2013, o enigmático ano dos trígonos, ou algumas previsões espirituais [texto completo]

3 de dezembro de 2012 ·


Foto encontrada no blogue «Navegante do Infinito», da minha amiga
Astrid Annabelle [Ma Jivan Prabhuta] com a seguinte legenda:
«... a única sensação que tenho é que estou com os pés na areia...
o resto de mim anda por aí em uma velocidade estonteante... 
e isso me dá ALEGRIA!!!»

Já tinha comentado no Facebook que 2013 seria o ano dos trígonos especiais:

Saturno / Neptuno
Júpiter / Saturno
Júpiter / Quíron
Júpiter / Neptuno

Neste sentido, no início de Novembro, comecei a escrever sobre este tema, da forma habitual em mim, analisando trígono a trígono. Uma canseira, diga-se. E fui escrevendo. Quando cheguei à página 4, já eu estava cansado de mim mesmo e a perceber que o texto não me estava a dar alegria.

O universo é sábio: obrigou-me a interromper o que estava a escrever, atirando para cima de mim uma daquelas gripes terríveis que, num corpo como o meu, já muito castigado e sem grandes defesas físicas internas custam mais a curar [sim, já estou fora de prazo, mas Eles querem-me cá mais um tempinho, lá saberão porquê].

Já ia a três quartos desta gripe e a maior parte da limpeza interna já se efectuara, sobretudo no emocional e mental, e aí foi-me dada a rara oportunidade de vivenciar uma «epifania» [com minúscula e sem acento circunflexo], que é um substantivo que significa «manifestação de Deus ou de uma divindade». Sim, tive uma epifania quanto a estes trígonos de 2013, o que me obrigou a deitar fora tudo o que tinha escrito sobre 2013.

Esta epifania traduziu-se numa visão muito alargada e generalista destes trígonos. O centro de cada trígono acima mencionado passou da dupla de planetas, para um epicentro em que os 4 planetas [e outros, também] irão funcionar como uma grande orquestra a tocarem uma sinfonia cósmica, como que assinadas por Debussy [do signo Virgem], um inovador para a época [princípios do Sec. XX] e que ainda hoje nos deixa perplexos com as suas melodias. Lembro-me da sua «Suite Bergamascque» que eu ouvia em disco vinil nos anos 70 do século passado, assim que regressei da vida militar.

Perceber nesta epifania que Júpiter e Neptuno funcionaram como uma mistura de instrumentos de metais, ou de sopro, aos instrumentos de corda, para controlares as Alturas...

[Este texto, o de cima, já tinha sido publicado aqui no blogue, assim como no Facebook,
pois este ano, no que diz respeito aos meus habituais e textos anuais de
'previsões mundanas'houve grandes mudanças, visíveis para quem ler,
pois claramente, é um texto de 'previsões espirituais',
se o quisermos classificar de alguma maneira.]




Se 2012 foi o ano de todos os desassossegos,
2013 será o ano do sossego.

No entanto, os 'media' já se encarregarão de fazer sentir que tudo continua desassossegado.

Dizia eu mais acima que os planetas envolvidos neste trígono apontam para uma descodificação bem diferente daquela que seria a habitual, 'lendo' trígono a trígono. Essa leitura já será feita por centenas de astrólogos muito competentes e, talvez, a seu devido tempo, abordarei um a um, ao longo de 2013.

A partir de agora, deixarei de mencionar a epifania que vivi, para poder descrever estes trígonos de forma bem simples. Vejamos:

Estão envolvidos 4 planetas lentos num conjunto de vários trígonos. O que interessa perceber é a natureza de cada planeta nesta «estória» celeste.

Neptuno e Júpiter são co-regentes do signo Peixes [os assuntos multidimencionais], sendo Júpiter o regente diurno de Sagitário [os assuntos do céu e talvez o mais próximos seja o centro da nossa galáxia, que corresponde ao centro do nosso universo local Nebadon].

Quíron, que não regendo Vírgem, pertence a este signo pela sua natureza crística, pois é o planeta do «como fazer», apesar das pessoas gostarem muito de olharem para Quíron como o 'curador ferido', que também é, mas não só.

Esta visão exclusiva do 'curador ferido' é muito achatada, unidimensional. Deixa as pessoas contentinhas e pouco mais, sendo curador apenas a nível mental. Enquanto o «como fazer», retira a Quíron qualquer carga espiritual [não é um deus maior dos panteões] e coloca-o no caminho prático e obstinado de ter que levar a alma humana até à sua verdadeira essência. Outro dia poderemos desenvolver melhor esta ideia.

O outro planeta envolvido nestes trígonos é Saturno, regente de Capricórnio e co-regente de Aquário. Hum... Co-regente de Aquário? Será que quer dizer que falaremos mais adiante na Era de Aquário? Talvez. 

Venham comigo para darmos uma olhadela para alguns signos e planetas enquanto regentes esotéricos ou da alma. Assim:


Júpiter é o regente esotérico de Aquário.
Neptuno é o regente esotérico de Caranguejo / Câncer.
Saturno é o regente esotérico de Capricórnio.

Peixes tem Plutão como regente esotérico. 
Virgem tem a Lua como regente esotérico.
Sagitário encontra o seu regente esotérico no planeta Terra.

Terra, o planeta onde vivemos, aqui e agora?
Sim, senhora, esse mesmo.
.
Creio que já começamos a ver ou a intuir a tal sinfonia cósmica, como que assinada por Debussy.

Fazendo uma pequena síntese de um assunto maior: creio que já se percebeu que o ser humano, este ser humano, actualmente reencarnado no planeta, está a ter muitas dificuldades em aceitar as grandes mudanças que ocorrem desde há vários anos, no planeta Terra. Este ser humano, continua em círculos, com dificuldade em os romper e, aparentemente, sem vislumbrar outras saídas.

Repete-se. É sempre o mesmo, sempre o mesmo...
É um padrão, uma repetição.
Este ser humano é exímio em repetir padrões.

Andamos nisto, no mínimo, nos últimos 2.000 anos e, no máximo,
a viagem é bem mais longa, para aí uns 12.000 anos.



O meu convite é para que se olhe para este 2013 como um divisor de águas, pois em termos cósmicos estão abertos os caminhos para as mudanças se efectuarem com o mínimo de convulsões sociais e humanas.

As pistas dos planetas e signos intervenientes naqueles trígonos, dizem-me que:

2013 é o ano do eixo Virgem - Peixes.

O ano do perdão de toda as vidas passadas na Era de Peixes [no mínimo].

É o ano do 33, o Número Mestre da Compaixão, como foi muito bem explicado, aqui, no «Navegante do Infinito». É necessário subirmos até esta vibração do Mestre da Compaixão para conseguirmos olhar para toda a humanidade e percebermos que neste caso especial, ao sentirmos Compaixão, poderemos atingir a liberdade do perdão.

Podem perguntar-me e bem: mas porquê pararmos agora para perdoarmos de uma só vez essas vidas desconhecidas do passado? Porque é imperioso avançarmos para a Era de Aquário, sem amarras e restrições. Ou, pelo menos, MUITO aliviados dessas amarras e restrições.

No fundo, estes trígonos apenas nos dizem que devemos experimentar e integrar todo o sistema político/espiritual, advindo do Grande Plano. Aquele Plano que nos transcende. Aquele Plano que nos fez vir até à vibração mais densa da matéria, para podermos retornar a outras dimensões superiores, libertando-nos dessa densidade.

Essa é uma das razões mais importantes das nossas reencarnações, para todas elas: experimentar e integrar. Experimentar os muitos mapas astrológicos que fomos tendo e integrar no nosso Ser essa aprendizagem, utilizando a Lei do Carma e do Dharma. Já chega de estarmos contentinhos com termos sido o Rei Artur ou a Cleópatra. Mas também já chega de tanto verniz espiritual. É uma canseira.

Agora, depois da longa Era de Peixes, está na hora da humanidade e o próprio planeta mudarem de vagão dentro do combóio e seguirem outro ramal, outro caminho, desta vez em direcção à Era de Aquário. Combinado?

É isto que aquele eixo Virgem - Peixes representa. A mudança de linha de combóio. A mudança de ramal. A mudança de auto-estrada. Sairmos da pesada e adulta Era de Peixes, cheia de culpas e mal-entendido, para nos situarmos num plano mais levezinho, de adolescente, que simplesmente quer estar na 'boa' [supostamente será assim que as novas criaturas se sentirão na era de Aquário].

A propósito de adolescente: já repararam que nos últimos anos as grandes vedetas globais são cada vez mais jovens? Justin Bieber e muitos outros [não vou cansar-vos com nomes]. Em Portugal, também. No Brasil, também. Então, na música sertaneja, abundam numerosos exemplos. Já notaram nos grandes desportistas que estão a surgir em todo o mundo e que já desafiam os mais adultos nos stadiuns deste planeta? Sabem quantas medalhas de ouro, prata e bronze foram dadas em Londres a jovens entre os 16 e os 20? Uma infinidade. E quanto aos Grammy's? Nem se fala. Depois crescem e, ou se mantêm na fama ou, simplesmente desaparecem. Toda esta rapaziada juvenil vem incentivar a que milhões de jovens sejam descontraídos, que funcionem no sistema «na boa» e que validem o futuro dessa maneira. De preferência parecendo e vestindo como adolescentes. Para mim, a Era de Aquário pertence-lhes. Podemos tratar disso em outras ocasiões, se quiserem.

No fundo é isto que aqueles trígonos querem representar. Que chegou o momento de considerarmos que meio caminho já está feito naquela faixa temporal em que se entrelaça o fim da Era de Peixes com o início da Era de Aquário. Apesar de muito se gostar de dizer que não existe tempo, é óbvio que existe, até à quinta dimensão. Na prática, tempo é a vibração da matéria. Caso contrário, não se conseguiria fazer a experiência da matéria. Uma coisa diferente é acreditarmos que o «tempo» é composto de passado, presente e futuro. Isso é outro assunto. Apenas pretendi frisar esta questão, abordando o tema, por ser oportuno.

O Grande Plano do Alto, vindo da fonte de tudo, pretendeu fazer a experiência de se auto-criar em corpos densos: assim é o universo com as suas estrelas, planetas, cometas, gases e todos os objectos celestes. Esta experiência do Grande Plano fez-se densificando a vibração, experimentando e integrando.

Os cépticos dirão: como vai ser possível efectuarmos esta mudança da Era de Peixes para a Era de Aquário? A resposta está aí. Como planeta dual e polarizado, só temos dois caminhos: ou mudamos a bem ou mudamos à cachaporra.

Como o ser humano está mais habituado, desde as longas Eras do passado a que introduzam as mudanças de forma compulsiva, é de esperar que, desta vez, não fuja a esse padrão. Será à cachaporra. Melhor dito: já está a ser à cachaporra. À pancada. À força. Porque as mudanças já começaram.

Tudo porque chegámos a uma época que não dá mais para fingirmos que não acontece nada. Cada Era tem um ciclo temporal [sim, o tempo existe na nossa dimensão, como já afirmei acima] que ronda um pouco mais que 2.100 anos. [Já escrevi sobre isto, aqui.]

Se atinarmos, sem dramas que estamos neste processo de transição desde os anos 40 do século XX, podemos dizer que vivemos uma época em que teremos chegado ao meio caminho, para efectivamente o planeta entrar em plena Era de Aquário.

A partir deste 2013 os que cá ficarem mais 'tempo', terão oportunidade de perceber que cada vez mais irão reencarnar crianças diferentes daquelas que tem havido. Sei perfeitamente que chamam de crianças índigo, cristal, esmeralda, etc. Não aprecio estas designações, pois imediatamente catalogam esses novos seres. Conheço-os bem, pois convivo com alguns, bem de perto. A questão com esses novos seres, reside nos adultos [pais, família, escola, sociedade]. Irão 'estragar' essas crianças, alienando-as com outros factores? Ou saberão fazer a experiência de as integrar em novos conceitos. Aqui, tenho muitas dúvidas.

Se o planeta tem actualmente uns 8 biliões de seres humanos, bem marcados pela Era de Peixes, Era de Carneiro, Era de Touro, etc., é necessário limpar este planeta, caso contrário vai ser muito difícil fazer a experiência da principal Lei do Plano Superior: praticar o AMOR.

E é nesse AMOR que experimentamos a sabedoria em simultâneo com a vontade. Só com novos seres é que se dará a volta a esta situação. Os outros irão por arrastamento. Teremos que saber experimentar vários ciclos: agora estamos com Plutão em Capricórnio e teremos que esperar que chegue a Peixes para quem cá estiver experimentar outras situações bem diferentes das de hoje, mais em consonância com a Era de Aquário.

Este 'amor' que falo não é o amor emocional dos casais, pais e filhos, amor pelos animais. Isso é o 'amor tridimensional', uma aprendizagem para cumprir a Lei Superior do Amor. Vou simplificar dizendo que em dimensões mais elevadas o 'amor' provoca a atracção e o movimento de tudo que é electromagnético. Só assim é que se expande pelos sistemas solares, grupos estelares, galáxias, universos...

Depois de 2012 desassossegado, com grande quadraturas no céu, teremos um 2013 bem sossegado, com trígonos a facilitarem a vida deste planeta.



Convido-vos a fazerem um pequeno exercício, que envolve o nosso
braço e a mão, além de muita imaginação.
Não sou o autor do exercício feito a seguir.
Apenas o adaptei.

Assim:
- Levante o seu braço até à linha do ombro.
- Respire fundo e olhe para esse braço esticado.
- Aproveite e feche a mão.
- Volte a respirar fundo.

Usando os movimentos e a imaginação:
- Usando o punho, circule com a sua mão e imagine que representa o nosso Sol.
- O próprio punho representa o planeta Terra.
- Continuando a movimentar a mão, movimente, também, o seu cotovelo.
- Já estão em acção uma série de músculos que correspondem a movimentos cósmicos.
O universo é som e movimento.
- Esse seu cotovelo representa o Júpiter do futuro, aquele que se transformará em estrela,
em alinhamento com o Sol [mão] e a Terra [punho].
- Não se esqueça de continuar a sua respiração suave e uniforme.
- Continuando pelo braço, chegamos à altura do ombro e podemos começar a movimentar
todo o braço, o punho, o cotovelo e o ombro.
- Imagine por um segundo que esse ombro representa o centro da nossa galáxia, a Via Láctea.
- Agora, se parar os movimentos e mantiver o braço esticado, na direcção do ombro,
perceberá sem nenhuma demora que este sistema intergaláctico, está ligado
ao seu «coração». Bom, na verdade está ligado ao seu «chacra do coração».

É necessário sentirmos que o «chacra do coração» não irradia AMOR.
Irradia, sim, movimento, acção de um plano maior.

Eu próprio tenho dito e escrito muitas vezes: estou aqui a 'irradiar amor'. 
Isso não existe, pois não se pode irradiar aquilo que já é.

Alguém consegue irradiar oxigénio? Claro que não, 
pois se vivemos dentro dessa atmosfera que contém oxigénio.

O mesmo se passa com o AMOR. Ele está. Ele está na atmosfera.

Portanto, irradiamos sim, movimento e acção do PLANO SUPERIOR.
Aqui na terceira dimensão isso chama-se AMOR,
porque temos dificuldade em sintetizar melhor.

Irradiamos a vontade de Deus.

Quando dizemos isto: «Por amor de Deus», de que estamos a falar?
Da «vontade» de Deus.

Tudo porque o «amor» é a primeira Lei do seu Plano.

No entanto, continuemos a dizer: Irradio Amor.

Não tem mal nenhum e é preferível dizer isto que não fazer nada.
O texto foi só para instruir um pouco.



Esta epifania tem um rosto nesta reencarnação:
é a pessoa da fotografia abaixo, que consegue fazer a síntese destes trígonos.
Consegui esta fotografia de 6D... :)))



Passem bem e sejam simpáticos uns com os outros.


Recomendo a leitura das previsões para 2013,
do meu amigo, o astrólogo Marcelo Dalla. Aqui.



36 comentários:

Vera Braz Mendes disse...
3 de dezembro de 2012 às 13:32  

Excelente!!!!! Adorei o exercício e vou fazê-lo. Gostei muito da ideia de nept em peixes vir permitir o perdão do que se fez durante a Era de peixes.

Obrigada. Partilharei.

António Rosa disse...
3 de dezembro de 2012 às 13:56  

Olá Vera,

Gostei que tivesse gostado. Fiz muitas vezes esse exercício em minhas aulas de astrologia e nem imagina o feedback que havia. As pessoas, simplesmente... iam.

Muito obrigado.

Rosa disse...
3 de dezembro de 2012 às 14:59  

OLá Antonio,se vivesse perto de certeza que assistiria as suas aulas.
Muito lindo tudo o que escreveu. e para pessoas pouco esclarecidas é muito bem explicado e simples. Bendita Epifania que O ajudou. Enquanto lia fazia o exercicio e realmente faz todo sentido. Um bem haja.Muita saude e bom ano 2013 para nos ajudar,

oriondeepsky disse...
3 de dezembro de 2012 às 15:13  

Olá António!

Antes de mais um grande bem-haja por tudo o que escreve que sigo sempre com satisfação e prazer. A sua incursão para o campo coincidiu com a minha e, sem ter pretensão a que se lembre de mim, a ultima vez que falei consigo foi quando a Astrid esteve no Cristal de Cura. Bom, agora, depois das apresentações :) quero apenas comentar sobre "os trigonos", digo, há anos, embora ninguém me ligue que os trigonos não são assim tão bons, são um bocado "deixa andar que as coisas acontecem na mesma", por isso é que não os acho bons, porque não gosto muito que decidam a minha vida sejam os planetas ou os politicos :), ou seja lá quem for. Costumo defender as quadraturas com "unhas e dentes" e este ano de 2012 mostrou-me isso, espero ter a mesma capacidade no próximo e não me sentar à espera que as coisas aconteçam... porque elas vão mesmo acontecer, para muita gente, como tão bem diz, "à pancada". Posso dizer-lhe que conheço bem (astrologicamente e não só) o eixo Virgem-Peixes, tenho lá os nodos e Saturno.
Quanto ao "amor" tenho uma máxima que: "não é o amor que move montanhas mas sim a vontade", portanto não sei se quero assim tanto esse "sossego" anunciado :) :)
E tento viver esta "Era de Aquário" de janela aberta, nos filhos a quem não deixo rotular, nas quadraturas e nas oposições que essas dependem do que sou capaz de fazer e nos trigonos ... " que os céus me protejam" :) Um beijinho muito grande para si e obrigado por ser quem é.

Neste paragrafo: Era de Peixes deveria ser Era de Aquário, não???

Se atinarmos, sem dramas que estamos neste processo de transição desde os anos 40 do século XX, podemos dizer que vivemos uma época em que teremos chegado ao meio caminho, para efectivamente o planeta entrar em plena Era de Peixes.

Astrid Annabelle disse...
3 de dezembro de 2012 às 16:36  

Boa tarde meu querido António.
Li e reli várias vezes....compreendi e experimentei estar em sua mente para sentir as suas palavras na fonte...

Astrologicamente nem me atrevo a palpitar...o que escreves para mim, assim é, não se discute.

Gostei da dica sutil: " [....é um texto de 'previsões espirituais',
se o quisermos classificar de alguma maneira.]
Pois é, sinto que em 2013 não será possível classificar nada justamente porque não teremos parâmetros neste novo paradigma.

Sobre o Irradiar Amor...também uso e igualmente no sentido de movimento... que por sinal fica muito claro com o exercício que sugeriu, excelente! Nada na realidade está parado e muito menos atualmente, e menos ainda daqui para frente...
Estamos espiralando em altíssima velocidade por aí, com isso as matérias mais densas se desprendem, nos tornando cada vez mais leves e sutis....o movimento circular está encerrado.
Quanto à minha foto...!!!!...deixo-lhe um beijo por isso...nem sei o que dizer!!!
Voltarei para ler novamente...gosto de saborear estes seus textos....
Beijão
Astrid Annabelle

António Rosa disse...
3 de dezembro de 2012 às 16:39  

Olá Rosa,

Seja bem-vinda a esta casa. Tenho muito prazer em tê-la aqui. Muito agradecido pela suas palavras gentis. Também lhe desejo um bom 2013. Já falaremos.

Beijinho

António

António Rosa disse...
3 de dezembro de 2012 às 16:39  

Olá Orion

Fez-se luz: lembrei-me perfeitamente de si nessa tarde, quando a Astrid esteve no Cristal de Cura. Foi uma tarde linda.

Antes de mais, muito agradecido por me ter chamado a atenção do meu erro no texto. Já emendei. Olhe que li 4 vezes antes de o publicar. Duas vezes ontem de manhã e 2 vezes hoje. Corrigi diversas pequenas coisas, mas essa passou-me.

Achei interessante a sua teoria que os trígonos não são grande coisa. Podemos até nem senti-los e comportarmo-nos de forma a parecermos sendo levados. Mas daí a preferir as quadraturas, é mesmo o andar numa corda bamba.

Naquilo que é o ser individual há sempre que atendermos ao livre-arbítrio e aí compreendo e aceito bem que diga que «não sei se quero assim tanto esse "sossego" anunciado :) :)». Não se esqueça que o texto basicamente é virado para amplas multidões da nossa humanidade, que nada podem fazer [nada podemos fazer enquanto colectivo] para mudarmos o «destino» deste Plano Maior.

Um beijinho agradecido muito grande. Foi um prazer manter esta pequenas conversa.

Beijinho

António

António Rosa disse...
3 de dezembro de 2012 às 16:46  

Boa atrde, querida Astrid,

Adorei o seu comentário. Muito simpático.

É isso, não vale a pena criar espectativas para 2013, pois será um ano diferente de tudo. Ma snão me esqueço que tudo tem um propósito maior. Este pensamento é reconfortante, pois se não fosse assim, seria caso para ficarmos mito descrentes.

Tem toda a razão, tudo está em movimento, sempre. Só este bocadinho do seu comentário sobre o 'irradiar amor', dizia eu, só este bocadinho, é mais que suficiente para justificar a presença da sua foto no texto como exemplo dos trígonos a experimentar e integrar. Entendeu, agora? :))))) Não é por AMIZADE, mas sim por CONVICÇÃO..

Muitos beijinhos

António


p:S.: tem aqui uma pessoa que esteve presente naquela tarde da Ericeira. :))) Sincronicidades.

Astrid Annabelle disse...
3 de dezembro de 2012 às 16:51  

Sim eu vi e li o comentário da amiga que esteve conosco na tarde encantada do Cristal de Cura. Ela com suas filhas...tenho fotos...e as guardo com muito carinho!
Um beijo grande "Orion" {que não me lembro seu nome}!!! Mas visualizo muito bem o seu rosto!
Astrid Annabelle

Astrid Annabelle disse...
3 de dezembro de 2012 às 16:54  

Sabe António, a parir daquela tarde no Cristal de Cura, da Luisa Sal, muitas coisa mudaram...foi de fato uma grande iniciação!!!

Mais um beijo por seu carinho de sempre.
Astrid Annabelle

Astrid Annabelle disse...
3 de dezembro de 2012 às 16:55  

A PARTIR daquela.... *escrevi errado..perdão...

oriondeepsky disse...
3 de dezembro de 2012 às 17:04  

Um beijo do tamanho do mundo para os dois, para a Astrid com todo o carinho pela mulher radiosa que é e para o António só mais uma coisita, eu sei que, no seu caso, quando escreve é para o mundo, eu é só para mim :):) E já agora o nome é Ana Paula Claro, uma fã do <3 dos dois. Ups ! isto parece um pouco lamechas mas é apenas a liberdade que dá viver a Era de Aquário...

António Rosa disse...
3 de dezembro de 2012 às 17:15  

Astrid e Orion

É isso mesmo: também me lembro das filhas. Foi mágico.

António Rosa disse...
3 de dezembro de 2012 às 17:16  

Essa tarde foi especial. Uma grande iniciação e, de facto, tanta coisa mudou.

Beijinho, Astrid.

Astrid Annabelle disse...
3 de dezembro de 2012 às 17:23  

Agora não esquecerei mais Ana Paula Claro!!! Mais um beijo grande.
António, esqueci de agradecer por todos os links neste post...

António Rosa disse...
3 de dezembro de 2012 às 17:26  

Ana Paula

Não me parece nada lamechas. Então, temos todo o direito de manifestar o que sentimos.

Muito obrigado.

Não pense que quando eu escrevo é para o mundo. É ao contrário: escrevo só para mim e às vezes conto com a Astrid e peço-lhe que acompanhe mais de perto certo textos (foi o caso deste). a sé sempre para eu próprio aprender ou aprofundar.

Acontece que muitas pessoas se sintonizam naquilo que escrevo e por isso parecer que escrevo para o mundo.

Por exemplo, o exercício deste texto, é daqueles casos em que pensei nos outros e portanto, não foi bem para mim, porque é um exercício que faço desde 2003, mas senti que ira ser lido e de forma muito automática será usado por muitas pessoas, adaptando-o ou não, isso não importa. O que conta mesmo é a ideia de som (a nossa respiração) e movimento (punho, cotovelo e ombro a se articularem, com alinhamento horizontal com o chacra cardíaco. Fazendo-se essa ligação a este chacra é como se fosse uma grande ASA a sair de nós e a elevar-nos. :))

O exemplo é a bébe da primeira foto: tem os braços levantados, o chacra cardíaco activado e com isso limpa os chacras inferiores e igualmente os superiores.

desculpe esta explicação de escrever só para mim.

Um beijinho

Siala disse...
3 de dezembro de 2012 às 18:35  

Querido António, este texto é de tal forma extraordinário que vim comentar aqui e não no FB, onde já partilhei! Ainda estou arrepiada, e já imprimi para voltar a ler e reler...ainda estou em fase de digestão e espero vir mais tarde comentar " a sério" :D um beijo enorme!

William Oliveira disse...
3 de dezembro de 2012 às 19:27  

António, querido Bruxo Professor,
Saudade de Ti... Aliás saudade de muitos... mas o coracao se liga aqui, nestes tempos de epifania.

Sinto este período todo que já vivemos como a resposta pra todo meu ser... tem muito haver com meu mapa... sem ego, trago-o para mim como tao na pele, no core... como o simbolo dos meus milagres apenas e além. E sou grato a voce também e a todos os Professores.
Geminianamente, nao resisti em comentar antes de ler tudo.

Linda foto em 6D da Ma Jivan Prabhuta!

Vou reler tudo atentamente agora.
Fica meu abraço e minha gratidao registrados aqui.

Grato.

William Oliveira

MARCELO DALLA disse...
4 de dezembro de 2012 às 00:21  

Olá querido!
Eis aí uma delícia de texto, como se estivesse conversando conosco, a filosofar e introduzir de leve novos e importantes conceitos astrológicos...
Tudo o que escreveu aqui fez um sentido enorme pra mim. hoje já tô cansado, vou voltar amanhã pra reler e comentar mais.
Grato por tudo, meu amigo!!!!
Namastê

António Rosa disse...
4 de dezembro de 2012 às 09:04  

Siala, querida Cristina,

É muito bom ver-te entusiasmada e interessada nestas ideias que não são novas para ti. Tentei manter simples, mas foi um parto difícil, a todos os níveis, incluindo ter tido que ficar com uma violenta gripe.

Beijinho

António

António Rosa disse...
4 de dezembro de 2012 às 09:04  


Querido William,

Também sinto saudades dos amigos, mas nas últimas semanas tenho estado muito absorvido com estes assuntos e sei que a partir de hoje estarei mais liberto para voar e estar com os amigos. Oxalá fosse simples (e barato) poder ir até aí e dar-te um grande abraço. Sinto essa saudade.

Grande abraço

António

António Rosa disse...
4 de dezembro de 2012 às 09:10  

Querido Marcelo,

Ontem fiquei muito feliz ao saber que a UOL te convidou para publicares a tua coluna diária. Isso vai dar-te uma enome visibilidade, que mereces imenso. Sinto-me terrivelmente orgulhoso de te ter como amigo e de sermos colegas da mesma profissão.

Muito obrigado pelas palavras queridas que deixaste aqui. Prezo muito e fico sempre encantado. Apesar de saber que este texto foi-me praticamente sussurrado cá dentro de mim.

Agora vou viver uma fase de maior descanso pois não me aptece apanhar outra grioe, pois ainda nem me curei completamente desta.

Um abraço,

António

Luma Rosa disse...
4 de dezembro de 2012 às 18:07  

António, citei seu texto em resposta a um comentário que a Chica fez no "Luz". O texto lá hoje caminha pelo lado que a pessoa está - se ela está bem, o texto será bem interpretado, do contrário, não irá até o fim; porque as pessoas estão muito presas à matéria. Quando li seu texto a primeira vez, sai bastante emocionada e ainda estou. Um texto inspirador, cheio de esperanças, conselhos e luz. Obrigada!!

António Rosa disse...
4 de dezembro de 2012 às 18:44  

Luma Rosa,

Venho agora mesmo do seu lindo blogue. Antes de responder aqui, quis lá ir da rum abraço a si e à Chica,

Adorei o seu texto e as suas palavras à Chica. Também fiquei emocionado.

Muito obrigado. Muito, muito muito.

Beijinho.

Maria Paula Ribeiro disse...
4 de dezembro de 2012 às 23:34  

Olá António,

As tuas obras divinas têm ímanes que ecoam até à serra...
Tenho, graças a Deus, seguido cada vez mais o projeto do BandarraVet, mas sempre que possa te leio e agradeço sempre os teus sábios textos..

Bem-hajas Maestro!

Grande abraço e beijinhos! ;)

A fotos 6D é brilhante ;)

António Rosa disse...
5 de dezembro de 2012 às 10:57  

Maria Paula,

Muito agradecido pelas tuas palavras generosas.

Beijinho

António

Filomena Nunes disse...
5 de dezembro de 2012 às 12:24  

Querido António Rosa,

e assim foi mais uma Epifania.. e agora com MAIÚSCULAS.... que texto excelente!! Cristalino..

Vou reler e, entretanto, deixo aquele abraço terno <3

Filomena



António Rosa disse...
5 de dezembro de 2012 às 12:38  

Filomena,

A sua opinião é-me muito confortável. Foi bom saber que tem essa opinião.

Muito obrigado.

António

MARCELO DALLA disse...
6 de dezembro de 2012 às 21:48  

Querido amigo Antonio!
Estou muito feliz!!!
Escrevo de Uberlândia, onde passei dias intensos de atendimentos e agora me prepara para uma palestra de astrologia. Vivo o começo de um lindo e pioneiro projeto aqui, o AJNAR - Instituto de Medicina e Espiritualidade, com amigos poderosos e incríveis a trabalhar num curso de formação para profsissionais de cura inédito no mundo (creio eu).

Estamos aqui ancorando os ideais de Aquário, fazendo nosso trabalho, seguindo o caminho do coração. Esta é nossa missão. Estamos em pleno contato com os guias e mestres espirituais através da Umbanda, que nos dão todo o respaldo e orientação.

Sinto que chegamos agora a ver um sonho realizado. Chegamos aqui cheio de marcas e cicatrizes, mas chegamos. Este é mesmo um alvorecer em pleno planalto central do Brasil. Acho que pode fazer uma ideia do que estou dizendo.

Compartilho essa conquista contigo, meu amigo, porque sei que me entende e sei que ficará feliz junto comigo.
Um grande abraço no seu coração

MARCELO DALLA disse...
6 de dezembro de 2012 às 21:51  

Acaba de me ocorrer: Gostei do que escrevi aqui e vou partilhar pra todos, quero partilhar essa conquista com muitos amigos também, pois ela pode servir de inspiração! :)
Valeu, querido!!!

MARCELO DALLA disse...
7 de dezembro de 2012 às 01:45  

E voltei mais uma vez para agradecer todo o apoio e estímulo que sempre me deu amigo. Grato pelo carinho e pela generosidade que transborda do seu coração!!!!! Sigamos partilhando!!!
:) Namastê

António Rosa disse...
7 de dezembro de 2012 às 17:34  

Querido Marcelo,

Fico muito feliz em saber que você está envolvido num projecto tão bonito coo parece ser o AJNAR - Instituto de Medicina e Espiritualidade.

Assim que tiverem textos sobre o assunto terei o maior prazer em divulgar. Nunca somos demais para dar a conhecer projectos dessa natureza. Força.

O apoio sempre terá. Fico imensamente feliz ao sentir que está abrindo o seu caminho. Desde o primeiro momento senti que você era um pessoa muito especial. E o tempo comprova isso.

São os ideais de Aquário a surgirem.

Mesmo bom.

Grande abraço.

MEU DOCE AMOR disse...
8 de dezembro de 2012 às 22:43  

Olá:

Gostei imenso de ler e ainda cá virei com mais tempo.

Será que é por tudo isto que anda uma confusão em mim?Mas que confusãoooooo!!!Oxalá que isto passe.Estou fazendo por isso, mas é difícil.

Beijinho doce

Adriana ♣* disse...
29 de dezembro de 2012 às 02:32  

Olá Antônio!

Que texto incrível!
Sinto-o muito diferente de todos os outros que já escreveste.
Que bênção!
Com uma epifania dessa, tenho certeza que 2013 já entra com força total para você e conseqüentemente para todos que apreciarem suas palavras.
Isso é mágico!
Desejo de coração tudo de bom e muita saúde!

Um grande abraço,

Adriana

Astrid Annabelle disse...
15 de julho de 2013 às 15:54  

Somente hoje, dia 15/07/2013, é que a ficha caiu sobre este assunto:
"Esta epifania tem um rosto nesta reencarnação:
é a pessoa da fotografia abaixo, que consegue fazer a síntese destes trígonos."
WOW!!!! cairam lágrimas...
Beijo grande meu querido António!
Está novamente compartilhado no meu FB

Ângela disse...
27 de julho de 2013 às 10:47  

Caro Sr. António Rosa
GRATA! Hoje escrevo finalmente para lhe manifestar a gratidão que sinto desde há anos.
Tenho lido este seu texto por fases, e vou tentando assimilar aos poucos em termos pessoais. A sua epifania trouxe-me a possibilidade de atar uma boa parte de tantas pontas soltas que trago comigo.
Bem haja pela sua maravilhosa capacidade de ensinar, mostrando-nos com tanta clareza o raciocínio e fazendo-nos raciocinar por nós mesmos.
Cruzamo-nos há uns anos, quando da apresentação do seu livro Signos para a Alma. Nessa altura dava ainda os primeiros passos rumo ao estudo da Astrologia. Hoje continuo a estudar e os seus textos são as minhas grandes referências.
O seu contributo para a aprendizagem desta ciência é enorme. Bem haja! Eles bem sabem porque ainda o retêm aqui.
Um dia destes ainda vou conseguir fazer uma consulta consigo.
Abraço de gratidão
Angela

3 de dezembro de 2012

2013, o enigmático ano dos trígonos, ou algumas previsões espirituais [texto completo]


Foto encontrada no blogue «Navegante do Infinito», da minha amiga
Astrid Annabelle [Ma Jivan Prabhuta] com a seguinte legenda:
«... a única sensação que tenho é que estou com os pés na areia...
o resto de mim anda por aí em uma velocidade estonteante... 
e isso me dá ALEGRIA!!!»

Já tinha comentado no Facebook que 2013 seria o ano dos trígonos especiais:

Saturno / Neptuno
Júpiter / Saturno
Júpiter / Quíron
Júpiter / Neptuno

Neste sentido, no início de Novembro, comecei a escrever sobre este tema, da forma habitual em mim, analisando trígono a trígono. Uma canseira, diga-se. E fui escrevendo. Quando cheguei à página 4, já eu estava cansado de mim mesmo e a perceber que o texto não me estava a dar alegria.

O universo é sábio: obrigou-me a interromper o que estava a escrever, atirando para cima de mim uma daquelas gripes terríveis que, num corpo como o meu, já muito castigado e sem grandes defesas físicas internas custam mais a curar [sim, já estou fora de prazo, mas Eles querem-me cá mais um tempinho, lá saberão porquê].

Já ia a três quartos desta gripe e a maior parte da limpeza interna já se efectuara, sobretudo no emocional e mental, e aí foi-me dada a rara oportunidade de vivenciar uma «epifania» [com minúscula e sem acento circunflexo], que é um substantivo que significa «manifestação de Deus ou de uma divindade». Sim, tive uma epifania quanto a estes trígonos de 2013, o que me obrigou a deitar fora tudo o que tinha escrito sobre 2013.

Esta epifania traduziu-se numa visão muito alargada e generalista destes trígonos. O centro de cada trígono acima mencionado passou da dupla de planetas, para um epicentro em que os 4 planetas [e outros, também] irão funcionar como uma grande orquestra a tocarem uma sinfonia cósmica, como que assinadas por Debussy [do signo Virgem], um inovador para a época [princípios do Sec. XX] e que ainda hoje nos deixa perplexos com as suas melodias. Lembro-me da sua «Suite Bergamascque» que eu ouvia em disco vinil nos anos 70 do século passado, assim que regressei da vida militar.

Perceber nesta epifania que Júpiter e Neptuno funcionaram como uma mistura de instrumentos de metais, ou de sopro, aos instrumentos de corda, para controlares as Alturas...

[Este texto, o de cima, já tinha sido publicado aqui no blogue, assim como no Facebook,
pois este ano, no que diz respeito aos meus habituais e textos anuais de
'previsões mundanas'houve grandes mudanças, visíveis para quem ler,
pois claramente, é um texto de 'previsões espirituais',
se o quisermos classificar de alguma maneira.]




Se 2012 foi o ano de todos os desassossegos,
2013 será o ano do sossego.

No entanto, os 'media' já se encarregarão de fazer sentir que tudo continua desassossegado.

Dizia eu mais acima que os planetas envolvidos neste trígono apontam para uma descodificação bem diferente daquela que seria a habitual, 'lendo' trígono a trígono. Essa leitura já será feita por centenas de astrólogos muito competentes e, talvez, a seu devido tempo, abordarei um a um, ao longo de 2013.

A partir de agora, deixarei de mencionar a epifania que vivi, para poder descrever estes trígonos de forma bem simples. Vejamos:

Estão envolvidos 4 planetas lentos num conjunto de vários trígonos. O que interessa perceber é a natureza de cada planeta nesta «estória» celeste.

Neptuno e Júpiter são co-regentes do signo Peixes [os assuntos multidimencionais], sendo Júpiter o regente diurno de Sagitário [os assuntos do céu e talvez o mais próximos seja o centro da nossa galáxia, que corresponde ao centro do nosso universo local Nebadon].

Quíron, que não regendo Vírgem, pertence a este signo pela sua natureza crística, pois é o planeta do «como fazer», apesar das pessoas gostarem muito de olharem para Quíron como o 'curador ferido', que também é, mas não só.

Esta visão exclusiva do 'curador ferido' é muito achatada, unidimensional. Deixa as pessoas contentinhas e pouco mais, sendo curador apenas a nível mental. Enquanto o «como fazer», retira a Quíron qualquer carga espiritual [não é um deus maior dos panteões] e coloca-o no caminho prático e obstinado de ter que levar a alma humana até à sua verdadeira essência. Outro dia poderemos desenvolver melhor esta ideia.

O outro planeta envolvido nestes trígonos é Saturno, regente de Capricórnio e co-regente de Aquário. Hum... Co-regente de Aquário? Será que quer dizer que falaremos mais adiante na Era de Aquário? Talvez. 

Venham comigo para darmos uma olhadela para alguns signos e planetas enquanto regentes esotéricos ou da alma. Assim:


Júpiter é o regente esotérico de Aquário.
Neptuno é o regente esotérico de Caranguejo / Câncer.
Saturno é o regente esotérico de Capricórnio.

Peixes tem Plutão como regente esotérico. 
Virgem tem a Lua como regente esotérico.
Sagitário encontra o seu regente esotérico no planeta Terra.

Terra, o planeta onde vivemos, aqui e agora?
Sim, senhora, esse mesmo.
.
Creio que já começamos a ver ou a intuir a tal sinfonia cósmica, como que assinada por Debussy.

Fazendo uma pequena síntese de um assunto maior: creio que já se percebeu que o ser humano, este ser humano, actualmente reencarnado no planeta, está a ter muitas dificuldades em aceitar as grandes mudanças que ocorrem desde há vários anos, no planeta Terra. Este ser humano, continua em círculos, com dificuldade em os romper e, aparentemente, sem vislumbrar outras saídas.

Repete-se. É sempre o mesmo, sempre o mesmo...
É um padrão, uma repetição.
Este ser humano é exímio em repetir padrões.

Andamos nisto, no mínimo, nos últimos 2.000 anos e, no máximo,
a viagem é bem mais longa, para aí uns 12.000 anos.



O meu convite é para que se olhe para este 2013 como um divisor de águas, pois em termos cósmicos estão abertos os caminhos para as mudanças se efectuarem com o mínimo de convulsões sociais e humanas.

As pistas dos planetas e signos intervenientes naqueles trígonos, dizem-me que:

2013 é o ano do eixo Virgem - Peixes.

O ano do perdão de toda as vidas passadas na Era de Peixes [no mínimo].

É o ano do 33, o Número Mestre da Compaixão, como foi muito bem explicado, aqui, no «Navegante do Infinito». É necessário subirmos até esta vibração do Mestre da Compaixão para conseguirmos olhar para toda a humanidade e percebermos que neste caso especial, ao sentirmos Compaixão, poderemos atingir a liberdade do perdão.

Podem perguntar-me e bem: mas porquê pararmos agora para perdoarmos de uma só vez essas vidas desconhecidas do passado? Porque é imperioso avançarmos para a Era de Aquário, sem amarras e restrições. Ou, pelo menos, MUITO aliviados dessas amarras e restrições.

No fundo, estes trígonos apenas nos dizem que devemos experimentar e integrar todo o sistema político/espiritual, advindo do Grande Plano. Aquele Plano que nos transcende. Aquele Plano que nos fez vir até à vibração mais densa da matéria, para podermos retornar a outras dimensões superiores, libertando-nos dessa densidade.

Essa é uma das razões mais importantes das nossas reencarnações, para todas elas: experimentar e integrar. Experimentar os muitos mapas astrológicos que fomos tendo e integrar no nosso Ser essa aprendizagem, utilizando a Lei do Carma e do Dharma. Já chega de estarmos contentinhos com termos sido o Rei Artur ou a Cleópatra. Mas também já chega de tanto verniz espiritual. É uma canseira.

Agora, depois da longa Era de Peixes, está na hora da humanidade e o próprio planeta mudarem de vagão dentro do combóio e seguirem outro ramal, outro caminho, desta vez em direcção à Era de Aquário. Combinado?

É isto que aquele eixo Virgem - Peixes representa. A mudança de linha de combóio. A mudança de ramal. A mudança de auto-estrada. Sairmos da pesada e adulta Era de Peixes, cheia de culpas e mal-entendido, para nos situarmos num plano mais levezinho, de adolescente, que simplesmente quer estar na 'boa' [supostamente será assim que as novas criaturas se sentirão na era de Aquário].

A propósito de adolescente: já repararam que nos últimos anos as grandes vedetas globais são cada vez mais jovens? Justin Bieber e muitos outros [não vou cansar-vos com nomes]. Em Portugal, também. No Brasil, também. Então, na música sertaneja, abundam numerosos exemplos. Já notaram nos grandes desportistas que estão a surgir em todo o mundo e que já desafiam os mais adultos nos stadiuns deste planeta? Sabem quantas medalhas de ouro, prata e bronze foram dadas em Londres a jovens entre os 16 e os 20? Uma infinidade. E quanto aos Grammy's? Nem se fala. Depois crescem e, ou se mantêm na fama ou, simplesmente desaparecem. Toda esta rapaziada juvenil vem incentivar a que milhões de jovens sejam descontraídos, que funcionem no sistema «na boa» e que validem o futuro dessa maneira. De preferência parecendo e vestindo como adolescentes. Para mim, a Era de Aquário pertence-lhes. Podemos tratar disso em outras ocasiões, se quiserem.

No fundo é isto que aqueles trígonos querem representar. Que chegou o momento de considerarmos que meio caminho já está feito naquela faixa temporal em que se entrelaça o fim da Era de Peixes com o início da Era de Aquário. Apesar de muito se gostar de dizer que não existe tempo, é óbvio que existe, até à quinta dimensão. Na prática, tempo é a vibração da matéria. Caso contrário, não se conseguiria fazer a experiência da matéria. Uma coisa diferente é acreditarmos que o «tempo» é composto de passado, presente e futuro. Isso é outro assunto. Apenas pretendi frisar esta questão, abordando o tema, por ser oportuno.

O Grande Plano do Alto, vindo da fonte de tudo, pretendeu fazer a experiência de se auto-criar em corpos densos: assim é o universo com as suas estrelas, planetas, cometas, gases e todos os objectos celestes. Esta experiência do Grande Plano fez-se densificando a vibração, experimentando e integrando.

Os cépticos dirão: como vai ser possível efectuarmos esta mudança da Era de Peixes para a Era de Aquário? A resposta está aí. Como planeta dual e polarizado, só temos dois caminhos: ou mudamos a bem ou mudamos à cachaporra.

Como o ser humano está mais habituado, desde as longas Eras do passado a que introduzam as mudanças de forma compulsiva, é de esperar que, desta vez, não fuja a esse padrão. Será à cachaporra. Melhor dito: já está a ser à cachaporra. À pancada. À força. Porque as mudanças já começaram.

Tudo porque chegámos a uma época que não dá mais para fingirmos que não acontece nada. Cada Era tem um ciclo temporal [sim, o tempo existe na nossa dimensão, como já afirmei acima] que ronda um pouco mais que 2.100 anos. [Já escrevi sobre isto, aqui.]

Se atinarmos, sem dramas que estamos neste processo de transição desde os anos 40 do século XX, podemos dizer que vivemos uma época em que teremos chegado ao meio caminho, para efectivamente o planeta entrar em plena Era de Aquário.

A partir deste 2013 os que cá ficarem mais 'tempo', terão oportunidade de perceber que cada vez mais irão reencarnar crianças diferentes daquelas que tem havido. Sei perfeitamente que chamam de crianças índigo, cristal, esmeralda, etc. Não aprecio estas designações, pois imediatamente catalogam esses novos seres. Conheço-os bem, pois convivo com alguns, bem de perto. A questão com esses novos seres, reside nos adultos [pais, família, escola, sociedade]. Irão 'estragar' essas crianças, alienando-as com outros factores? Ou saberão fazer a experiência de as integrar em novos conceitos. Aqui, tenho muitas dúvidas.

Se o planeta tem actualmente uns 8 biliões de seres humanos, bem marcados pela Era de Peixes, Era de Carneiro, Era de Touro, etc., é necessário limpar este planeta, caso contrário vai ser muito difícil fazer a experiência da principal Lei do Plano Superior: praticar o AMOR.

E é nesse AMOR que experimentamos a sabedoria em simultâneo com a vontade. Só com novos seres é que se dará a volta a esta situação. Os outros irão por arrastamento. Teremos que saber experimentar vários ciclos: agora estamos com Plutão em Capricórnio e teremos que esperar que chegue a Peixes para quem cá estiver experimentar outras situações bem diferentes das de hoje, mais em consonância com a Era de Aquário.

Este 'amor' que falo não é o amor emocional dos casais, pais e filhos, amor pelos animais. Isso é o 'amor tridimensional', uma aprendizagem para cumprir a Lei Superior do Amor. Vou simplificar dizendo que em dimensões mais elevadas o 'amor' provoca a atracção e o movimento de tudo que é electromagnético. Só assim é que se expande pelos sistemas solares, grupos estelares, galáxias, universos...

Depois de 2012 desassossegado, com grande quadraturas no céu, teremos um 2013 bem sossegado, com trígonos a facilitarem a vida deste planeta.



Convido-vos a fazerem um pequeno exercício, que envolve o nosso
braço e a mão, além de muita imaginação.
Não sou o autor do exercício feito a seguir.
Apenas o adaptei.

Assim:
- Levante o seu braço até à linha do ombro.
- Respire fundo e olhe para esse braço esticado.
- Aproveite e feche a mão.
- Volte a respirar fundo.

Usando os movimentos e a imaginação:
- Usando o punho, circule com a sua mão e imagine que representa o nosso Sol.
- O próprio punho representa o planeta Terra.
- Continuando a movimentar a mão, movimente, também, o seu cotovelo.
- Já estão em acção uma série de músculos que correspondem a movimentos cósmicos.
O universo é som e movimento.
- Esse seu cotovelo representa o Júpiter do futuro, aquele que se transformará em estrela,
em alinhamento com o Sol [mão] e a Terra [punho].
- Não se esqueça de continuar a sua respiração suave e uniforme.
- Continuando pelo braço, chegamos à altura do ombro e podemos começar a movimentar
todo o braço, o punho, o cotovelo e o ombro.
- Imagine por um segundo que esse ombro representa o centro da nossa galáxia, a Via Láctea.
- Agora, se parar os movimentos e mantiver o braço esticado, na direcção do ombro,
perceberá sem nenhuma demora que este sistema intergaláctico, está ligado
ao seu «coração». Bom, na verdade está ligado ao seu «chacra do coração».

É necessário sentirmos que o «chacra do coração» não irradia AMOR.
Irradia, sim, movimento, acção de um plano maior.

Eu próprio tenho dito e escrito muitas vezes: estou aqui a 'irradiar amor'. 
Isso não existe, pois não se pode irradiar aquilo que já é.

Alguém consegue irradiar oxigénio? Claro que não, 
pois se vivemos dentro dessa atmosfera que contém oxigénio.

O mesmo se passa com o AMOR. Ele está. Ele está na atmosfera.

Portanto, irradiamos sim, movimento e acção do PLANO SUPERIOR.
Aqui na terceira dimensão isso chama-se AMOR,
porque temos dificuldade em sintetizar melhor.

Irradiamos a vontade de Deus.

Quando dizemos isto: «Por amor de Deus», de que estamos a falar?
Da «vontade» de Deus.

Tudo porque o «amor» é a primeira Lei do seu Plano.

No entanto, continuemos a dizer: Irradio Amor.

Não tem mal nenhum e é preferível dizer isto que não fazer nada.
O texto foi só para instruir um pouco.



Esta epifania tem um rosto nesta reencarnação:
é a pessoa da fotografia abaixo, que consegue fazer a síntese destes trígonos.
Consegui esta fotografia de 6D... :)))



Passem bem e sejam simpáticos uns com os outros.


Recomendo a leitura das previsões para 2013,
do meu amigo, o astrólogo Marcelo Dalla. Aqui.



36 comentários:

Vera Braz Mendes disse...

Excelente!!!!! Adorei o exercício e vou fazê-lo. Gostei muito da ideia de nept em peixes vir permitir o perdão do que se fez durante a Era de peixes.

Obrigada. Partilharei.

António Rosa disse...

Olá Vera,

Gostei que tivesse gostado. Fiz muitas vezes esse exercício em minhas aulas de astrologia e nem imagina o feedback que havia. As pessoas, simplesmente... iam.

Muito obrigado.

Rosa disse...

OLá Antonio,se vivesse perto de certeza que assistiria as suas aulas.
Muito lindo tudo o que escreveu. e para pessoas pouco esclarecidas é muito bem explicado e simples. Bendita Epifania que O ajudou. Enquanto lia fazia o exercicio e realmente faz todo sentido. Um bem haja.Muita saude e bom ano 2013 para nos ajudar,

oriondeepsky disse...

Olá António!

Antes de mais um grande bem-haja por tudo o que escreve que sigo sempre com satisfação e prazer. A sua incursão para o campo coincidiu com a minha e, sem ter pretensão a que se lembre de mim, a ultima vez que falei consigo foi quando a Astrid esteve no Cristal de Cura. Bom, agora, depois das apresentações :) quero apenas comentar sobre "os trigonos", digo, há anos, embora ninguém me ligue que os trigonos não são assim tão bons, são um bocado "deixa andar que as coisas acontecem na mesma", por isso é que não os acho bons, porque não gosto muito que decidam a minha vida sejam os planetas ou os politicos :), ou seja lá quem for. Costumo defender as quadraturas com "unhas e dentes" e este ano de 2012 mostrou-me isso, espero ter a mesma capacidade no próximo e não me sentar à espera que as coisas aconteçam... porque elas vão mesmo acontecer, para muita gente, como tão bem diz, "à pancada". Posso dizer-lhe que conheço bem (astrologicamente e não só) o eixo Virgem-Peixes, tenho lá os nodos e Saturno.
Quanto ao "amor" tenho uma máxima que: "não é o amor que move montanhas mas sim a vontade", portanto não sei se quero assim tanto esse "sossego" anunciado :) :)
E tento viver esta "Era de Aquário" de janela aberta, nos filhos a quem não deixo rotular, nas quadraturas e nas oposições que essas dependem do que sou capaz de fazer e nos trigonos ... " que os céus me protejam" :) Um beijinho muito grande para si e obrigado por ser quem é.

Neste paragrafo: Era de Peixes deveria ser Era de Aquário, não???

Se atinarmos, sem dramas que estamos neste processo de transição desde os anos 40 do século XX, podemos dizer que vivemos uma época em que teremos chegado ao meio caminho, para efectivamente o planeta entrar em plena Era de Peixes.

Astrid Annabelle disse...

Boa tarde meu querido António.
Li e reli várias vezes....compreendi e experimentei estar em sua mente para sentir as suas palavras na fonte...

Astrologicamente nem me atrevo a palpitar...o que escreves para mim, assim é, não se discute.

Gostei da dica sutil: " [....é um texto de 'previsões espirituais',
se o quisermos classificar de alguma maneira.]
Pois é, sinto que em 2013 não será possível classificar nada justamente porque não teremos parâmetros neste novo paradigma.

Sobre o Irradiar Amor...também uso e igualmente no sentido de movimento... que por sinal fica muito claro com o exercício que sugeriu, excelente! Nada na realidade está parado e muito menos atualmente, e menos ainda daqui para frente...
Estamos espiralando em altíssima velocidade por aí, com isso as matérias mais densas se desprendem, nos tornando cada vez mais leves e sutis....o movimento circular está encerrado.
Quanto à minha foto...!!!!...deixo-lhe um beijo por isso...nem sei o que dizer!!!
Voltarei para ler novamente...gosto de saborear estes seus textos....
Beijão
Astrid Annabelle

António Rosa disse...

Olá Rosa,

Seja bem-vinda a esta casa. Tenho muito prazer em tê-la aqui. Muito agradecido pela suas palavras gentis. Também lhe desejo um bom 2013. Já falaremos.

Beijinho

António

António Rosa disse...

Olá Orion

Fez-se luz: lembrei-me perfeitamente de si nessa tarde, quando a Astrid esteve no Cristal de Cura. Foi uma tarde linda.

Antes de mais, muito agradecido por me ter chamado a atenção do meu erro no texto. Já emendei. Olhe que li 4 vezes antes de o publicar. Duas vezes ontem de manhã e 2 vezes hoje. Corrigi diversas pequenas coisas, mas essa passou-me.

Achei interessante a sua teoria que os trígonos não são grande coisa. Podemos até nem senti-los e comportarmo-nos de forma a parecermos sendo levados. Mas daí a preferir as quadraturas, é mesmo o andar numa corda bamba.

Naquilo que é o ser individual há sempre que atendermos ao livre-arbítrio e aí compreendo e aceito bem que diga que «não sei se quero assim tanto esse "sossego" anunciado :) :)». Não se esqueça que o texto basicamente é virado para amplas multidões da nossa humanidade, que nada podem fazer [nada podemos fazer enquanto colectivo] para mudarmos o «destino» deste Plano Maior.

Um beijinho agradecido muito grande. Foi um prazer manter esta pequenas conversa.

Beijinho

António

António Rosa disse...

Boa atrde, querida Astrid,

Adorei o seu comentário. Muito simpático.

É isso, não vale a pena criar espectativas para 2013, pois será um ano diferente de tudo. Ma snão me esqueço que tudo tem um propósito maior. Este pensamento é reconfortante, pois se não fosse assim, seria caso para ficarmos mito descrentes.

Tem toda a razão, tudo está em movimento, sempre. Só este bocadinho do seu comentário sobre o 'irradiar amor', dizia eu, só este bocadinho, é mais que suficiente para justificar a presença da sua foto no texto como exemplo dos trígonos a experimentar e integrar. Entendeu, agora? :))))) Não é por AMIZADE, mas sim por CONVICÇÃO..

Muitos beijinhos

António


p:S.: tem aqui uma pessoa que esteve presente naquela tarde da Ericeira. :))) Sincronicidades.

Astrid Annabelle disse...

Sim eu vi e li o comentário da amiga que esteve conosco na tarde encantada do Cristal de Cura. Ela com suas filhas...tenho fotos...e as guardo com muito carinho!
Um beijo grande "Orion" {que não me lembro seu nome}!!! Mas visualizo muito bem o seu rosto!
Astrid Annabelle

Astrid Annabelle disse...

Sabe António, a parir daquela tarde no Cristal de Cura, da Luisa Sal, muitas coisa mudaram...foi de fato uma grande iniciação!!!

Mais um beijo por seu carinho de sempre.
Astrid Annabelle

Astrid Annabelle disse...

A PARTIR daquela.... *escrevi errado..perdão...

oriondeepsky disse...

Um beijo do tamanho do mundo para os dois, para a Astrid com todo o carinho pela mulher radiosa que é e para o António só mais uma coisita, eu sei que, no seu caso, quando escreve é para o mundo, eu é só para mim :):) E já agora o nome é Ana Paula Claro, uma fã do <3 dos dois. Ups ! isto parece um pouco lamechas mas é apenas a liberdade que dá viver a Era de Aquário...

António Rosa disse...

Astrid e Orion

É isso mesmo: também me lembro das filhas. Foi mágico.

António Rosa disse...

Essa tarde foi especial. Uma grande iniciação e, de facto, tanta coisa mudou.

Beijinho, Astrid.

Astrid Annabelle disse...

Agora não esquecerei mais Ana Paula Claro!!! Mais um beijo grande.
António, esqueci de agradecer por todos os links neste post...

António Rosa disse...

Ana Paula

Não me parece nada lamechas. Então, temos todo o direito de manifestar o que sentimos.

Muito obrigado.

Não pense que quando eu escrevo é para o mundo. É ao contrário: escrevo só para mim e às vezes conto com a Astrid e peço-lhe que acompanhe mais de perto certo textos (foi o caso deste). a sé sempre para eu próprio aprender ou aprofundar.

Acontece que muitas pessoas se sintonizam naquilo que escrevo e por isso parecer que escrevo para o mundo.

Por exemplo, o exercício deste texto, é daqueles casos em que pensei nos outros e portanto, não foi bem para mim, porque é um exercício que faço desde 2003, mas senti que ira ser lido e de forma muito automática será usado por muitas pessoas, adaptando-o ou não, isso não importa. O que conta mesmo é a ideia de som (a nossa respiração) e movimento (punho, cotovelo e ombro a se articularem, com alinhamento horizontal com o chacra cardíaco. Fazendo-se essa ligação a este chacra é como se fosse uma grande ASA a sair de nós e a elevar-nos. :))

O exemplo é a bébe da primeira foto: tem os braços levantados, o chacra cardíaco activado e com isso limpa os chacras inferiores e igualmente os superiores.

desculpe esta explicação de escrever só para mim.

Um beijinho

Siala disse...

Querido António, este texto é de tal forma extraordinário que vim comentar aqui e não no FB, onde já partilhei! Ainda estou arrepiada, e já imprimi para voltar a ler e reler...ainda estou em fase de digestão e espero vir mais tarde comentar " a sério" :D um beijo enorme!

William Oliveira disse...

António, querido Bruxo Professor,
Saudade de Ti... Aliás saudade de muitos... mas o coracao se liga aqui, nestes tempos de epifania.

Sinto este período todo que já vivemos como a resposta pra todo meu ser... tem muito haver com meu mapa... sem ego, trago-o para mim como tao na pele, no core... como o simbolo dos meus milagres apenas e além. E sou grato a voce também e a todos os Professores.
Geminianamente, nao resisti em comentar antes de ler tudo.

Linda foto em 6D da Ma Jivan Prabhuta!

Vou reler tudo atentamente agora.
Fica meu abraço e minha gratidao registrados aqui.

Grato.

William Oliveira

MARCELO DALLA disse...

Olá querido!
Eis aí uma delícia de texto, como se estivesse conversando conosco, a filosofar e introduzir de leve novos e importantes conceitos astrológicos...
Tudo o que escreveu aqui fez um sentido enorme pra mim. hoje já tô cansado, vou voltar amanhã pra reler e comentar mais.
Grato por tudo, meu amigo!!!!
Namastê

António Rosa disse...

Siala, querida Cristina,

É muito bom ver-te entusiasmada e interessada nestas ideias que não são novas para ti. Tentei manter simples, mas foi um parto difícil, a todos os níveis, incluindo ter tido que ficar com uma violenta gripe.

Beijinho

António

António Rosa disse...


Querido William,

Também sinto saudades dos amigos, mas nas últimas semanas tenho estado muito absorvido com estes assuntos e sei que a partir de hoje estarei mais liberto para voar e estar com os amigos. Oxalá fosse simples (e barato) poder ir até aí e dar-te um grande abraço. Sinto essa saudade.

Grande abraço

António

António Rosa disse...

Querido Marcelo,

Ontem fiquei muito feliz ao saber que a UOL te convidou para publicares a tua coluna diária. Isso vai dar-te uma enome visibilidade, que mereces imenso. Sinto-me terrivelmente orgulhoso de te ter como amigo e de sermos colegas da mesma profissão.

Muito obrigado pelas palavras queridas que deixaste aqui. Prezo muito e fico sempre encantado. Apesar de saber que este texto foi-me praticamente sussurrado cá dentro de mim.

Agora vou viver uma fase de maior descanso pois não me aptece apanhar outra grioe, pois ainda nem me curei completamente desta.

Um abraço,

António

Luma Rosa disse...

António, citei seu texto em resposta a um comentário que a Chica fez no "Luz". O texto lá hoje caminha pelo lado que a pessoa está - se ela está bem, o texto será bem interpretado, do contrário, não irá até o fim; porque as pessoas estão muito presas à matéria. Quando li seu texto a primeira vez, sai bastante emocionada e ainda estou. Um texto inspirador, cheio de esperanças, conselhos e luz. Obrigada!!

António Rosa disse...

Luma Rosa,

Venho agora mesmo do seu lindo blogue. Antes de responder aqui, quis lá ir da rum abraço a si e à Chica,

Adorei o seu texto e as suas palavras à Chica. Também fiquei emocionado.

Muito obrigado. Muito, muito muito.

Beijinho.

Maria Paula Ribeiro disse...

Olá António,

As tuas obras divinas têm ímanes que ecoam até à serra...
Tenho, graças a Deus, seguido cada vez mais o projeto do BandarraVet, mas sempre que possa te leio e agradeço sempre os teus sábios textos..

Bem-hajas Maestro!

Grande abraço e beijinhos! ;)

A fotos 6D é brilhante ;)

António Rosa disse...

Maria Paula,

Muito agradecido pelas tuas palavras generosas.

Beijinho

António

Filomena Nunes disse...

Querido António Rosa,

e assim foi mais uma Epifania.. e agora com MAIÚSCULAS.... que texto excelente!! Cristalino..

Vou reler e, entretanto, deixo aquele abraço terno <3

Filomena



António Rosa disse...

Filomena,

A sua opinião é-me muito confortável. Foi bom saber que tem essa opinião.

Muito obrigado.

António

MARCELO DALLA disse...

Querido amigo Antonio!
Estou muito feliz!!!
Escrevo de Uberlândia, onde passei dias intensos de atendimentos e agora me prepara para uma palestra de astrologia. Vivo o começo de um lindo e pioneiro projeto aqui, o AJNAR - Instituto de Medicina e Espiritualidade, com amigos poderosos e incríveis a trabalhar num curso de formação para profsissionais de cura inédito no mundo (creio eu).

Estamos aqui ancorando os ideais de Aquário, fazendo nosso trabalho, seguindo o caminho do coração. Esta é nossa missão. Estamos em pleno contato com os guias e mestres espirituais através da Umbanda, que nos dão todo o respaldo e orientação.

Sinto que chegamos agora a ver um sonho realizado. Chegamos aqui cheio de marcas e cicatrizes, mas chegamos. Este é mesmo um alvorecer em pleno planalto central do Brasil. Acho que pode fazer uma ideia do que estou dizendo.

Compartilho essa conquista contigo, meu amigo, porque sei que me entende e sei que ficará feliz junto comigo.
Um grande abraço no seu coração

MARCELO DALLA disse...

Acaba de me ocorrer: Gostei do que escrevi aqui e vou partilhar pra todos, quero partilhar essa conquista com muitos amigos também, pois ela pode servir de inspiração! :)
Valeu, querido!!!

MARCELO DALLA disse...

E voltei mais uma vez para agradecer todo o apoio e estímulo que sempre me deu amigo. Grato pelo carinho e pela generosidade que transborda do seu coração!!!!! Sigamos partilhando!!!
:) Namastê

António Rosa disse...

Querido Marcelo,

Fico muito feliz em saber que você está envolvido num projecto tão bonito coo parece ser o AJNAR - Instituto de Medicina e Espiritualidade.

Assim que tiverem textos sobre o assunto terei o maior prazer em divulgar. Nunca somos demais para dar a conhecer projectos dessa natureza. Força.

O apoio sempre terá. Fico imensamente feliz ao sentir que está abrindo o seu caminho. Desde o primeiro momento senti que você era um pessoa muito especial. E o tempo comprova isso.

São os ideais de Aquário a surgirem.

Mesmo bom.

Grande abraço.

MEU DOCE AMOR disse...

Olá:

Gostei imenso de ler e ainda cá virei com mais tempo.

Será que é por tudo isto que anda uma confusão em mim?Mas que confusãoooooo!!!Oxalá que isto passe.Estou fazendo por isso, mas é difícil.

Beijinho doce

Adriana ♣* disse...

Olá Antônio!

Que texto incrível!
Sinto-o muito diferente de todos os outros que já escreveste.
Que bênção!
Com uma epifania dessa, tenho certeza que 2013 já entra com força total para você e conseqüentemente para todos que apreciarem suas palavras.
Isso é mágico!
Desejo de coração tudo de bom e muita saúde!

Um grande abraço,

Adriana

Astrid Annabelle disse...

Somente hoje, dia 15/07/2013, é que a ficha caiu sobre este assunto:
"Esta epifania tem um rosto nesta reencarnação:
é a pessoa da fotografia abaixo, que consegue fazer a síntese destes trígonos."
WOW!!!! cairam lágrimas...
Beijo grande meu querido António!
Está novamente compartilhado no meu FB

Ângela disse...

Caro Sr. António Rosa
GRATA! Hoje escrevo finalmente para lhe manifestar a gratidão que sinto desde há anos.
Tenho lido este seu texto por fases, e vou tentando assimilar aos poucos em termos pessoais. A sua epifania trouxe-me a possibilidade de atar uma boa parte de tantas pontas soltas que trago comigo.
Bem haja pela sua maravilhosa capacidade de ensinar, mostrando-nos com tanta clareza o raciocínio e fazendo-nos raciocinar por nós mesmos.
Cruzamo-nos há uns anos, quando da apresentação do seu livro Signos para a Alma. Nessa altura dava ainda os primeiros passos rumo ao estudo da Astrologia. Hoje continuo a estudar e os seus textos são as minhas grandes referências.
O seu contributo para a aprendizagem desta ciência é enorme. Bem haja! Eles bem sabem porque ainda o retêm aqui.
Um dia destes ainda vou conseguir fazer uma consulta consigo.
Abraço de gratidão
Angela

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates