O «Dedo de Deus» [ou Yod] de 21-12-2012: Que espiritualidade praticavas em 1989? E hoje?

10 de dezembro de 2012 ·


«O Yod requer uma renúncia ao passado
para ingressar em uma nova fase na vida»

Elói Dumón
In 'Manual de Astrologia Moderna'


Basicamente, deixo aqui estas duas perguntas:

Que espiritualidade praticavas em 1989?
E hoje, em 2012?

Consegues responder para ti mesmo(a)?

Se responderes «nenhuma», continua a ser excelente,
pois cada ser humano evolui ao seu próprio ritmo.

Faz-se necessária esta explicação: Para os mais novos não faz sentido falarmos em 1989, pois muitos nasceram depois, ou eram crianças ou adolescentes nessa data. Fica entendido que, para esse grupo de pessoas, o ano de 1989 não é uma baliza rígida. No entanto, a pergunta pode ser feita na mesma a estas pessoas mais jovens, transformando-a nesta «quando e como iniciaste a tua prática espiritual?». O mesmo aconteceu com muitos adultos que foram sendo «despertos» em anos posteriores a esse 1989. Para todos os outros, que somos muitos, a pergunta é pertinente e mantém-se: «Que espiritualidade praticavas em 1989?».

Porque pergunto isto?

Porque este texto trata, sobretudo, das configurações astrológicas chamadas 'yod' ou 'Dedo de Deus'. Como a configuração deste ano de 2012 envolve Júpiter, Saturno e Plutão, interessava-me saber em que ano é que tinha havido outro Yod com estes mesmos 3 planetas. Foi em 1989. Sabendo eu o significado geral desse ano, dentro de mim, soou uma campainha e julgo ter entendido a ligação entre os dois Yod. O de 1989 e o de 2012. Explico-me:

Não vou deixar para o fim a síntese deste texto. Fica já aqui. Em ambos os anos o que esteve presente foi sempre estas duas ocorrências:

1) A subida da consciência colectiva desta nossa humanidade.

2) Um salto quântico a nível de entrada das pessoas nos caminhos espirituais. Quer colectivos, quer individuais.

Foi por isso que iniciei o texto com aquelas duas perguntas:

Que espiritualidade praticavas em 1989?
E hoje, em 2012?

Consegues responder para ti mesmo(a)?




Em Portugal, os mais crescidos sabem que se brinca muito com esta pergunta: «Onde estavas no 25 de Abril?» Como sabem, o '25 de Abril' é data da revolução portuguesa, em que a ditadura fascista foi deitada abaixo e iniciámos a era da democracia. Para os portugueses e para o mundo, também foi um salto quântico da humanidade.

Por isso, eu ter feito a analogia e surgirem as perguntas:

Que espiritualidade praticavas em 1989?
E hoje, em 2012?

Obviamente, não pretendo que me respondas, pois não tenho nada a ver com isso.

Gostaria de deixar uma imagem que pudesse dar uma certa ideia 
sobre o que sinto destes dois YOD's.

Imagine que vai a conduzir um carro, com uma certa rapidez,
e que mudou a manete da 3ª para a 4ª, aumentando a velocidade. Isto em 1989.
E, este ano de 2012, voltou a mudar da 4ª para a 5ª, aumentando
ainda mais a velocidade da viatura.

Imagine o carro como sendo o planeta Terra com a sua humanidade
[mais de 7 biliões de pessoas] dentro do veículo.
Em 1989 houve uma mudança de velocidade e deu-se um salto quântico.
E, agora, em 2012, houve nova mudança de velocidade e
novo salto quântico, que está a acontecer, e nem é preciso esperar pelo 21-12-2012.
As manetes são estes dois YOD, que apontam
para uma direcção em concreto.

Acha mesmo que é necessário descrever as ocorrências dos anos 80, 90 e 2000?
Lembra-se em que década Kryon começou a canalizar? Tire as suas conclusões.
Sabe em que década foi publicado o livro «Conversas com Deus»?
Servem-lhe estes dois indicadores de uma mudança na humanidade?
Para mim, foram saltos quânticos que apanharam milhões de pessoas de cada vez.

E porquê estas mudanças de velocidades?
Qual é o nosso destino?

Simples: cumprir o Plano Maior. O Plano Divino.
Ninguém escapa. Por muitas birrinhas que façam.

Se quiserem saber qual é o Plano Divino, ou melhor, o que eu penso
que seja o Plano Divino, tentei explicar  isso, aqui,
aos falar dos trígonos de 2013.


Porque as coisas são como são, vou responder publicamente às minhas próprias perguntas, apesar de eu não ser o melhor exemplo. Em finais de 1988, tinha eu 39 anos e o universo conspirou para eu dar por terminada a minha experiência de emigrante e fez-me regressar a Portugal. Comecei a trabalhar para um grupo editorial e nos anos seguintes fui incumbido de criar uma editora esotérica dentro desse consórcio. Assim fiz. Entretanto, eu fazia o meu percurso espiritual, praticando a meditação de tendência budista e tendo conversas com o meu Eu Superior e outras Entidades. Foi quando consegui libertar-me de rótulos espirituais. Rótulos do budismo. Rótulos dos espíritas. No entanto, calava-me bem calado, pois não queria que ninguém soubesse que eu tinha essas práticas espirituais. Nessa altura eu sonhava com ter a  minha própria editora, o que consegui em 1999. Encerrei a actividade em finais de 2011. Ou seja, entre um Yod e outro fiz todo um percurso em que plasmei na matéria dezenas e dezenas de livros espirituais, uns com muito sucesso e outros, autênticos flops. Sempre com a Astrologia à 'mistura'. Agora, a minha tarefa é outra.



O que é um Yod ou Dedo de Deus?

O Yod, ou Dedo de Deus, é uma figura composta por dois quincúncios e um sextil formando um grande Y. O planeta que forma os quincúncios é o ponto focal da figura. O quincúncio corresponde ao aspecto em um ângulo de 150° entre planetas.

Segundo Deborah Camanho [aqui]: O quincúncio «Representa uma desarmonia que gera um incômodo leve mas constante e enervante, como um problema com o qual tem que se lidar mas cuja solução continuamente escapa.» «O momento da crise é muito similar a quando se chega a um caminho com uma bifurcação: é preciso escolher uma direção sem que se saiba para onde qualquer das duas direções leva. Assim, essa mudança de rumo não consiste numa escolha consciente e segura.»



Mapa com todos os planetas, incluindo o 'Dedo de Deus' do dia 21-12-2012.
Clicar no mapa para aumentar e poder ver bem os pormenores.
Deste mapa é que retirei os mapas de 2012 com a configuração
'Yod' ou 'Dedo de Deus', que estão mais abaixo, 
incluindo o que tem as estrelas fixas..

Segundo Elói Dumón [aqui]: «As pessoas que têm um Yod em seus mapas geralmente experimentam crises em suas vidas, que devem enfrentar e resolver através de uma mudança de consciência». E acrescenta: «O Yod requer uma renúncia ao passado para ingressar em uma nova fase na vida».

Por alguma razão a esta configuração se chama também de «Dedo de Deus», além de «Dedo do Destino» ou «Mão de Deus». Na prática quer dizer que esta dificuldade é superada com intervenção Superior. Contrariamente a apenas 1 quincúncio que se torna um aspecto mais difícil de contornar, o Yod, claramente aponta-nos um caminho, na direcção do planeta focal ou appex da configuração.

  
À esquerda, glifo do quincúncio. À direita, o glifo do sextil.

Como neste caso estamos a falar de Júpiter, como planeta focal, é óbvio que estamos a falar de temas superiores, do que é divino, daquilo que nos transcende. Para mim é muito claro que parece haver uma intervenções muito para além do meu simples entendimento. E isto é subjectivo pois o que é bom para mim, pode não o ser para si, pois como todos sabemos, cada pessoa tem a sua verdade. Desde que eu não maltrate a verdade do outro, está tudo sempre bem.

Antes de avançarmos para o Yod de 2012,
olhemos um pouco para a configuração de 1989

O Yod ou Dedo de Deus de 1989


Este é o mapa do Yod formado durante o período que decorreram
na Praça Tienanmen, em Pequim, os protestos dos estudantes chineses
seguido do violento massacre com, no mínimo, centenas de mortes e
milhares de feridos. Este enorme acontecimento decorreu entre
15 de Abril a 4 de Junho de 1989.

O último YOD com este Júpiter, Saturno e Plutão foi em 1989, com dois deles em outras posições astrológicas, mas sempre com Júpiter como planeta appex, desejo apenas recordar que nesse ano a humanidade libertou-se muito mais. 

Neste caso de 1989, Júpiter [o appex] mais uma vez estava no signo Gémeos, Saturno em Capricórnio e Plutão em Escorpião. Muito interessante, pois Saturno e Plutão estavam nos signos dos quais eles são regentes e Júpiter funcionou como se fosse uma trombeta [Gémeos] a anunciar algo muito especial. Ocorreu-me agora que este Júpiter funcionou como uma banda de músicos que desfilam pelas terras a anunciar um evento local, ou, também, quando num quartel militar, tocam à alvorada.

Foi o início de algo muito especial: foi quando se deu o despertar mais colectivo da humanidade. Deu-se  um enorme salto quântico na sua evolução. Nesse ano caiu o muro de Berlim e desintegrou-se a federação Soviética... Imaginam quantos milhões de pessoas, de súbito libertaram-se da opressão?

Apetece-me perguntar aos mais crescidos [por exemplo, àqueles e aquelas que 1989 teriam mais de 20 anos e que hoje andarão entre os trintas e os oitentas] isto: que espiritualidade praticavas em 1989?

Já tinhas ouvido falar em meditação? Nos Mestres Ascensos? Em mantras? No teu Eu Interior ou Superior? E a partir daqui poderíamos fazer uma longa lista de perguntas, mas é suficiente, pois apenas pretendo enfatizar que o ano de 1989 é uma data muito importante para esta humanidade, pois foi quando efectivamente se SENTIU que uma brisa nova chegava ao nosso planeta. Como um despertar da humanidade. Nestas coisas cósmicas seria burrice nossa marcar datas exactas para certos acontecimentos. Obviamente que a nossa mente lógica precisa de entender certas coisas com 'marcos' e neste caso, com datas.

Esta nossa humanidade sempre foi evoluindo, desde há mais de 10.000 anos que isso vem acontecendo. Aos nossos olhos descrentes, por vezes até parece que regredimos, mas isso nunca aconteceu. Mas em 1989, é como se aquele 'Dedo de Deus' nos estivesse a indicar um caminho. o caminho de Júpiter. O caminho dos temas elevados e superiores. O caminho da divindade.

Aproveito para relembrar que a prática da espiritualidade, naquela década dos anos 80, ainda era, maioritariamente, muito apegada à matéria, através das religiões ou de outras práticas.

A humanidade deu um enorme salto quântico na sua evolução. Começámos, de forma colectiva, a perceber que era necessário ir para o outro lado do véu. Contactar com o mundo mais subtil.

É nos anos 90 que somos envolvidos naquilo que se chama «canalização», que após o factor surpresa e o recolhimento que era necessário, deu-se o fenómeno habitual nesta nossa humanidade: a criação de réplicas. Com isso, criou-se um eco repetitivo e apenas uma dúzia de vozes em todo o mundo, garantiam informação canalizada com qualidade. O resto era eco. Ainda é eco. Uma visita caprichada à internet confirma-nos isso mesmo sobre os processos repetitivos da informação.

Mencionar o yod de 1989 e não percebermos as mudanças havidas no plano físico do nosso planeta, é ficarmos com sede, na mesma. Deixo alguns exemplos de mudanças muito significativas na humanidade, ocorridas nesse ano.

O muro de Berlim desmoronou e com ele veio todo o sistema comunista russo que caiu e com ele todos aqueles inúmeros países, que actualmente vivem em democracia. Não nos esqueçamos da revolta dos jovens e estudantes chineses tendo sido reprimidos [mortos] na praça de Tienanmen, em Pequim. E o mundo fica livre de um dos maiores opressores de sempre, a coberto da religião: o Ayatola Khomeini; os mais antigos sabem de quem estou a falar. Não esqueçamos Nicolae Ceauşescu, ditador romeno, condenado à morte e fuzilado. No Brasil, Collor de Melo assume a presidência e consegue imprimir estabilidade à moeda brasileira [ver aqui]. Encontram mais exemplos na Wikipédia.


O Yod de 2012


Mapa apenas com o 'Dedo de Deus' do dia 21-12-2012.
Clicar no mapa para aumentar e poder ver bem os pormenores.

Neste Yod de 2012 voltamos a encontrar Júpiter como planeta focal. Tem o mesmo significado que escrevi acima, referente ao ano de 1989. É a mesma placa na estrada, a dizer-nos 'segue sempre em frente e para o alto'. Saturno faz um ângulo de 150º com Júpiter, com apenas 14´de orbe. [Este aspecto chama-se quincúncio]. Plutão faz outro quincúncio de 150º com Júpiter, com 3' de orbe. E forma um sextil, um aspecto de 60º entre Saturno e Plutão, com apenas 17' de orbe. Formando assim o YOD ou DEDO DE DEUS. É um aspecto tenso, nada fácil, mas muito libertador.

Que de muito significativo ocorreu neste ano de 2012 e que possamos considerar como sendo representativo de uma mudança de paradigma, em que se possa dizer que houve um salto quântico da humanidade, ou pelo menos parte dela? A intensa tentativa de se garantir paz no Médio Oriente. De forma inédita a Assembleia Geral da ONU dá status de 'Estado observador' à Palestina. O Partido Comunista da China [outra vez a China] nomeia o seu novo Comité Permanente, tendo renovado mais de 90% dos seus membros, a começar do topo, talvez significando novos ventos para o país mais populoso do mundo. A astronomia dá saltos grandes com novas descobertas e fazendo com que o nosso planeta não pareça estar tão isolado no cosmos. O Facebook atinge 1 bilião de utilizadores, incentivando novas formas de comunicação. O austríaco Felix Baumgartner salta da estratosfera, a 39 mil metros de altura em queda livre e quebra a barreira do som. Só isto foi um enorme salto quântico que demonstrou que esta humanidade pode com tudo. Uma outra 'ordem' começa a ser instalada: a polícia civil, o Bope e a marinha brasileira em operação conjunta ocupam as favelas Manguinhos, Jacarezinho, Mandela e Varginha no Rio de Janeiro. Cientistas do CERN descobrem nova partícula subatómica a qual pode vir a ser identificada como bóson de Higg, a chamada 'partícula Deus'. Hosni Mubarak, ex-presidente e ditador do Egipto por 29 anos, é condenado a prisão perpétua pela morte de manifestantes durante o protesto que resultou na sua renúncia. Mohamed Morsi é eleito presidente do Egipto e é o primeiro chefe de estado eleito democraticamente na história do país. É realizada a Rio+20, conferência da ONU sobre desenvolvimento sustentável. O ex-presidente da Libéria, Charles Taylor, é condenado a 50 anos de prisão por ter cometido crimes contra a humanidade e crimes de guerra durante a 1ª guerra civil do país que durou de 1989 a 1996. No Peru, operários de uma mina presos há mais de 6o dias, são finalmente resgatados de mais de 600 metros de profundidade. Poderia apresentar uma lista infindável, pois 2012 foi um ano recheado de acontecimentos importantes.

Hoje em dia, em 2012, falar em «espiritualidade» tornou-se normal. Ainda bem. Se eu, como disse bem mais acima, me calava em 1989 sobre as minhas práticas espirituais, hoje em dia isso não me preocupa. Pelo contrário, tenho a consciência que sou um dos agentes em Portugal [com milhares de outros] que não tem problemas em dar a cara por uma prática mais espiritualizante. Tenho este meu querido blogue, o «Cova do Urso» e o site «Escola de Astrologia Nova-Lis» que provam que já não sou aquela pessoa que se calava em 1989.

Pouco mais tenho a acrescentar sobre este Yod, pois o que disse acima para o de 1989, aplica-se aos nossos tempos. E as perguntas que fiz também acima, aplicam-se igualmente a esta época.




Faz-me muita impressão que as pessoas em geral achem que ao acordarem no dia 22 de Dezembro já estão dentro do novo ciclo galáctico. Imagine-se se um ciclo de milhares de anos tem data marcada para acabar e começar o novo. Bom, fico-me por aqui com este assunto. A seguir, abordo a questão das estrelas fixas neste 'Dedo de Deus'.

As estrelas fixas do Dedo de Deus

Mapa das estrelas fixas referente ao 'Dedo de Deus' do dia 21-12-2012.
Clicar no mapa para aumentar e poder ver bem os pormenores.

Apesar desta não ser a minha especialidade [o simples facto de estar a tratar deste dia - o 21-12-2012 -, que se tornou icónico e um fenómeno global pelos piores motivos: o medo], não posso deixar de mencionar quais as estrelas fixas que estão ligadas a este yod ou Dedo de Deus.

Se clicarem no mapa acima para o aumentar, poderá perceber que Júpiter e Plutão têm estrelas fixas em conjunção. Sinceramente, até tenho alguma dificuldade em interpretar isto, mas vamos tentar.

Júpiter e a estrela fixa Aldebaran [9º 59' Gémeos]

As múltiplas significações neste yod ou Dedo de Deus: Militarismo. Honra pública. Risco de violência. Amor pelos desafios e pela luta. Natureza corajosa. Impele para organismos de todos os tipos. A religião. A música. O cinema. A política. O exército. A aviação. A polícia. A marinha. As seitas de todas as espécies. Aldebaran é uma das 4 estrelas reais da antiga Pérsia. Pelo que está escrito nas linhas anteriores, pode-se dizer que vem trazer mais energia positiva a esta configuração. Aldebaran está intimamente ligada aos direitos da sociedade. Mais acima, ao descrever os acontecimentos mundanos de 1989, claramente estamos a falar dos direitos da sociedade. Dos direitos da humanidade.

Não vem para o caso, mas aproveito para dizer o significado num mapa natal: A pessoa que tiver esta estrela no seu zodíaco de nascimento sentirá uma atracção muito natural por tudo o que represente uma organização estruturada com uma hierarquia estabelecida e um sentido da confraria. É muito possível que a pessoa nunca chegue a realizar a sua aspiração e, se for esse o caso, pode-se dizer que sentirá um vazio profundo no seu foro íntimo. Se a pessoa realizar as suas aspirações com a ajuda dos aspectos benéficos de Marte, do Sol, da Lua e de Júpiter, poderá obter muito sucesso.

Gostaria de deixar esta nota sobre Aldebaran: sendo uma estrela que representa aquilo que é militar, ou seja, a espada, vejo como sendo uma energia próxima a Miguel. O Arcanjo, claro! Que todos sabemos ser bem mais que isso.

[Parte do texto foi retirado do meu site, 'Escola de Astrologia Nova-Lis', aqui.]


Plutão e a estrela fixa Facies [8º 25' Capricórnio]

As múltiplas significações neste yod ou Dedo de Deus: Desejo de glória. Gosto pelo risco. Amor pelos desafios. Sentido do garbo. Combatividade. Imprudência. Risco de acidente. Risco de doença cardíaca. Risco de cegueira. Grande risco de morte prematura e de perda do prestígio. Em termos modernos podemos dizer que esta conjunção tem o sentido de poder ocorrer algo cruel e sem piedade, ou então, ou então e muito característico de Plutão, criar-se o sentido de vitima. É o que mais tenho visto em 2012.

Não vem para o caso, mas aproveito para dizer o significado num mapa natal: A pessoa que tiver esta estrela no seu zodíaco de nascimento terá provavelmente o gosto de obter um grande êxito e de deixar a sua marca neste mundo. No entanto, há provavelmente muito poucas probabilidades de que isso se produza, pois esta estrela pode representar um obstáculo, a menos que tenha aspectos favoráveis.

[Parte do texto foi retirado do meu site, 'Escola de Astrologia Nova-Lis', aqui.]



Os yod's ou Dedos de Deus de 1989 e 2012 justapostos
para melhor entendermos a dinâmica cósmica


Os traços a azul correspondem ao yod de 2012
e os traços a vermelho ao de 1989.


Estás interessado(a) em saber o que escrevi sobre:

- O tal do 'alinhamento' de 21-12-2012? Clica aqui.
- E sobre os indicadores espirituais de 2013? Clica aqui.
- Previsões para o caso da Alemanha? Clica aqui.

E, também:

- O 2013 como vibração numerológica, por Ma Jivan Prabhuta? Clica aqui.


Qualquer estudante de astrologia ao olhar para esta imagem perceberá imediatamente
 que foi feita por alguém que não possui conhecimentos
mínimos de astrologia, porque falta Plutão.
Como sabem, os astrónomos, reclassificaram-no e passaram-no
para a categoria de 'planeta-anão'.
Em astrologia isso não teve a menor importância, pois a nossa arte
é uma linguagem simbólica, e nesse sentido, Plutão,
enquanto arquétipo no ser humano, continua a ser um planeta de grande
importância nas nossas 'coisas' astrológicas.
Só utilizo esta ilustração para mostrar o Solstício de Inverno, quando o Sol chega ao grau zero
de Capricórnio, no Hemisfério Norte. No Hemisfério Sul é o início do Verão.




Recomendo muito um excelente artigo de Marcelo Dalla
no seu «Dalla Blog», sobre o céu astrológico do dia 21-12-2012.
Aqui.




.

30 comentários:

Maria Izabel Viégas disse...
10 de dezembro de 2012 às 13:53  

Amigo querido, ainda estou lendo...
Já compartilhei .
Magnífico! A evolução do teu raciocínio foi clara, profunda e posso te afirmar, a melhor análise que já li sobre este tema.
Simplesmente, adorei .
Amei este post!
Meu coração beija o teu!
Grata... sempre por me ensinar.

William Oliveira disse...
10 de dezembro de 2012 às 14:43  

MA RA VI LHO SO!

António, se me permite, vou colocar link no Blog do Novo Mito pra cá.
Simplesmente belo e necessário.

Em 1989, eu criança, de nada tinha clareza... foi mesmo uma grande virada.. pensando bem, até, acontecimentos semelhantes estavam a ocorrer aquele ano com este atual.
Belíssima sacada António.
Estás em um Momento DIVINO Bruxo Professor!

William

Vera Braz Mendes disse...
10 de dezembro de 2012 às 15:07  

Adorei António e partilharei. Vou fazer uma pausa para pensar, sentir o que escreveu. Bj

António Rosa disse...
10 de dezembro de 2012 às 15:27  

Querida Maria Izabel,~

O meu coração fica sempre feliz e contente quando lemos os seus belíssimos comentários. Confortam a alma e fazem com que vários dias de trabalho a escrever, ilustrar e retocar valham sempre a pena.

Muitos beijinhos

António

António Rosa disse...
10 de dezembro de 2012 às 15:28  

William, meu querido

Fico muito orgulhoso por ter ganho esse link. Para mim é música divina. Em 1989 já eras uma criança índigo e hoje és o homem que és.

Grande abraço.

António

António Rosa disse...
10 de dezembro de 2012 às 15:30  

Vera,

Fico feliz que tenha gostado e pela sua partilha. Reconhecemos sempre quando temos alguém perante nós, como é o seu caso, cuja opinião é por demais importante e significativa.

Mito obrigado.

Beijo

Astrid Annabelle disse...
10 de dezembro de 2012 às 16:47  

Meu querido António.
Voltei a me empolgar com a leitura. Já havia lhe dito isso ontem!
Seu texto faz pensar e refletir e com certeza me lembro muito bem do salto quântico em 1989!
Passei a noite de ontem interpretando esse Yod, Dedo de Deus, e ajustando-o ao meu mapa natal...
Como disse bem o William: você anda iluminado!!!!
Parabéns! de coração.
Irei partilhar com toda a certeza ...
Beijo bem grande e muito agradecido.
Astrid Annabelle

António Rosa disse...
10 de dezembro de 2012 às 16:55  

Querida Astrid,

Foi rápido: assim que recebi a sua informação que tinha gostado, esta manhã foi dedicada a terminar, reler e preparar a mudança para o Cova. Pelos vistos as pessoas estão a gostar.

Beijo muito agradecido.

Astrid Annabelle disse...
10 de dezembro de 2012 às 16:57  

Fiquei tão envolvida com o seu texto que esqueci de lhe agradecer pelo link que colocou!!!
Muito obrigado!
mais um beijo.
Astrid Annabelle

António Rosa disse...
10 de dezembro de 2012 às 17:01  

Astrid

Era necessário... Impunha-se e foi feito com todo o carinho.

Siala disse...
10 de dezembro de 2012 às 17:40  

Ainda estou extasiada...li e tenho que reler e reler. É sem dúvida o melhor texto que já li sobre este tema...e atrevo-me a dizer, para mim, um dos teus melhores!! Em 89 eu tinha 16 anos...foi por volta dessa altura que descobri os Celtas, a sua mitologia, o Druidismo e a Wicca :) Não sei se foi um acordar porque eu senti sempre que estava a recordar e há muita coisa que sabia sem saber como. Hoje...hoje ainda há em mim essa ligação muito forte á natureza, aos ritmos da Terra, aos animais...mas quanto eu aprendi espiritualmente entretanto...e quanto a vida me ensinou. Não sei se este novo salto quantico será o que esperamos...sabes que acredito que o caos será necessário para que nasça a nova ordem. Tal como a escuridão é necessária para que a luz exista e se fortaleça. Aguardemos serenamente e caminhemos os nossos caminhos. A seu tempo, cada um de nós estará onde é suposto estar. Quer fisicamente, quer espiritualmente. Beijinho!!!

António Rosa disse...
10 de dezembro de 2012 às 18:09  

Querida Siala, Cristina

Gostei das tuas memórias aos 16 anos. Deve ter sido um re-acordar, pois sempre esteve dentro de ti.

Eu sigo atentamente a tua postura de cidadã e política e concordo contigo. Isto para te dizer que melhor prova deste salto quântico é impossível ter. A «realidade», entre aspas, já é outra, mas repara como os políticos se comportam e olha que não é só a malta do PSD. Este salto quântico está a atirar com esta velha e cansada Europa para fora dos carris... O resto só mesmo mais adiante. Mas antes de 2020 não vejo como possam atinar bem. E se o fizerem, será só aparência e tudo desmanchado quando Plutão entrar em Aquário. Quem cá estiver...

Muito obrigado.

Beijo.

William Oliveira disse...
10 de dezembro de 2012 às 18:20  

Bom demais encontrar pessoas feito você neste planeta António Rosa!

Como tenho dito e sentido, o Universo está respondendo a nós, finalmente... ao nosso desbravamento, a nossos corações de fogo, pioneiros! Estou em Maravilhamento.

Mais congratulações pelo importante e necessário texto!!!

;) !

Siala disse...
10 de dezembro de 2012 às 19:11  

Querido Antonio, verdade! Parte da minha luta não é visível pois trava-se nos meandros internos, por enquanto...Mas aproxima-se a hora em que essa batalha vai ser também pública. Há muita coisa que tem que ser posta a descoberto. Os véus caiem e a verdade que sempre esteve á nossa frente revela-se, restam ainda muitas resistências, muito apego ao que sempre foi, mas a mudança é como um Oceano em movimento, é imparável. Esta Europa, este sistema, esta forma de estar e fazer politica não vão sobreviver. Quando a Europa cair, arrastará todo o sistema que conhecemos com ela. Será então tempo de começarmos de baixo para cima, dos alicerces para o tecto...porque o que está em cima é como o que está em baixo, a mudança terá que inevitavelmente começar aqui, em cada um de nós. Vivemos a esse nível no limbo paradigmático...o velho está moribundo, o novo ainda está em gestação e após o parto ainda terá todo um caminho evolutivo. A morte será conturbada...a infância e adolescência com as convulsões próprias. Espero estar cá, e fazer o que está ao meu alcance fazer. Não é á toa que ando há 38 anos "a quebrar a cara" ... tem sido uma árdua aprendizagem e integração do desapego, da compaixão, da resiliência...o ganhar estrutura por mim mesma é um dos apontamentos Natais muito fortes, e hoje entendo porquê (espero!!). Tem piada que encontrei ontem cartas escritas por mim entre 90 e 94...mudei tanto desde então e contudo...a essência é a mesma. Já lá estava nessa altura...ainda cá está hoje :) upsss Viajei ...beijos!

João H disse...
10 de dezembro de 2012 às 20:18  

Caro António!!
Fico contente por já ter recuperado da sua gripe!
Que boa a perspetiva sobre o tempo e a vida, nos seus singulares ciclos, que nos deu, neste artigo. Como sabe, sigo-o diariamente, apesar de não me fazer notar em comentários. Faço-o agora porque não há como não fazer um agradecimento pela generosidade com que se dedica à pedagogia dos que escolhem segui-lo, e à sua sabedoria. Partilho aqui uma confidência, pelo repto das questões que colocou.
Comigo começou a 12 de Dezembro de 1988, tinha 15 anos. Estou a dias deste aniversário! Encenei o meu primeiro espetáculo, de escola, no Maria Matos, rebeliando-me contra o professor que o dirigia (Plutão?) e assumindo-o nas minhas mãos. Pela primeira vez na minha vida, nessa altura, estava no centro do palco, sozinho e, antes do pano abrir, olhei para cima, para a teia, onde se penduram os cenários, e convoquei 'as forças do universo' para me ampararem. Essa expressão mantenho até hoje. Foi o meu despertar, a vários níveis, essencialmente com algo que ainda hoje não sei descrever muito bem, mas cujo melhor sinónimo é vocação. A energia que produzi foi tão intensa que a diretora na altura do Maria Mato e todos os técnicos e responsáveis me destinaram a vida de teatro. E assim tem sido, apesar dos percalços que fui tendo no caminho.
Passado este tempo, agora que o conheço, e me conheço melhor, reparo, no meu mapa como este 'dedo de Deus', que nos desperta a todos, coloca Jupiter exatamente conjunto ao meu fundo do céu. O meio do céu está viradinho para Sagitário com o meu regente natal lá colado, neptuno. Saturno na oito, plutão na onze.
Pode não haver alinhamento galático no sistema solar, mas eu sinto a responsabilidade de estar alinhado com as 'forças do universo' que há 24 anos surgiram pela primeira vez na minha consciência desta vida.
Tenho fé que consiga alinhar-me. No intimo julgo estar, mas a ação energética que sinto é tão intensa, o rasgar das células tão dilacerante que parece que me sinto a queimar, de tão cansado. Vou 'parir' uma dissertação até fim deste ano. Sei que o seu conteúdo vem alinhado, que trás uma visão própria, dela. Ao passar por mim, escavaca-me. Estou a tentar manter-me inteiro para a escrever. É algo muito bom, estou em crer. Pressinto que serei outro quando a terminar. Mas não vou deter-me aqui em queixas, que respeito demais este seu espaço. Termino, agradecendo e desejando-lhe saúde. Que as forças do universo estejam connosco!
Com um abraço forte também.
João

Jose Mendes disse...
11 de dezembro de 2012 às 01:23  

Caro António, a sua reflexão é bem interessante. 1989 foi um ano de mudanças radicais na minha vida. Mas mudanças positivas, onde alcancei o que sonhava, do ponto de vista profissional e familiar. 1989 foi também o culminar de uma reflexão espiritual (iniciada mais cedo, talvez em 1985), que me deu uma nova visão da vida e do mundo que moldou a forma como hoje entendo a fé.
1989 foi também o princípio de um novo ciclo na minha carreira que me levou da base ao topo. Esse ciclo terminou com a Grande Cruz de 7 de Agosto de 2010. Agora estou numa fase de corte com o passado e mudança radical de rumo. Será bom se, tal como em 1989, coisas inesperadas (e positivas) venham a acontecer. Estou preparado para isso, desfiz-me das velhas amarras, e estou pronto para um novo começo.

António Rosa disse...
11 de dezembro de 2012 às 13:58  

William, meu querido

Volto a agradecer-te com muito amor pois ter-te como amigo é fundamental para mim.

Um grande abraço

António

António Rosa disse...
11 de dezembro de 2012 às 14:00  

Siala, Cristina

Aguçaste a minha curiosidade. Vou fica rtriplamente atento ao desenrolar de acontecimentos. Completamente de acordo com a tua visão da Europa. Quando cair, será tempo de reconstrução.

Beijinho agradecido.

António

António Rosa disse...
11 de dezembro de 2012 às 14:03  

Meu muito querido João,

Sinto a tua presença, sempre.

Nem imaginas como adorei o teu comentário, sobretudo a tua lenda pessoal, em que aos 15 anos encenaste o teu primeiro espectáculo e os 'adultos' a verem. Foi preciso coragem. Adorei.
E agora estão chegados outros tempos de renovação. Que a dissertação funcione bem.

Um grande abraço

António

António Rosa disse...
11 de dezembro de 2012 às 14:11  

Bom dia, José Mendes,

Ainda bem que se identificou com as datas que indico no artigo, pois todos nós temos a nossa lenda pessoal para ser vivida e experimentada. A sua história é curiosa. Entendi que agora encontra-se numa fase de novos começos. Olhe para o que vem por ai e esqueça-se dos cortes com o passado, pois já 'eram'...

Aproveitei e fui conhecê-lo um pouco melhor através do seu blogue (que já está nos meus favoritos para o poder acompanhar) e também adicionei-o aos meus círculos no Google+.

Grande abraço

António

MARCELO DALLA disse...
11 de dezembro de 2012 às 14:29  

Amigo querido!!!
Este trabalho está primoroso!!!
Fiquei a refletir... em 1989 não sabia nada de espiritualidade. E hoje me surpreendo com o conhecimento dos jovens que tem a idade que tinha naquela época. Sem dúvida avançamos muito.
E o Yod aponta para Júpiter, Sim, mais claro impossível!!! :)

Ainda vou decidir se escreverei algo sobre isso, vc já o fez com maestria. Acho q vou fazer um post apontando pra cá!
Grande abraço, gratíssimo por mais essa aula!!!

António Rosa disse...
11 de dezembro de 2012 às 14:33  

Marcelo, meu querido,

Até podia ser que em 1989 soubesse 'menos' de espiritualidade. 'Nada'... não!! :)))

Você era muito jovem então e devia ainda estar a estudar e as suas preocupações seriam outras.

Gostaría muito que escrevesse alguma coisa em vez de faze rum post a apontar para aqui. Não sou mal agradecido, nada disso. Mas quantas mais pessoas a pensarmos nos assuntos, melhor para todos.

Grande abraço, meu querido.

António

MARCELO DALLA disse...
11 de dezembro de 2012 às 14:56  

Ok, amigo tem razão!
Meu asc. em Sagitário às vezes exagera. rsrsrsrs Na época fazia faculdade e minhas preocupações eram outras sim. Mas não tinha noção sobre reencarnação, Eu superior, chacras e coisas do tipo...

Aceito o desafio, vou escrever algo sim... então já tenho 2 tarefas. preparo um artigo sobre 2013 e em seguida farei alguns apontamentos sobre 21.12... tenho nos arquivos um artigo que comecei a escrever meses atrás e abandonei.

Mas este seu trabalho está completo! Vamos ver o que sai!!!!
Outro abraço

Adelaide Figueiredo disse...
11 de dezembro de 2012 às 19:13  

António,

Gostei muito de ler este texto! Dá que pensar e comecei a meditar na sua pergunta. Foi de fato em 1989 que comecei a despertar para estas coisas da espiritualidade. Mas foi em 2007 que as coisas evoluíram mais. Estou convencida que tem muito a ver também com Quiron no meu mapa e nos seus trânsitos. De qualquer das formas este artigo fez com que as coisas se aclarem mais.
Mais uma vez grata por este "alerta" :)

Abraço

António Rosa disse...
12 de dezembro de 2012 às 12:31  

Marcelo

Fico muito feliz em saber qe vai avançar com os textos. Quando os publicar vou linkar aqui nos meus artigos. Precisamos de gente que saiba pensar como você e que publique as ideias. Temos que combater a terrível ignorância que por aí vai.

Abaço,

António

António Rosa disse...
12 de dezembro de 2012 às 12:31  

Adelaide,

É sempre um prazer saber que acompnha os meus textos. É mesmo muito bom. Muito agradecido por ter partilhado as suas experiências espirituais. As cosias são quando têm que ser. Nem vale a pena adiantar, nem atrasar.

Um grande abraço

António

Trilhos do Tambor disse...
13 de dezembro de 2012 às 10:23  

Olá António,
li com muita atenção e como sempre lá fui espreitar a minha carta astral. Tentativa mais que infrutífera de chegar onde quer que fosse ihihi
Mas a pergunta é pertinente... em 1989 não sei... apenas me lembro que gostava de ouvir os sermões na missa e sonhava com a leitura mais aprofundada das escrituras, coisa que fiz mais tarde,em jeito de quem lê um romance, embora tenha ficado a meio. Lembro-me de falar com Deus, como fazia desde pequenina... pedindo sinais.
Mas em 1990 lembro-me bem com pormenor! Felizmente, apesar de viver numa aldeia, com pais que pouco liam, havia o circulo de leitores, onde descobri um livro chamado "Oráculos, leia o seu presente e o seu futuro". Tinha uma breve introdução aos signos e compatibilidade entre casais ihihi
Lembro-me bem de andar a fazer o mapa numerológico aos mais próximos e a lançar moedas ao ar nos intervalos das aulas, perguntando ao Yi Ching o que vinha à ideia. Claro que com 15 anos poderá imaginar bem o tipo de perguntas que fazia hihihi
Mas foi assim que tudo começou, passaram mais de 20 anos a fazer contas à numerologia... e felizmente este ano, fui fazer um curso :D
Abençoado círculo de leitores! :D
Muito percorri depois disso e sinto que muito tenho para percorrer ainda, e ainda bem! Bem haja António! Um grande bem haja!
Beijo
Arkana

António Rosa disse...
13 de dezembro de 2012 às 13:41  

Olá Arkana

Tantas ligações em 1989. Gostei muito. Fiquei a imaginar a visita do homem/mulher do Círculo de Leitores e a sua desberta do 'Oráculos...'. Cheguei a ter esse livro. Deve ter sido maravilhoso para si. Maravilhososs 15 anos.

Muito agradecido pelo testemunho.

Um bom e leve caminho para si.

Beijinho

António

ana marengo disse...
19 de dezembro de 2012 às 22:40  

Estou chocada,com tanta clareza! Que texto maravilhoso! Não posso deixar de compartilhar no meu blog!
Toda gratidão do mundo!
beijos querido amigo
Ana

António Rosa disse...
20 de dezembro de 2012 às 10:59  

Querida Ana

Os meus sinceros agradecimentos. Vou já lá ver o seu blogue.

Beijinho

António

10 de dezembro de 2012

O «Dedo de Deus» [ou Yod] de 21-12-2012: Que espiritualidade praticavas em 1989? E hoje?


«O Yod requer uma renúncia ao passado
para ingressar em uma nova fase na vida»

Elói Dumón
In 'Manual de Astrologia Moderna'


Basicamente, deixo aqui estas duas perguntas:

Que espiritualidade praticavas em 1989?
E hoje, em 2012?

Consegues responder para ti mesmo(a)?

Se responderes «nenhuma», continua a ser excelente,
pois cada ser humano evolui ao seu próprio ritmo.

Faz-se necessária esta explicação: Para os mais novos não faz sentido falarmos em 1989, pois muitos nasceram depois, ou eram crianças ou adolescentes nessa data. Fica entendido que, para esse grupo de pessoas, o ano de 1989 não é uma baliza rígida. No entanto, a pergunta pode ser feita na mesma a estas pessoas mais jovens, transformando-a nesta «quando e como iniciaste a tua prática espiritual?». O mesmo aconteceu com muitos adultos que foram sendo «despertos» em anos posteriores a esse 1989. Para todos os outros, que somos muitos, a pergunta é pertinente e mantém-se: «Que espiritualidade praticavas em 1989?».

Porque pergunto isto?

Porque este texto trata, sobretudo, das configurações astrológicas chamadas 'yod' ou 'Dedo de Deus'. Como a configuração deste ano de 2012 envolve Júpiter, Saturno e Plutão, interessava-me saber em que ano é que tinha havido outro Yod com estes mesmos 3 planetas. Foi em 1989. Sabendo eu o significado geral desse ano, dentro de mim, soou uma campainha e julgo ter entendido a ligação entre os dois Yod. O de 1989 e o de 2012. Explico-me:

Não vou deixar para o fim a síntese deste texto. Fica já aqui. Em ambos os anos o que esteve presente foi sempre estas duas ocorrências:

1) A subida da consciência colectiva desta nossa humanidade.

2) Um salto quântico a nível de entrada das pessoas nos caminhos espirituais. Quer colectivos, quer individuais.

Foi por isso que iniciei o texto com aquelas duas perguntas:

Que espiritualidade praticavas em 1989?
E hoje, em 2012?

Consegues responder para ti mesmo(a)?




Em Portugal, os mais crescidos sabem que se brinca muito com esta pergunta: «Onde estavas no 25 de Abril?» Como sabem, o '25 de Abril' é data da revolução portuguesa, em que a ditadura fascista foi deitada abaixo e iniciámos a era da democracia. Para os portugueses e para o mundo, também foi um salto quântico da humanidade.

Por isso, eu ter feito a analogia e surgirem as perguntas:

Que espiritualidade praticavas em 1989?
E hoje, em 2012?

Obviamente, não pretendo que me respondas, pois não tenho nada a ver com isso.

Gostaria de deixar uma imagem que pudesse dar uma certa ideia 
sobre o que sinto destes dois YOD's.

Imagine que vai a conduzir um carro, com uma certa rapidez,
e que mudou a manete da 3ª para a 4ª, aumentando a velocidade. Isto em 1989.
E, este ano de 2012, voltou a mudar da 4ª para a 5ª, aumentando
ainda mais a velocidade da viatura.

Imagine o carro como sendo o planeta Terra com a sua humanidade
[mais de 7 biliões de pessoas] dentro do veículo.
Em 1989 houve uma mudança de velocidade e deu-se um salto quântico.
E, agora, em 2012, houve nova mudança de velocidade e
novo salto quântico, que está a acontecer, e nem é preciso esperar pelo 21-12-2012.
As manetes são estes dois YOD, que apontam
para uma direcção em concreto.

Acha mesmo que é necessário descrever as ocorrências dos anos 80, 90 e 2000?
Lembra-se em que década Kryon começou a canalizar? Tire as suas conclusões.
Sabe em que década foi publicado o livro «Conversas com Deus»?
Servem-lhe estes dois indicadores de uma mudança na humanidade?
Para mim, foram saltos quânticos que apanharam milhões de pessoas de cada vez.

E porquê estas mudanças de velocidades?
Qual é o nosso destino?

Simples: cumprir o Plano Maior. O Plano Divino.
Ninguém escapa. Por muitas birrinhas que façam.

Se quiserem saber qual é o Plano Divino, ou melhor, o que eu penso
que seja o Plano Divino, tentei explicar  isso, aqui,
aos falar dos trígonos de 2013.


Porque as coisas são como são, vou responder publicamente às minhas próprias perguntas, apesar de eu não ser o melhor exemplo. Em finais de 1988, tinha eu 39 anos e o universo conspirou para eu dar por terminada a minha experiência de emigrante e fez-me regressar a Portugal. Comecei a trabalhar para um grupo editorial e nos anos seguintes fui incumbido de criar uma editora esotérica dentro desse consórcio. Assim fiz. Entretanto, eu fazia o meu percurso espiritual, praticando a meditação de tendência budista e tendo conversas com o meu Eu Superior e outras Entidades. Foi quando consegui libertar-me de rótulos espirituais. Rótulos do budismo. Rótulos dos espíritas. No entanto, calava-me bem calado, pois não queria que ninguém soubesse que eu tinha essas práticas espirituais. Nessa altura eu sonhava com ter a  minha própria editora, o que consegui em 1999. Encerrei a actividade em finais de 2011. Ou seja, entre um Yod e outro fiz todo um percurso em que plasmei na matéria dezenas e dezenas de livros espirituais, uns com muito sucesso e outros, autênticos flops. Sempre com a Astrologia à 'mistura'. Agora, a minha tarefa é outra.



O que é um Yod ou Dedo de Deus?

O Yod, ou Dedo de Deus, é uma figura composta por dois quincúncios e um sextil formando um grande Y. O planeta que forma os quincúncios é o ponto focal da figura. O quincúncio corresponde ao aspecto em um ângulo de 150° entre planetas.

Segundo Deborah Camanho [aqui]: O quincúncio «Representa uma desarmonia que gera um incômodo leve mas constante e enervante, como um problema com o qual tem que se lidar mas cuja solução continuamente escapa.» «O momento da crise é muito similar a quando se chega a um caminho com uma bifurcação: é preciso escolher uma direção sem que se saiba para onde qualquer das duas direções leva. Assim, essa mudança de rumo não consiste numa escolha consciente e segura.»



Mapa com todos os planetas, incluindo o 'Dedo de Deus' do dia 21-12-2012.
Clicar no mapa para aumentar e poder ver bem os pormenores.
Deste mapa é que retirei os mapas de 2012 com a configuração
'Yod' ou 'Dedo de Deus', que estão mais abaixo, 
incluindo o que tem as estrelas fixas..

Segundo Elói Dumón [aqui]: «As pessoas que têm um Yod em seus mapas geralmente experimentam crises em suas vidas, que devem enfrentar e resolver através de uma mudança de consciência». E acrescenta: «O Yod requer uma renúncia ao passado para ingressar em uma nova fase na vida».

Por alguma razão a esta configuração se chama também de «Dedo de Deus», além de «Dedo do Destino» ou «Mão de Deus». Na prática quer dizer que esta dificuldade é superada com intervenção Superior. Contrariamente a apenas 1 quincúncio que se torna um aspecto mais difícil de contornar, o Yod, claramente aponta-nos um caminho, na direcção do planeta focal ou appex da configuração.

  
À esquerda, glifo do quincúncio. À direita, o glifo do sextil.

Como neste caso estamos a falar de Júpiter, como planeta focal, é óbvio que estamos a falar de temas superiores, do que é divino, daquilo que nos transcende. Para mim é muito claro que parece haver uma intervenções muito para além do meu simples entendimento. E isto é subjectivo pois o que é bom para mim, pode não o ser para si, pois como todos sabemos, cada pessoa tem a sua verdade. Desde que eu não maltrate a verdade do outro, está tudo sempre bem.

Antes de avançarmos para o Yod de 2012,
olhemos um pouco para a configuração de 1989

O Yod ou Dedo de Deus de 1989


Este é o mapa do Yod formado durante o período que decorreram
na Praça Tienanmen, em Pequim, os protestos dos estudantes chineses
seguido do violento massacre com, no mínimo, centenas de mortes e
milhares de feridos. Este enorme acontecimento decorreu entre
15 de Abril a 4 de Junho de 1989.

O último YOD com este Júpiter, Saturno e Plutão foi em 1989, com dois deles em outras posições astrológicas, mas sempre com Júpiter como planeta appex, desejo apenas recordar que nesse ano a humanidade libertou-se muito mais. 

Neste caso de 1989, Júpiter [o appex] mais uma vez estava no signo Gémeos, Saturno em Capricórnio e Plutão em Escorpião. Muito interessante, pois Saturno e Plutão estavam nos signos dos quais eles são regentes e Júpiter funcionou como se fosse uma trombeta [Gémeos] a anunciar algo muito especial. Ocorreu-me agora que este Júpiter funcionou como uma banda de músicos que desfilam pelas terras a anunciar um evento local, ou, também, quando num quartel militar, tocam à alvorada.

Foi o início de algo muito especial: foi quando se deu o despertar mais colectivo da humanidade. Deu-se  um enorme salto quântico na sua evolução. Nesse ano caiu o muro de Berlim e desintegrou-se a federação Soviética... Imaginam quantos milhões de pessoas, de súbito libertaram-se da opressão?

Apetece-me perguntar aos mais crescidos [por exemplo, àqueles e aquelas que 1989 teriam mais de 20 anos e que hoje andarão entre os trintas e os oitentas] isto: que espiritualidade praticavas em 1989?

Já tinhas ouvido falar em meditação? Nos Mestres Ascensos? Em mantras? No teu Eu Interior ou Superior? E a partir daqui poderíamos fazer uma longa lista de perguntas, mas é suficiente, pois apenas pretendo enfatizar que o ano de 1989 é uma data muito importante para esta humanidade, pois foi quando efectivamente se SENTIU que uma brisa nova chegava ao nosso planeta. Como um despertar da humanidade. Nestas coisas cósmicas seria burrice nossa marcar datas exactas para certos acontecimentos. Obviamente que a nossa mente lógica precisa de entender certas coisas com 'marcos' e neste caso, com datas.

Esta nossa humanidade sempre foi evoluindo, desde há mais de 10.000 anos que isso vem acontecendo. Aos nossos olhos descrentes, por vezes até parece que regredimos, mas isso nunca aconteceu. Mas em 1989, é como se aquele 'Dedo de Deus' nos estivesse a indicar um caminho. o caminho de Júpiter. O caminho dos temas elevados e superiores. O caminho da divindade.

Aproveito para relembrar que a prática da espiritualidade, naquela década dos anos 80, ainda era, maioritariamente, muito apegada à matéria, através das religiões ou de outras práticas.

A humanidade deu um enorme salto quântico na sua evolução. Começámos, de forma colectiva, a perceber que era necessário ir para o outro lado do véu. Contactar com o mundo mais subtil.

É nos anos 90 que somos envolvidos naquilo que se chama «canalização», que após o factor surpresa e o recolhimento que era necessário, deu-se o fenómeno habitual nesta nossa humanidade: a criação de réplicas. Com isso, criou-se um eco repetitivo e apenas uma dúzia de vozes em todo o mundo, garantiam informação canalizada com qualidade. O resto era eco. Ainda é eco. Uma visita caprichada à internet confirma-nos isso mesmo sobre os processos repetitivos da informação.

Mencionar o yod de 1989 e não percebermos as mudanças havidas no plano físico do nosso planeta, é ficarmos com sede, na mesma. Deixo alguns exemplos de mudanças muito significativas na humanidade, ocorridas nesse ano.

O muro de Berlim desmoronou e com ele veio todo o sistema comunista russo que caiu e com ele todos aqueles inúmeros países, que actualmente vivem em democracia. Não nos esqueçamos da revolta dos jovens e estudantes chineses tendo sido reprimidos [mortos] na praça de Tienanmen, em Pequim. E o mundo fica livre de um dos maiores opressores de sempre, a coberto da religião: o Ayatola Khomeini; os mais antigos sabem de quem estou a falar. Não esqueçamos Nicolae Ceauşescu, ditador romeno, condenado à morte e fuzilado. No Brasil, Collor de Melo assume a presidência e consegue imprimir estabilidade à moeda brasileira [ver aqui]. Encontram mais exemplos na Wikipédia.


O Yod de 2012


Mapa apenas com o 'Dedo de Deus' do dia 21-12-2012.
Clicar no mapa para aumentar e poder ver bem os pormenores.

Neste Yod de 2012 voltamos a encontrar Júpiter como planeta focal. Tem o mesmo significado que escrevi acima, referente ao ano de 1989. É a mesma placa na estrada, a dizer-nos 'segue sempre em frente e para o alto'. Saturno faz um ângulo de 150º com Júpiter, com apenas 14´de orbe. [Este aspecto chama-se quincúncio]. Plutão faz outro quincúncio de 150º com Júpiter, com 3' de orbe. E forma um sextil, um aspecto de 60º entre Saturno e Plutão, com apenas 17' de orbe. Formando assim o YOD ou DEDO DE DEUS. É um aspecto tenso, nada fácil, mas muito libertador.

Que de muito significativo ocorreu neste ano de 2012 e que possamos considerar como sendo representativo de uma mudança de paradigma, em que se possa dizer que houve um salto quântico da humanidade, ou pelo menos parte dela? A intensa tentativa de se garantir paz no Médio Oriente. De forma inédita a Assembleia Geral da ONU dá status de 'Estado observador' à Palestina. O Partido Comunista da China [outra vez a China] nomeia o seu novo Comité Permanente, tendo renovado mais de 90% dos seus membros, a começar do topo, talvez significando novos ventos para o país mais populoso do mundo. A astronomia dá saltos grandes com novas descobertas e fazendo com que o nosso planeta não pareça estar tão isolado no cosmos. O Facebook atinge 1 bilião de utilizadores, incentivando novas formas de comunicação. O austríaco Felix Baumgartner salta da estratosfera, a 39 mil metros de altura em queda livre e quebra a barreira do som. Só isto foi um enorme salto quântico que demonstrou que esta humanidade pode com tudo. Uma outra 'ordem' começa a ser instalada: a polícia civil, o Bope e a marinha brasileira em operação conjunta ocupam as favelas Manguinhos, Jacarezinho, Mandela e Varginha no Rio de Janeiro. Cientistas do CERN descobrem nova partícula subatómica a qual pode vir a ser identificada como bóson de Higg, a chamada 'partícula Deus'. Hosni Mubarak, ex-presidente e ditador do Egipto por 29 anos, é condenado a prisão perpétua pela morte de manifestantes durante o protesto que resultou na sua renúncia. Mohamed Morsi é eleito presidente do Egipto e é o primeiro chefe de estado eleito democraticamente na história do país. É realizada a Rio+20, conferência da ONU sobre desenvolvimento sustentável. O ex-presidente da Libéria, Charles Taylor, é condenado a 50 anos de prisão por ter cometido crimes contra a humanidade e crimes de guerra durante a 1ª guerra civil do país que durou de 1989 a 1996. No Peru, operários de uma mina presos há mais de 6o dias, são finalmente resgatados de mais de 600 metros de profundidade. Poderia apresentar uma lista infindável, pois 2012 foi um ano recheado de acontecimentos importantes.

Hoje em dia, em 2012, falar em «espiritualidade» tornou-se normal. Ainda bem. Se eu, como disse bem mais acima, me calava em 1989 sobre as minhas práticas espirituais, hoje em dia isso não me preocupa. Pelo contrário, tenho a consciência que sou um dos agentes em Portugal [com milhares de outros] que não tem problemas em dar a cara por uma prática mais espiritualizante. Tenho este meu querido blogue, o «Cova do Urso» e o site «Escola de Astrologia Nova-Lis» que provam que já não sou aquela pessoa que se calava em 1989.

Pouco mais tenho a acrescentar sobre este Yod, pois o que disse acima para o de 1989, aplica-se aos nossos tempos. E as perguntas que fiz também acima, aplicam-se igualmente a esta época.




Faz-me muita impressão que as pessoas em geral achem que ao acordarem no dia 22 de Dezembro já estão dentro do novo ciclo galáctico. Imagine-se se um ciclo de milhares de anos tem data marcada para acabar e começar o novo. Bom, fico-me por aqui com este assunto. A seguir, abordo a questão das estrelas fixas neste 'Dedo de Deus'.

As estrelas fixas do Dedo de Deus

Mapa das estrelas fixas referente ao 'Dedo de Deus' do dia 21-12-2012.
Clicar no mapa para aumentar e poder ver bem os pormenores.

Apesar desta não ser a minha especialidade [o simples facto de estar a tratar deste dia - o 21-12-2012 -, que se tornou icónico e um fenómeno global pelos piores motivos: o medo], não posso deixar de mencionar quais as estrelas fixas que estão ligadas a este yod ou Dedo de Deus.

Se clicarem no mapa acima para o aumentar, poderá perceber que Júpiter e Plutão têm estrelas fixas em conjunção. Sinceramente, até tenho alguma dificuldade em interpretar isto, mas vamos tentar.

Júpiter e a estrela fixa Aldebaran [9º 59' Gémeos]

As múltiplas significações neste yod ou Dedo de Deus: Militarismo. Honra pública. Risco de violência. Amor pelos desafios e pela luta. Natureza corajosa. Impele para organismos de todos os tipos. A religião. A música. O cinema. A política. O exército. A aviação. A polícia. A marinha. As seitas de todas as espécies. Aldebaran é uma das 4 estrelas reais da antiga Pérsia. Pelo que está escrito nas linhas anteriores, pode-se dizer que vem trazer mais energia positiva a esta configuração. Aldebaran está intimamente ligada aos direitos da sociedade. Mais acima, ao descrever os acontecimentos mundanos de 1989, claramente estamos a falar dos direitos da sociedade. Dos direitos da humanidade.

Não vem para o caso, mas aproveito para dizer o significado num mapa natal: A pessoa que tiver esta estrela no seu zodíaco de nascimento sentirá uma atracção muito natural por tudo o que represente uma organização estruturada com uma hierarquia estabelecida e um sentido da confraria. É muito possível que a pessoa nunca chegue a realizar a sua aspiração e, se for esse o caso, pode-se dizer que sentirá um vazio profundo no seu foro íntimo. Se a pessoa realizar as suas aspirações com a ajuda dos aspectos benéficos de Marte, do Sol, da Lua e de Júpiter, poderá obter muito sucesso.

Gostaria de deixar esta nota sobre Aldebaran: sendo uma estrela que representa aquilo que é militar, ou seja, a espada, vejo como sendo uma energia próxima a Miguel. O Arcanjo, claro! Que todos sabemos ser bem mais que isso.

[Parte do texto foi retirado do meu site, 'Escola de Astrologia Nova-Lis', aqui.]


Plutão e a estrela fixa Facies [8º 25' Capricórnio]

As múltiplas significações neste yod ou Dedo de Deus: Desejo de glória. Gosto pelo risco. Amor pelos desafios. Sentido do garbo. Combatividade. Imprudência. Risco de acidente. Risco de doença cardíaca. Risco de cegueira. Grande risco de morte prematura e de perda do prestígio. Em termos modernos podemos dizer que esta conjunção tem o sentido de poder ocorrer algo cruel e sem piedade, ou então, ou então e muito característico de Plutão, criar-se o sentido de vitima. É o que mais tenho visto em 2012.

Não vem para o caso, mas aproveito para dizer o significado num mapa natal: A pessoa que tiver esta estrela no seu zodíaco de nascimento terá provavelmente o gosto de obter um grande êxito e de deixar a sua marca neste mundo. No entanto, há provavelmente muito poucas probabilidades de que isso se produza, pois esta estrela pode representar um obstáculo, a menos que tenha aspectos favoráveis.

[Parte do texto foi retirado do meu site, 'Escola de Astrologia Nova-Lis', aqui.]



Os yod's ou Dedos de Deus de 1989 e 2012 justapostos
para melhor entendermos a dinâmica cósmica


Os traços a azul correspondem ao yod de 2012
e os traços a vermelho ao de 1989.


Estás interessado(a) em saber o que escrevi sobre:

- O tal do 'alinhamento' de 21-12-2012? Clica aqui.
- E sobre os indicadores espirituais de 2013? Clica aqui.
- Previsões para o caso da Alemanha? Clica aqui.

E, também:

- O 2013 como vibração numerológica, por Ma Jivan Prabhuta? Clica aqui.


Qualquer estudante de astrologia ao olhar para esta imagem perceberá imediatamente
 que foi feita por alguém que não possui conhecimentos
mínimos de astrologia, porque falta Plutão.
Como sabem, os astrónomos, reclassificaram-no e passaram-no
para a categoria de 'planeta-anão'.
Em astrologia isso não teve a menor importância, pois a nossa arte
é uma linguagem simbólica, e nesse sentido, Plutão,
enquanto arquétipo no ser humano, continua a ser um planeta de grande
importância nas nossas 'coisas' astrológicas.
Só utilizo esta ilustração para mostrar o Solstício de Inverno, quando o Sol chega ao grau zero
de Capricórnio, no Hemisfério Norte. No Hemisfério Sul é o início do Verão.




Recomendo muito um excelente artigo de Marcelo Dalla
no seu «Dalla Blog», sobre o céu astrológico do dia 21-12-2012.
Aqui.




.

30 comentários:

Maria Izabel Viégas disse...

Amigo querido, ainda estou lendo...
Já compartilhei .
Magnífico! A evolução do teu raciocínio foi clara, profunda e posso te afirmar, a melhor análise que já li sobre este tema.
Simplesmente, adorei .
Amei este post!
Meu coração beija o teu!
Grata... sempre por me ensinar.

William Oliveira disse...

MA RA VI LHO SO!

António, se me permite, vou colocar link no Blog do Novo Mito pra cá.
Simplesmente belo e necessário.

Em 1989, eu criança, de nada tinha clareza... foi mesmo uma grande virada.. pensando bem, até, acontecimentos semelhantes estavam a ocorrer aquele ano com este atual.
Belíssima sacada António.
Estás em um Momento DIVINO Bruxo Professor!

William

Vera Braz Mendes disse...

Adorei António e partilharei. Vou fazer uma pausa para pensar, sentir o que escreveu. Bj

António Rosa disse...

Querida Maria Izabel,~

O meu coração fica sempre feliz e contente quando lemos os seus belíssimos comentários. Confortam a alma e fazem com que vários dias de trabalho a escrever, ilustrar e retocar valham sempre a pena.

Muitos beijinhos

António

António Rosa disse...

William, meu querido

Fico muito orgulhoso por ter ganho esse link. Para mim é música divina. Em 1989 já eras uma criança índigo e hoje és o homem que és.

Grande abraço.

António

António Rosa disse...

Vera,

Fico feliz que tenha gostado e pela sua partilha. Reconhecemos sempre quando temos alguém perante nós, como é o seu caso, cuja opinião é por demais importante e significativa.

Mito obrigado.

Beijo

Astrid Annabelle disse...

Meu querido António.
Voltei a me empolgar com a leitura. Já havia lhe dito isso ontem!
Seu texto faz pensar e refletir e com certeza me lembro muito bem do salto quântico em 1989!
Passei a noite de ontem interpretando esse Yod, Dedo de Deus, e ajustando-o ao meu mapa natal...
Como disse bem o William: você anda iluminado!!!!
Parabéns! de coração.
Irei partilhar com toda a certeza ...
Beijo bem grande e muito agradecido.
Astrid Annabelle

António Rosa disse...

Querida Astrid,

Foi rápido: assim que recebi a sua informação que tinha gostado, esta manhã foi dedicada a terminar, reler e preparar a mudança para o Cova. Pelos vistos as pessoas estão a gostar.

Beijo muito agradecido.

Astrid Annabelle disse...

Fiquei tão envolvida com o seu texto que esqueci de lhe agradecer pelo link que colocou!!!
Muito obrigado!
mais um beijo.
Astrid Annabelle

António Rosa disse...

Astrid

Era necessário... Impunha-se e foi feito com todo o carinho.

Siala disse...

Ainda estou extasiada...li e tenho que reler e reler. É sem dúvida o melhor texto que já li sobre este tema...e atrevo-me a dizer, para mim, um dos teus melhores!! Em 89 eu tinha 16 anos...foi por volta dessa altura que descobri os Celtas, a sua mitologia, o Druidismo e a Wicca :) Não sei se foi um acordar porque eu senti sempre que estava a recordar e há muita coisa que sabia sem saber como. Hoje...hoje ainda há em mim essa ligação muito forte á natureza, aos ritmos da Terra, aos animais...mas quanto eu aprendi espiritualmente entretanto...e quanto a vida me ensinou. Não sei se este novo salto quantico será o que esperamos...sabes que acredito que o caos será necessário para que nasça a nova ordem. Tal como a escuridão é necessária para que a luz exista e se fortaleça. Aguardemos serenamente e caminhemos os nossos caminhos. A seu tempo, cada um de nós estará onde é suposto estar. Quer fisicamente, quer espiritualmente. Beijinho!!!

António Rosa disse...

Querida Siala, Cristina

Gostei das tuas memórias aos 16 anos. Deve ter sido um re-acordar, pois sempre esteve dentro de ti.

Eu sigo atentamente a tua postura de cidadã e política e concordo contigo. Isto para te dizer que melhor prova deste salto quântico é impossível ter. A «realidade», entre aspas, já é outra, mas repara como os políticos se comportam e olha que não é só a malta do PSD. Este salto quântico está a atirar com esta velha e cansada Europa para fora dos carris... O resto só mesmo mais adiante. Mas antes de 2020 não vejo como possam atinar bem. E se o fizerem, será só aparência e tudo desmanchado quando Plutão entrar em Aquário. Quem cá estiver...

Muito obrigado.

Beijo.

William Oliveira disse...

Bom demais encontrar pessoas feito você neste planeta António Rosa!

Como tenho dito e sentido, o Universo está respondendo a nós, finalmente... ao nosso desbravamento, a nossos corações de fogo, pioneiros! Estou em Maravilhamento.

Mais congratulações pelo importante e necessário texto!!!

;) !

Siala disse...

Querido Antonio, verdade! Parte da minha luta não é visível pois trava-se nos meandros internos, por enquanto...Mas aproxima-se a hora em que essa batalha vai ser também pública. Há muita coisa que tem que ser posta a descoberto. Os véus caiem e a verdade que sempre esteve á nossa frente revela-se, restam ainda muitas resistências, muito apego ao que sempre foi, mas a mudança é como um Oceano em movimento, é imparável. Esta Europa, este sistema, esta forma de estar e fazer politica não vão sobreviver. Quando a Europa cair, arrastará todo o sistema que conhecemos com ela. Será então tempo de começarmos de baixo para cima, dos alicerces para o tecto...porque o que está em cima é como o que está em baixo, a mudança terá que inevitavelmente começar aqui, em cada um de nós. Vivemos a esse nível no limbo paradigmático...o velho está moribundo, o novo ainda está em gestação e após o parto ainda terá todo um caminho evolutivo. A morte será conturbada...a infância e adolescência com as convulsões próprias. Espero estar cá, e fazer o que está ao meu alcance fazer. Não é á toa que ando há 38 anos "a quebrar a cara" ... tem sido uma árdua aprendizagem e integração do desapego, da compaixão, da resiliência...o ganhar estrutura por mim mesma é um dos apontamentos Natais muito fortes, e hoje entendo porquê (espero!!). Tem piada que encontrei ontem cartas escritas por mim entre 90 e 94...mudei tanto desde então e contudo...a essência é a mesma. Já lá estava nessa altura...ainda cá está hoje :) upsss Viajei ...beijos!

João H disse...

Caro António!!
Fico contente por já ter recuperado da sua gripe!
Que boa a perspetiva sobre o tempo e a vida, nos seus singulares ciclos, que nos deu, neste artigo. Como sabe, sigo-o diariamente, apesar de não me fazer notar em comentários. Faço-o agora porque não há como não fazer um agradecimento pela generosidade com que se dedica à pedagogia dos que escolhem segui-lo, e à sua sabedoria. Partilho aqui uma confidência, pelo repto das questões que colocou.
Comigo começou a 12 de Dezembro de 1988, tinha 15 anos. Estou a dias deste aniversário! Encenei o meu primeiro espetáculo, de escola, no Maria Matos, rebeliando-me contra o professor que o dirigia (Plutão?) e assumindo-o nas minhas mãos. Pela primeira vez na minha vida, nessa altura, estava no centro do palco, sozinho e, antes do pano abrir, olhei para cima, para a teia, onde se penduram os cenários, e convoquei 'as forças do universo' para me ampararem. Essa expressão mantenho até hoje. Foi o meu despertar, a vários níveis, essencialmente com algo que ainda hoje não sei descrever muito bem, mas cujo melhor sinónimo é vocação. A energia que produzi foi tão intensa que a diretora na altura do Maria Mato e todos os técnicos e responsáveis me destinaram a vida de teatro. E assim tem sido, apesar dos percalços que fui tendo no caminho.
Passado este tempo, agora que o conheço, e me conheço melhor, reparo, no meu mapa como este 'dedo de Deus', que nos desperta a todos, coloca Jupiter exatamente conjunto ao meu fundo do céu. O meio do céu está viradinho para Sagitário com o meu regente natal lá colado, neptuno. Saturno na oito, plutão na onze.
Pode não haver alinhamento galático no sistema solar, mas eu sinto a responsabilidade de estar alinhado com as 'forças do universo' que há 24 anos surgiram pela primeira vez na minha consciência desta vida.
Tenho fé que consiga alinhar-me. No intimo julgo estar, mas a ação energética que sinto é tão intensa, o rasgar das células tão dilacerante que parece que me sinto a queimar, de tão cansado. Vou 'parir' uma dissertação até fim deste ano. Sei que o seu conteúdo vem alinhado, que trás uma visão própria, dela. Ao passar por mim, escavaca-me. Estou a tentar manter-me inteiro para a escrever. É algo muito bom, estou em crer. Pressinto que serei outro quando a terminar. Mas não vou deter-me aqui em queixas, que respeito demais este seu espaço. Termino, agradecendo e desejando-lhe saúde. Que as forças do universo estejam connosco!
Com um abraço forte também.
João

Jose Mendes disse...

Caro António, a sua reflexão é bem interessante. 1989 foi um ano de mudanças radicais na minha vida. Mas mudanças positivas, onde alcancei o que sonhava, do ponto de vista profissional e familiar. 1989 foi também o culminar de uma reflexão espiritual (iniciada mais cedo, talvez em 1985), que me deu uma nova visão da vida e do mundo que moldou a forma como hoje entendo a fé.
1989 foi também o princípio de um novo ciclo na minha carreira que me levou da base ao topo. Esse ciclo terminou com a Grande Cruz de 7 de Agosto de 2010. Agora estou numa fase de corte com o passado e mudança radical de rumo. Será bom se, tal como em 1989, coisas inesperadas (e positivas) venham a acontecer. Estou preparado para isso, desfiz-me das velhas amarras, e estou pronto para um novo começo.

António Rosa disse...

William, meu querido

Volto a agradecer-te com muito amor pois ter-te como amigo é fundamental para mim.

Um grande abraço

António

António Rosa disse...

Siala, Cristina

Aguçaste a minha curiosidade. Vou fica rtriplamente atento ao desenrolar de acontecimentos. Completamente de acordo com a tua visão da Europa. Quando cair, será tempo de reconstrução.

Beijinho agradecido.

António

António Rosa disse...

Meu muito querido João,

Sinto a tua presença, sempre.

Nem imaginas como adorei o teu comentário, sobretudo a tua lenda pessoal, em que aos 15 anos encenaste o teu primeiro espectáculo e os 'adultos' a verem. Foi preciso coragem. Adorei.
E agora estão chegados outros tempos de renovação. Que a dissertação funcione bem.

Um grande abraço

António

António Rosa disse...

Bom dia, José Mendes,

Ainda bem que se identificou com as datas que indico no artigo, pois todos nós temos a nossa lenda pessoal para ser vivida e experimentada. A sua história é curiosa. Entendi que agora encontra-se numa fase de novos começos. Olhe para o que vem por ai e esqueça-se dos cortes com o passado, pois já 'eram'...

Aproveitei e fui conhecê-lo um pouco melhor através do seu blogue (que já está nos meus favoritos para o poder acompanhar) e também adicionei-o aos meus círculos no Google+.

Grande abraço

António

MARCELO DALLA disse...

Amigo querido!!!
Este trabalho está primoroso!!!
Fiquei a refletir... em 1989 não sabia nada de espiritualidade. E hoje me surpreendo com o conhecimento dos jovens que tem a idade que tinha naquela época. Sem dúvida avançamos muito.
E o Yod aponta para Júpiter, Sim, mais claro impossível!!! :)

Ainda vou decidir se escreverei algo sobre isso, vc já o fez com maestria. Acho q vou fazer um post apontando pra cá!
Grande abraço, gratíssimo por mais essa aula!!!

António Rosa disse...

Marcelo, meu querido,

Até podia ser que em 1989 soubesse 'menos' de espiritualidade. 'Nada'... não!! :)))

Você era muito jovem então e devia ainda estar a estudar e as suas preocupações seriam outras.

Gostaría muito que escrevesse alguma coisa em vez de faze rum post a apontar para aqui. Não sou mal agradecido, nada disso. Mas quantas mais pessoas a pensarmos nos assuntos, melhor para todos.

Grande abraço, meu querido.

António

MARCELO DALLA disse...

Ok, amigo tem razão!
Meu asc. em Sagitário às vezes exagera. rsrsrsrs Na época fazia faculdade e minhas preocupações eram outras sim. Mas não tinha noção sobre reencarnação, Eu superior, chacras e coisas do tipo...

Aceito o desafio, vou escrever algo sim... então já tenho 2 tarefas. preparo um artigo sobre 2013 e em seguida farei alguns apontamentos sobre 21.12... tenho nos arquivos um artigo que comecei a escrever meses atrás e abandonei.

Mas este seu trabalho está completo! Vamos ver o que sai!!!!
Outro abraço

Adelaide Figueiredo disse...

António,

Gostei muito de ler este texto! Dá que pensar e comecei a meditar na sua pergunta. Foi de fato em 1989 que comecei a despertar para estas coisas da espiritualidade. Mas foi em 2007 que as coisas evoluíram mais. Estou convencida que tem muito a ver também com Quiron no meu mapa e nos seus trânsitos. De qualquer das formas este artigo fez com que as coisas se aclarem mais.
Mais uma vez grata por este "alerta" :)

Abraço

António Rosa disse...

Marcelo

Fico muito feliz em saber qe vai avançar com os textos. Quando os publicar vou linkar aqui nos meus artigos. Precisamos de gente que saiba pensar como você e que publique as ideias. Temos que combater a terrível ignorância que por aí vai.

Abaço,

António

António Rosa disse...

Adelaide,

É sempre um prazer saber que acompnha os meus textos. É mesmo muito bom. Muito agradecido por ter partilhado as suas experiências espirituais. As cosias são quando têm que ser. Nem vale a pena adiantar, nem atrasar.

Um grande abraço

António

Trilhos do Tambor disse...

Olá António,
li com muita atenção e como sempre lá fui espreitar a minha carta astral. Tentativa mais que infrutífera de chegar onde quer que fosse ihihi
Mas a pergunta é pertinente... em 1989 não sei... apenas me lembro que gostava de ouvir os sermões na missa e sonhava com a leitura mais aprofundada das escrituras, coisa que fiz mais tarde,em jeito de quem lê um romance, embora tenha ficado a meio. Lembro-me de falar com Deus, como fazia desde pequenina... pedindo sinais.
Mas em 1990 lembro-me bem com pormenor! Felizmente, apesar de viver numa aldeia, com pais que pouco liam, havia o circulo de leitores, onde descobri um livro chamado "Oráculos, leia o seu presente e o seu futuro". Tinha uma breve introdução aos signos e compatibilidade entre casais ihihi
Lembro-me bem de andar a fazer o mapa numerológico aos mais próximos e a lançar moedas ao ar nos intervalos das aulas, perguntando ao Yi Ching o que vinha à ideia. Claro que com 15 anos poderá imaginar bem o tipo de perguntas que fazia hihihi
Mas foi assim que tudo começou, passaram mais de 20 anos a fazer contas à numerologia... e felizmente este ano, fui fazer um curso :D
Abençoado círculo de leitores! :D
Muito percorri depois disso e sinto que muito tenho para percorrer ainda, e ainda bem! Bem haja António! Um grande bem haja!
Beijo
Arkana

António Rosa disse...

Olá Arkana

Tantas ligações em 1989. Gostei muito. Fiquei a imaginar a visita do homem/mulher do Círculo de Leitores e a sua desberta do 'Oráculos...'. Cheguei a ter esse livro. Deve ter sido maravilhoso para si. Maravilhososs 15 anos.

Muito agradecido pelo testemunho.

Um bom e leve caminho para si.

Beijinho

António

ana marengo disse...

Estou chocada,com tanta clareza! Que texto maravilhoso! Não posso deixar de compartilhar no meu blog!
Toda gratidão do mundo!
beijos querido amigo
Ana

António Rosa disse...

Querida Ana

Os meus sinceros agradecimentos. Vou já lá ver o seu blogue.

Beijinho

António

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates