2) Na visão de astrólogos mais modernos, a ideia é que o primeiro planeta que encontrarmos num mapa natal, após o ascendente, é o planeta oriental, a que se atribui grande importância na vida da pessoa.

Há quem pense assim: «A grosso modo, um planeta está oriental se ele estiver atrás do Sol (em graus zodiacais) e suficientemente distante para não ser queimado pelo luminar.» - por Rodolfo Veronese

A interpretação - a qualidade de um planeta oriental:

Segundo Celisa Beranger: «Se o Planeta Oriental no mapa natal corresponde ao último planeta tocado pelo Sol, logo é como se este carregasse consigo algo daquela marca. Assim, é um indicador importantíssimo das questões que estão em primeiro plano para a pessoa, a sua auto-expressão, a suas motivações. É inegável que quanto mais próximo do Sol se encontrar o planeta oriental mais premente será sua expressão no conjunto da personalidade e claro, ainda mais se estiver numa orbe de conjunção com o Sol.»

Segundo Elói Dumón, que chama o Planeta Oriental de 'Planeta Explorador' diz-nos: «Tem um especial significado na interpretação astrológica porque modifica e qualifica o potencial criativo do Sol, e os assuntos regidos pelo planeta representam experiências importantes que tomam a frente da vida e que devem ser tratados de forma eficaz para que então o indivíduo possa expressar-se livremente, tomar decisões ou usar a força potencial de seu Sol.»

Noel Tyl, no que corresponde à Astrologia Vocacional afirma que «o planeta oriental é fundamental porque nos fornece informações a respeito das habilidades e talentos mais espontâneos do indivíduo. Excepto no caso de Mercúrio ou Vénus que pela sua proximidade com o Sol têm a maior probabilidade de estarem nessa condição.»

Rodolfo Veronese: «Algumas palavras-chave pipocam a minha mente quando penso nesse conceito: prontidão, agilidade, força, eficácia, juventude.» 

UPDATE EM 13-12-2013

Caros leitores e, sobretudo, estudantes de astrologia.

Li todos os comentários e mensagens privadas que recebi sobre on tema PLANETA ORIENTAL. Por perceber alguma desorientação e como não conheço os vossos mapas natais, fui reler o meu próprio texto para ter chegado a estas conclusões:

1) Que aquilo que escrevi é para alunos muito, mas muito avançados de astrologia. Lamento ter-me equivocado no «target» dos leitores potenciais.

2) Esses leitores potenciais sabem astrologia com alguma moderação e, portanto, facilmente têm dificuldade em saber «pequenos nadas» de astrologia avançada, ficando empanados nos seus conceitos e respostas.

3) É minha convicção pessoal que, devido à velocidade atroz das redes sociais, muitas e muitas pessoas, nem lêm tudo com atenção, nem escutam ou olham [caso de som ou áudio] com atenção o que está à frente. Esta minha afirmação deve-se a ter quase 2.000 textos escritos por mim quer no meu blogue «Cova do Urso», quer no meu site «Escola de Astrologia Nova-Lis» e ler todos os comentários que deixam, sobretudo aqui no Facebook. Eu próprio, muitas vezes cometo os mesmos erros.

Tudo isto para dar estas DICAS sobre o texto dos 'planetas orientais':

1ª DICA - No texto diz-se assim: «o planeta oriental no nosso mapa natal é o primeiro que nascia 'antes' do Sol. Por outras palavras, o planeta que se encontrar em longitude celeste, [leia-se 'Ascendente'] (na ordem zodiacal) inferior ao Sol será oriental. No mapa natal, onde é que o Sol nasce no dia e local do nossos nascimento? É SEMPRE NO ASCENDENTE. Independentemente do local [Signo + Casa] onde o Sol natal se encontre.

2ª DICA - Portanto, com excepção de Mercúrio e Vénus, o planeta oriental é sempre o primeiro que está entre as Casas 12 e 10, como a ilustração mostra. É o 1º planeta a receber os raios do Sol.

3ª DICA - Os astrólogos modernos o que fizeram foi 'descomplicar' a narrativa e afirmam que o o primeiro planeta que encontrarmos num mapa natal, após o ascendente, é o planeta oriental, a que se atribui grande importância na vida da pessoa. Excepto Mercúrio e Vénus, que devido à sua proximidade com o Sol podem estar ou não combustos.

Muito agradecido. Passem bem.




.

Parabéns a mim mesmo: são 2 anos sem fumar

5 de dezembro de 2013 · 2 comentários




Parabéns a mim mesmo: são 2 anos sem fumar.
Mais feliz, assim.




.

Mercúrio ingressa dia 5 Dezembro 2013 em Sagitário, às 2h42:14, duas horas menos no Brasil

4 de dezembro de 2013 · 6 comentários


Mercúrio ingressa dia 5 Dezembro 2013 em Sagitário, às 2h42:14, duas horas menos no Brasil

Este é um trânsito que aprecio muito. Neste pequeno texto explico a razão.

Quando Mercúrio transita no signo de Sagitário [ou está no mapa natal das pessoas] indica uma mente interessada com todas as codificações do pensamento social, seja na forma de espiritualidade, religião, filosofia, direito ou outros estudos relacionados com a educação superior. Mercúrio em Sagitário apesar de estar no signo de seu detrimento, pode manifestar-se numa maior preocupação pelas atitudes do que pelos factos. As pessoas do 2º nível de Sagitário, regra geral ultrapassam bem este assunto.

O resultado muitas vezes é construtivo, proporcionando um 'insight' da motivação social e dos acontecimentos subsequentes. Entretanto, as pessoas podem não perceber a verdade se não prestarem suficiente atenção à informação factual detalhada, base de todo pensamento lógico. Quero lembrar que Sagitário está em oposição a Gémeos e em quadratura com Virgem, os signos regidos por Mercúrio.

As pessoas neste trânsito ou com essa posição podem ter um 'insight' profético, porque a sua preocupação com as atitudes lhes permite compreender as informações que serão importantes pela opinião pública. Isso conduz à revelação do destino colectivo e do carma. Não pretendo abusar da informação, mas as pessoas com talentos mediúnicos ou telepáticos, desde que bem trabalhadas a nível espiritual, podem receber muita informação positiva vinda do Alto.

Sentiremos que haverá, na generalidade do trânsito, um discurso directo e veremos que as pessoas dirão exactamente aquilo que pensam; exigem liberdade intelectual, mas dependendo dos aspectos que este Mercúrio faça no mapa natal, as ideias raramente divergem dos conceitos tradicionais ou da moral social vigente. É pouco para os tempos que correm.

As pessoas com este posicionamento no mapa natal, geralmente são respeitadas na comunidade. Mas se o conformismo social for levado muito longe, pode conduzir à hipocrisia, pois os seus padrões morais talvez não sejam melhores do que as normas socialmente aceites. Elas precisam perceber que uma atitude não está necessariamente correcta simplesmente porque é popular ou dominante.

É aqui que entra a minha «batalha pessoal»: tentar que as pessoas percebam que acreditando nessa espiritualidade que tanto se fala hoje em dia, não têm necessariamente que serem todas «terapeutas». Ainda há uns dias eu dizia a alguém: de repente, parece-me não haver «clientes» ou «alunos» [use os nomes que entender] suficientes para tantos terapeutas e 'mestrinhos' lindinhos e lindinhas, que a maioria anda confusa com o que lhe está a ocorrer na vida. Este trânsito vem abanar muito TODA a gente. 

Sabemos que neste trânsito ou com o posicionamento natal, as pessoas vão desejar ingressar em instituições públicas de aprendizado superior ou de controlo social, como universidade, igrejas e governo. Com o país Portugal de rastos e a Europa a desafinar, a tendência será um aumento da frustração colectiva. É uma egrégora difícil de vivenciar. Oxalá fiquem todos em paz interna e pessoal.

O objectivo dos mais desalinhados será obter autoridade intelectual e 'status', embora o preço possa ser a submissão a instituições corruptas e estagnadas. Gostam de se considerar exemplos da verdade; porém, se o são ou não, isso depende dos aspectos formados com Mercúrio. Eles podem tender a pregar sermões moralistas sobre coisas óbvias, e se tornarem pedantes. Pode existir uma preocupação com metas distantes, ideais elevados, que pode levar as pessoas a não perceberem o que está sob os seus narizes. A regência de Júpiter pode resultar em tendências à desatenção geral.

Passem todos muito bem.
4 Dezembro 2013


.

Sobre a depressão e uma visão astrológica

3 de dezembro de 2013 · 2 comentários

Minha terra, ilha de Moçambique,
foto do conterrâneo sr. Júlio Neto, em 2013

METAFÍSICA DA SAÚDE - Sabendo-se que todas as questões de saúde, chegam vindas de cima, do corpo emocional, passando pelo corpo mental e, finalmente, atingindo o corpo físico, lembrei-me de focar aqui a questão das depressões, a nível da metafísica da saúde e para isso, consultei o excelente livro “O Teu Corpo Ama-te” de Lise Bourbeau [Editora Pergaminho, Portugal, página 133]. Vale a pena ir a uma Fnac [Portugal ou Brasil], procurar o livro e sentar-se comodamente no chão e ler o texto completo.

Por enquanto, deixo uma parte que reproduzi do livro:

Por Lise Bourbeau: “A depressão é o meio utilizado por uma pessoa para não ter de viver a pressão, sobretudo afectiva. Não pode mais, atingiu o limite. Segundo as minhas observações ao longo de vários anos, a pessoa com tendências depressivas tem conflitos regulares com o progenitor do sexo oposto. É o que explica que, com muita frequência, a pessoa em depressão vá pegar-se com o cônjuge sobre quem realiza a transferência. O que a pessoa faz viver ao cônjuge é o que teria querido fazer viver a esse progenitor, mas conteve-se. Ao recusar ajuda, continua a alimentar o rancor e o ódio que vive face a esse progenitor e afunda-se na sua dor.

Quanto mais grave é o estado depressivo, mais a dor foi vivida fortemente em jovem. As feridas podem ser as seguintes: rejeição, abandono, humilhação, traição ou injustiça. Para ter causado tal desequilíbrio mental, como a depressão ou a psicose maníaco-depressiva, foi preciso a dor ter sido vivida no isolamento. Em jovem, esta pessoa não tinha com quem falar e fazer compreender as suas perguntas e angústias. Não aprendeu, pois, a confiar nos outros; bloqueou os seus desejos e recolheu-se finalmente em si mesma, desenvolvendo rancor ou ódio.”

[Fim de citação.]

Apenas tentando recordar que, entre outros aspectos astrológicos, uma Lua em Caranguejo/Câncer, na Casa 4, deve ser motivo suficiente para se parar e tentar perceber bem as questões com a mãe, com as mulheres, com o pensamento feminino. E ver com atenção que aspectos faz essa Lua a Saturno, Quíron e Vénus. Muito haveria a dizer sobre estes posicionamentos.

Vou aproveitar a oportunidade para transcrever, de alguns autores, o que eles pensam sobre a oposição Lua – Vénus.

Marion D. March e Joan McEvers: “Esses aspectos muitas vezes revelam sofrimento nos afectos ou negligência para com eles. Seus pais fazem objecções a seu parceiro, ou você vivência a falta de harmonia doméstica. Você é instável, crédulo e tolerante em excesso. Muitas vezes sente um forte impulso para se pôr em evidência, como compensação por seu sentimento de inferioridade. No mapa de uma mulher, pode haver má saúde periódica e/ou divórcio.” –[“Curso Básico de Astrologia – Vol. 1 – Princípios Fundamentais”, Editora Pensamento, Brasil]

Luís Resina: “Este aspecto indica que você é uma pessoa emocionalmente sensível; no entanto, carece do elemento protector e estável para exprimir as suas necessidades afectivas de uma forma harmoniosa e equilibrada. As diferenças de valores e a instabilidade de sentimentos na sua relação com a mãe ou com a família contribuíram para a formação de certas inseguranças pessoais. Procure um diálogo aberto e franco nas suas relações afectivas, de modo a evitar possíveis dependências neste domínio.” [“Guia de Interpretação Astrológica”, Editorial Pergaminho, Portugal]

Isabel M. Hickey: Com tradução minha – “Há uma oposição que actua através de outras pessoas e consideram como um aspecto negativo. Pode ser superada, comprometendo-se e cooperando. Deve-se escolher esta atitude. Por esta razão uma oposição é mais fácil de operar que uma quadratura. É frequente encontrarem-se casos de perda da mãe, por separação física ou psicológica. As condições monetárias podem causar dificuldades, se não houver um cuidadoso e prudente manejo das finanças. Deve-se superar a sensação subconsciente de não se ser amado, tornando-se uma pessoa mais amável e querida.” [“Astrology: A Cosmic Science: The Classic Work on Spiritual Astrology”, CRCS Publications, EUA]

Somos demasiadas vozes a insistirmos no mesmo. Não é de ânimo leve que estas coisas são escritas e afirmadas.


.

18 de dezembro de 2013

Festas Felizes e um excelente 2014




DESEJO QUE 2014 SORRIA A TODOS NÓS.

Muito obrigado pela sua Presença.

Este blogue entra em 'modo' descanso
desde hoje, 18 Dezembro até 1 Janeiro 2014.


.

17 de dezembro de 2013

Manhattan, em NY, desenvolvimento urbanístico desde 1850

A paisagem citadina mais conhecida em todo o mundo




 Chrysler Building


Edifício Conde Nast
Empire State Building


Edifício GE no Rockefeller Center

Manhattan em 2013
.

12 de dezembro de 2013

Planeta Oriental no mapa natal. Que é?


Veja bem a ilustração que anexo para perceber no mapa onde está o planeta oriental.

Há dois conceitos dominantes sobre como encontrarmos o planeta oriental no nosso mapa natal.

1) Os astrólogos mais tradicionais dizem-nos que já Ptolomeu (no seu 'Tetrabiblos') afirmava que o planeta oriental no nosso mapa natal é o primeiro que ou nascia ou se punha 'antes' do Sol. Por outras palavras, o planeta que se encontrar em longitude celeste, (na ordem zodiacal) inferior ao Sol será oriental.

2) Na visão de astrólogos mais modernos, a ideia é que o primeiro planeta que encontrarmos num mapa natal, após o ascendente, é o planeta oriental, a que se atribui grande importância na vida da pessoa.

Há quem pense assim: «A grosso modo, um planeta está oriental se ele estiver atrás do Sol (em graus zodiacais) e suficientemente distante para não ser queimado pelo luminar.» - por Rodolfo Veronese

A interpretação - a qualidade de um planeta oriental:

Segundo Celisa Beranger: «Se o Planeta Oriental no mapa natal corresponde ao último planeta tocado pelo Sol, logo é como se este carregasse consigo algo daquela marca. Assim, é um indicador importantíssimo das questões que estão em primeiro plano para a pessoa, a sua auto-expressão, a suas motivações. É inegável que quanto mais próximo do Sol se encontrar o planeta oriental mais premente será sua expressão no conjunto da personalidade e claro, ainda mais se estiver numa orbe de conjunção com o Sol.»

Segundo Elói Dumón, que chama o Planeta Oriental de 'Planeta Explorador' diz-nos: «Tem um especial significado na interpretação astrológica porque modifica e qualifica o potencial criativo do Sol, e os assuntos regidos pelo planeta representam experiências importantes que tomam a frente da vida e que devem ser tratados de forma eficaz para que então o indivíduo possa expressar-se livremente, tomar decisões ou usar a força potencial de seu Sol.»

Noel Tyl, no que corresponde à Astrologia Vocacional afirma que «o planeta oriental é fundamental porque nos fornece informações a respeito das habilidades e talentos mais espontâneos do indivíduo. Excepto no caso de Mercúrio ou Vénus que pela sua proximidade com o Sol têm a maior probabilidade de estarem nessa condição.»

Rodolfo Veronese: «Algumas palavras-chave pipocam a minha mente quando penso nesse conceito: prontidão, agilidade, força, eficácia, juventude.» 

UPDATE EM 13-12-2013

Caros leitores e, sobretudo, estudantes de astrologia.

Li todos os comentários e mensagens privadas que recebi sobre on tema PLANETA ORIENTAL. Por perceber alguma desorientação e como não conheço os vossos mapas natais, fui reler o meu próprio texto para ter chegado a estas conclusões:

1) Que aquilo que escrevi é para alunos muito, mas muito avançados de astrologia. Lamento ter-me equivocado no «target» dos leitores potenciais.

2) Esses leitores potenciais sabem astrologia com alguma moderação e, portanto, facilmente têm dificuldade em saber «pequenos nadas» de astrologia avançada, ficando empanados nos seus conceitos e respostas.

3) É minha convicção pessoal que, devido à velocidade atroz das redes sociais, muitas e muitas pessoas, nem lêm tudo com atenção, nem escutam ou olham [caso de som ou áudio] com atenção o que está à frente. Esta minha afirmação deve-se a ter quase 2.000 textos escritos por mim quer no meu blogue «Cova do Urso», quer no meu site «Escola de Astrologia Nova-Lis» e ler todos os comentários que deixam, sobretudo aqui no Facebook. Eu próprio, muitas vezes cometo os mesmos erros.

Tudo isto para dar estas DICAS sobre o texto dos 'planetas orientais':

1ª DICA - No texto diz-se assim: «o planeta oriental no nosso mapa natal é o primeiro que nascia 'antes' do Sol. Por outras palavras, o planeta que se encontrar em longitude celeste, [leia-se 'Ascendente'] (na ordem zodiacal) inferior ao Sol será oriental. No mapa natal, onde é que o Sol nasce no dia e local do nossos nascimento? É SEMPRE NO ASCENDENTE. Independentemente do local [Signo + Casa] onde o Sol natal se encontre.

2ª DICA - Portanto, com excepção de Mercúrio e Vénus, o planeta oriental é sempre o primeiro que está entre as Casas 12 e 10, como a ilustração mostra. É o 1º planeta a receber os raios do Sol.

3ª DICA - Os astrólogos modernos o que fizeram foi 'descomplicar' a narrativa e afirmam que o o primeiro planeta que encontrarmos num mapa natal, após o ascendente, é o planeta oriental, a que se atribui grande importância na vida da pessoa. Excepto Mercúrio e Vénus, que devido à sua proximidade com o Sol podem estar ou não combustos.

Muito agradecido. Passem bem.




.

4 de dezembro de 2013

Mercúrio ingressa dia 5 Dezembro 2013 em Sagitário, às 2h42:14, duas horas menos no Brasil


Mercúrio ingressa dia 5 Dezembro 2013 em Sagitário, às 2h42:14, duas horas menos no Brasil

Este é um trânsito que aprecio muito. Neste pequeno texto explico a razão.

Quando Mercúrio transita no signo de Sagitário [ou está no mapa natal das pessoas] indica uma mente interessada com todas as codificações do pensamento social, seja na forma de espiritualidade, religião, filosofia, direito ou outros estudos relacionados com a educação superior. Mercúrio em Sagitário apesar de estar no signo de seu detrimento, pode manifestar-se numa maior preocupação pelas atitudes do que pelos factos. As pessoas do 2º nível de Sagitário, regra geral ultrapassam bem este assunto.

O resultado muitas vezes é construtivo, proporcionando um 'insight' da motivação social e dos acontecimentos subsequentes. Entretanto, as pessoas podem não perceber a verdade se não prestarem suficiente atenção à informação factual detalhada, base de todo pensamento lógico. Quero lembrar que Sagitário está em oposição a Gémeos e em quadratura com Virgem, os signos regidos por Mercúrio.

As pessoas neste trânsito ou com essa posição podem ter um 'insight' profético, porque a sua preocupação com as atitudes lhes permite compreender as informações que serão importantes pela opinião pública. Isso conduz à revelação do destino colectivo e do carma. Não pretendo abusar da informação, mas as pessoas com talentos mediúnicos ou telepáticos, desde que bem trabalhadas a nível espiritual, podem receber muita informação positiva vinda do Alto.

Sentiremos que haverá, na generalidade do trânsito, um discurso directo e veremos que as pessoas dirão exactamente aquilo que pensam; exigem liberdade intelectual, mas dependendo dos aspectos que este Mercúrio faça no mapa natal, as ideias raramente divergem dos conceitos tradicionais ou da moral social vigente. É pouco para os tempos que correm.

As pessoas com este posicionamento no mapa natal, geralmente são respeitadas na comunidade. Mas se o conformismo social for levado muito longe, pode conduzir à hipocrisia, pois os seus padrões morais talvez não sejam melhores do que as normas socialmente aceites. Elas precisam perceber que uma atitude não está necessariamente correcta simplesmente porque é popular ou dominante.

É aqui que entra a minha «batalha pessoal»: tentar que as pessoas percebam que acreditando nessa espiritualidade que tanto se fala hoje em dia, não têm necessariamente que serem todas «terapeutas». Ainda há uns dias eu dizia a alguém: de repente, parece-me não haver «clientes» ou «alunos» [use os nomes que entender] suficientes para tantos terapeutas e 'mestrinhos' lindinhos e lindinhas, que a maioria anda confusa com o que lhe está a ocorrer na vida. Este trânsito vem abanar muito TODA a gente. 

Sabemos que neste trânsito ou com o posicionamento natal, as pessoas vão desejar ingressar em instituições públicas de aprendizado superior ou de controlo social, como universidade, igrejas e governo. Com o país Portugal de rastos e a Europa a desafinar, a tendência será um aumento da frustração colectiva. É uma egrégora difícil de vivenciar. Oxalá fiquem todos em paz interna e pessoal.

O objectivo dos mais desalinhados será obter autoridade intelectual e 'status', embora o preço possa ser a submissão a instituições corruptas e estagnadas. Gostam de se considerar exemplos da verdade; porém, se o são ou não, isso depende dos aspectos formados com Mercúrio. Eles podem tender a pregar sermões moralistas sobre coisas óbvias, e se tornarem pedantes. Pode existir uma preocupação com metas distantes, ideais elevados, que pode levar as pessoas a não perceberem o que está sob os seus narizes. A regência de Júpiter pode resultar em tendências à desatenção geral.

Passem todos muito bem.
4 Dezembro 2013


.

3 de dezembro de 2013

Sobre a depressão e uma visão astrológica

Minha terra, ilha de Moçambique,
foto do conterrâneo sr. Júlio Neto, em 2013

METAFÍSICA DA SAÚDE - Sabendo-se que todas as questões de saúde, chegam vindas de cima, do corpo emocional, passando pelo corpo mental e, finalmente, atingindo o corpo físico, lembrei-me de focar aqui a questão das depressões, a nível da metafísica da saúde e para isso, consultei o excelente livro “O Teu Corpo Ama-te” de Lise Bourbeau [Editora Pergaminho, Portugal, página 133]. Vale a pena ir a uma Fnac [Portugal ou Brasil], procurar o livro e sentar-se comodamente no chão e ler o texto completo.

Por enquanto, deixo uma parte que reproduzi do livro:

Por Lise Bourbeau: “A depressão é o meio utilizado por uma pessoa para não ter de viver a pressão, sobretudo afectiva. Não pode mais, atingiu o limite. Segundo as minhas observações ao longo de vários anos, a pessoa com tendências depressivas tem conflitos regulares com o progenitor do sexo oposto. É o que explica que, com muita frequência, a pessoa em depressão vá pegar-se com o cônjuge sobre quem realiza a transferência. O que a pessoa faz viver ao cônjuge é o que teria querido fazer viver a esse progenitor, mas conteve-se. Ao recusar ajuda, continua a alimentar o rancor e o ódio que vive face a esse progenitor e afunda-se na sua dor.

Quanto mais grave é o estado depressivo, mais a dor foi vivida fortemente em jovem. As feridas podem ser as seguintes: rejeição, abandono, humilhação, traição ou injustiça. Para ter causado tal desequilíbrio mental, como a depressão ou a psicose maníaco-depressiva, foi preciso a dor ter sido vivida no isolamento. Em jovem, esta pessoa não tinha com quem falar e fazer compreender as suas perguntas e angústias. Não aprendeu, pois, a confiar nos outros; bloqueou os seus desejos e recolheu-se finalmente em si mesma, desenvolvendo rancor ou ódio.”

[Fim de citação.]

Apenas tentando recordar que, entre outros aspectos astrológicos, uma Lua em Caranguejo/Câncer, na Casa 4, deve ser motivo suficiente para se parar e tentar perceber bem as questões com a mãe, com as mulheres, com o pensamento feminino. E ver com atenção que aspectos faz essa Lua a Saturno, Quíron e Vénus. Muito haveria a dizer sobre estes posicionamentos.

Vou aproveitar a oportunidade para transcrever, de alguns autores, o que eles pensam sobre a oposição Lua – Vénus.

Marion D. March e Joan McEvers: “Esses aspectos muitas vezes revelam sofrimento nos afectos ou negligência para com eles. Seus pais fazem objecções a seu parceiro, ou você vivência a falta de harmonia doméstica. Você é instável, crédulo e tolerante em excesso. Muitas vezes sente um forte impulso para se pôr em evidência, como compensação por seu sentimento de inferioridade. No mapa de uma mulher, pode haver má saúde periódica e/ou divórcio.” –[“Curso Básico de Astrologia – Vol. 1 – Princípios Fundamentais”, Editora Pensamento, Brasil]

Luís Resina: “Este aspecto indica que você é uma pessoa emocionalmente sensível; no entanto, carece do elemento protector e estável para exprimir as suas necessidades afectivas de uma forma harmoniosa e equilibrada. As diferenças de valores e a instabilidade de sentimentos na sua relação com a mãe ou com a família contribuíram para a formação de certas inseguranças pessoais. Procure um diálogo aberto e franco nas suas relações afectivas, de modo a evitar possíveis dependências neste domínio.” [“Guia de Interpretação Astrológica”, Editorial Pergaminho, Portugal]

Isabel M. Hickey: Com tradução minha – “Há uma oposição que actua através de outras pessoas e consideram como um aspecto negativo. Pode ser superada, comprometendo-se e cooperando. Deve-se escolher esta atitude. Por esta razão uma oposição é mais fácil de operar que uma quadratura. É frequente encontrarem-se casos de perda da mãe, por separação física ou psicológica. As condições monetárias podem causar dificuldades, se não houver um cuidadoso e prudente manejo das finanças. Deve-se superar a sensação subconsciente de não se ser amado, tornando-se uma pessoa mais amável e querida.” [“Astrology: A Cosmic Science: The Classic Work on Spiritual Astrology”, CRCS Publications, EUA]

Somos demasiadas vozes a insistirmos no mesmo. Não é de ânimo leve que estas coisas são escritas e afirmadas.


.

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates