«Previsão através dos Graus dos Planetas» por Robert Glasscock e Patrícia Azenha Henriques

6 de abril de 2013 ·



Patrícia Azenha Henrique
Seu blogue «Estudante de Astrologia»
Sua página no Facebook, aqui.
Sua página no Google+, aqui.
Página oficial do «Estudante de Astrologia», no Facebook, aqui.
Site profissional «Chave Mística» no Facebook, aqui.
Seu email para consultas: pazenha@netmadeira.com
Sobre as suas consultas, aqui.


«Previsão através dos Graus dos Planetas*»
por Robert Glasscock e Patrícia Azenha Henriques

Patrícia Azenha Henrique: «No passado dia 19 de Fevereiro de 2013 assisti a mais um webinar de grande interesse promovido pelo Kepler College, desta vez apresentado por Robert Glasscock com o título “Using Planetary Degrees”.»



O objectivo deste artigo é servir de base ao Desafio nº2 de Abril 2013 do Grupo de Pesquisas Astrológicas –ASPAS – Associação Portuguesa de Astrologia do Facebook, baseada apenas no primeiro de um total de dez métodos ou técnicas apresentadas no webinar referido e que passo a citar na língua original:

Webinar “Using Planetary Degrees” by Robert Glasscock  – first method (of ten)

1.       The degrees of planets at birth provide practical and metaphysical information at any stage throughout life.

2.       Use one degree = one year to mentally use this techniques (or use the computer programs to more accurately calculate solar arcs)

3.       You may start with any planet in the horoscope. It’s interesting to begin analyzing the planet in the earliest degree

4.       Planetary archetypes are strongly dynamic at the age corresponding to their degree at birth (and some 6 months on either side)

5.       Study the planet’s archetype and degree-age. Include the house(s) it rules and any planet(s) it disposes or rules

6.       Include the planet’s decanate and duad (and houses they rule) for more information, subtlety and detail.

7.       You can multiply (and divide) birth degrees to get additional (older/younger) ages when that planet’s archetype is dynamic

8.       Years or ages when two or more planetary archetypes are simultaneously dynamic by degree multiple are especially significant

9.       Some years, obviously, will be more strongly impacted by planet’s archetype than other years; from major transits, eclipses, for example

10.   The ages shown by planets’ Birth Degrees can be considered Primary Initiations into that Planet’s Archetype. “Initiation” means first full conscious awareness off the archetype, and the age at which the door to its conscious personal awareness and use first opens


De seguida apresento a tradução em português e exemplo prático aplicado ao meu mapa natal para melhor compreensão e para servir de base à sua participação na pesquisa astrológica nº2 do mês de Abril de 2013.

Webinar “Utilizando os graus planetários” por Robert Glasscock – 1º método (de 10)

1.       Os graus dos planetas no momento do nascimento fornecem informação prática e metafísica em qualquer fase da vida

2.       Utilize um grau = um ano para utilizar mentalmente esta técnica (ou utilize o programa de computador para calcular os arcos solares de forma mais exata)

3.       Pode começar por qualquer planeta no mapa natal. É interessante começar a análise pelo planeta com o grau mais pequeno.

4.       O arquétipo do planeta está fortemente activo na idade que corresponde ao grau do planeta no momento do nascimento (e 6 meses antes e depois). Nota acrescentada por mim: entendo que na designação de arquétipo do planeta, Robert se referia ao conjunto que compõe o seu significado universal, essencial e acidental.

5.       Estude o arquétipo do planeta e o seu grau=idade. Inclua a(s) casa(s) e quaisquer planetas que rege/dispõe.

6.       Inclua o decanato e duad do planeta e as casas que regem para mais informação, subtileza e detalhe. Nota acrescentada por mim: Através do exemplo apresentado por Robert, os decanatos a que se refere são divisões do signo em 3 partes iguais de 10 graus cada atribuídas a signos da mesma triplicidade e não a planetas como definido pelos caldeus, sendo o primeiro decanato sempre igual ao do signo, o segundo decanato será o próximo signo do mesmo elemento seguindo a ordem do zodíaco e o terceiro decanato o último e terceiro signo desse elemento. Duad são divisões de um signo em 12 partes iguais, cada um atribuído a um signo, sendo o primeiro duad sempre igual ao do signo em que está e as restantes 11 partes de 2º30’ serão atribuídas aos restantes signos seguindo a ordem do zodíaco. No seu exemplo quando Robert associou as casas na interpretação, utilizou a simbologia das casas que tinham na sua cúspide os signos que se referiam ao decanato e duad do planeta.

7.       Pode multiplicar (e dividir) os graus dos planetas no mapa natal para obter outras idades (mais velho/mais novo) quando o arquétipo do planeta também estará activo.

8.       Anos ou idades, com os seus múltiplos, em que o arquétipo de dois ou mais planetas estejam simultaneamente activos são especialmente importantes.

9.       Como é óbvio, alguns anos terão um impacto mais forte do que outros no arquétipo do planeta, por exemplo devido aos trânsitos e eclipses.

10.   As idades apresentadas pelos graus dos planetas no mapa natal podem ser consideradas iniciações primárias ao arquétipo do planeta. “Iniciação” quer dizer a primeira tomada de consciência completa do arquétipo e a idade em que a porta se abre pela primeira vez para a sua tomada de consciência e utilização pessoal.

Resumindo por palavras minhas [Patrícia Azenha]:

Como outras técnicas em astrologia esta é simbólica e baseia-se na analogia 1º=1 ano. A técnica diz-nos que o grau de cada planeta no mapa de nascimento da pessoa corresponde à idade em anos, em que aquele planeta estará especialmente activo, com toda a simbologia a ele associada, significado universal, essencial e acidental, isto acontece num intervalo de tempo, uma orbe temporal, de 6 meses antes e depois. Os múltiplos do grau serão considerados como idades em que a simbologia que envolve o planeta também estará activa. As divisões do grau serão consideradas como idades em que a simbologia que envolve o planeta também estará activa de alguma forma mas com expressão inferior. As idades em que estejam activados mais do que um planeta serão especialmente importantes. Esta técnica não atua de forma isolada mas é complementar com outras técnicas de previsão em astrologia, como por exemplo os trânsitos.

Apesar de não estar listada, durante o exemplo que Robert apresentou no webinar, também foram tidos em consideração não só planetas mas também outros corpos e pontos do mapa natal, como o grau Ascendente, o Meio do Céu e Quiron.

Uma conclusão interessante desta técnica é que os planetas em graus iniciais dos signos, no grau zero ou 1, e tendo em conta a orbe temporal de 6 meses antes e depois, indicam energias que estão activadas em permanência na vida da pessoa e por isso estão mais realçadas na sua personalidade e vida.

De seguida apresentamos um exemplo prático sobre o modo de abordar a técnica:


De acordo com o ponto 3 Robert diz-nos que podemos começar por qualquer planeta e aconselha-nos a começar pelo que tem o grau numericamente menor, mas eu vou começar pela Lua porque me permite apresentar de forma mais clara a técnica e tornar o texto mais curto.

A Lua está no grau 13º09’ Peixes, que corresponde à idade aproximada de 13 anos e 2 meses. Quando olhamos, pensamos logo em 13 anos. O passo seguinte será estudar o seu significado universal essencial e acidental.

Lua em peixes na 3, rege a 8, aspectos a Mercúrio, Vénus e Saturno. Com 13 anos deu-se a maior mudança familiar na minha vida, divórcio dos meus pais, mudança para a residência dos avós, separação da mãe, separação do irmão, separação do pai, grande instabilidade emocional, medo, angústia, sentimento de perda e de abandono, culpa, crítica, manipulação emocional, mudança total no quotidiano.

Usando os múltiplos do grau, a Lua estaria novamente activa na idade 13+13 = 26 anos (ou mais exatamente 13º09'+13º09'=26º18'), que também é a idade em que Sol estaria activo a 26º07’Balança.

Sol em Balança na 11, rege a 9, aspetos a Urano e Saturno + o referido para a Lua

Com 26 anos comecei a estudar astrologia, terminei a minha licenciatura em engenharia civil e deixei aquele que foi o meu local de trabalho durante 8 anos. Mudei de cidade para exercer a minha actividade profissional na área da engenharia. Na altura já tinha conseguido desde há alguns anos voltar a viver com o meu irmão e com a minha mãe, mas tive que me separar novamente deles, mudar de casa e começar uma fase completamente diferente da minha vida. Esta altura também reacendeu a anterior tensão e separação do meu pai por razões associadas à minha formatura.

 Esta análise teria que ser feita para todos os planetas do mapa.

Espero ter sido clara na apresentação desta técnica e estou ao dispor para qualquer dúvida que ainda persista.

Desejo que considere este desafio à pesquisa astrológica no seu mapa ou noutros mapas à sua escolha, tão interessante quanto eu achei que foi ao tomar conhecimento desta técnica no Webinar de Robert Glasscock.
E não deixe de passar no Grupo do Facebook para deixar o seu testemunho sobre esta técnica.

Boas Pesquisas!

* artigo publicado hoje por mim no blog da ASPAS




Testemunho de António Rosa, do seu mapa pessoal


A minha participação no grupo «Pesquisas Astrológicas», da Aspas,
foi a seguinte:

No dia 3 Abril 2013, às 15:06:

Antes de mais, tenho aqui alguns planetas em graus zero e um, que claramente, não sei interpretar, de imediato, que são:

- Marte, a 0º49' Gémeos, Casa I, conjunções ao Ascendente e a Mercúrio, trígono a Júpiter Rx [1º27'], quadratura a Saturno [0º44'], semi-sextil a Úrano [0º04'], quintil a Plutão, oposição a Quíron.

- Úrano, a 0º04' Caranguejo, Casa II, conjunto a Vénus, semi-sextil a Marte [0º49'], quincúncio a Júpiter Rx [1º27'], sextil a Saturno [0º44'], semi-quadratura a Plutão.

- Saturno, 0º44' Virgem, Casa IV, quintil ao Sol, trígono à Lua, quadratura a Marte [0º49'], quincúncio a Júpiter Rx [1º27'], sextil a Úrano [0º04'], quadratura ao Ascendente, quadratura a Quíron.

- Júpiter Rx, 01º27' Aquário, Casa IX, trígono a Marte [0º49'], quincúncios a Saturno [0º44'] e Úrano [0º04], quindecile a Plutão, trígono ao Ascendente, sextil a Quíron.

=========

- A única coisa que posso destacar de uma fase muito inicial da minha vida é que nasci na ilha da Madeira e com pouquíssimo tempo de vida fui para a ilha de Moçambique com os meus pais, numa viagem de barco, no Pátria, que demorou quase 1 mês, entre as duas ilhas. A minha mãe dizia que fui fazer os 3 meses em Moçambique.

- Tenho Vénus no grau 4º35' Caranguejo, Casa II, e Quíron Rx no grau 4º57', Sagitário, Casa VII, mas não me recordo de nada de especial, excepto que nos meus 4 para 5 anos, dei um valente trambolhão e bati com a parte da sobrancelha esquerda em cima do serrolho de ferro da janela, tendo feito uma ferida feia e que, ainda hoje, 60 anos depois, tenho a cicatriz e falta de pelos nessa zona da sobrancelha. Com 5 anos feitos entrei na educação primária [antiga 1ª classe].

- Mercúrio 9º29' Gémeos, Casa I - Aos 9 anos regressei com os meus pais e uma irmã que entretanto tinha nascido, à ilha da Madeira, naquilo que se chamava 'férias graciosas' que eram concedidas aos funcionários de 4 em 4 anos e que eram prolongadas durante 6 meses. Tive oportunidade de conhecer os avós maternos e vários tios e primos de ambos os lados. Foi uma época memorável e foi lá que o meu pai me bateu pela única vez em toda a vida dele, bem espicaçado por familiares. Mercúrio faz conjunção com Marte, trígono a Neptuno, trígono ao MC, semi-quadratura ao Nodo Norte.

- Com 10 anos feitos [não tenho nenhum planeta nesse grau, o mais próximo é Mercúrio] tive que ir estudar para fora da ilha de Moçambique. Para uma cidade próxima, a mais de 300 kms, chamada Nampula e foi um grande problema para mim, pois era a 1ª vez que estava longe da família por tanto tempo. Só ia passar férias a casa.

- Com 11 anos, nasceu a minha segunda irmã, mas o planeta mais próximo é Neptuno Rx, 12º26' em Balança na Casa V. Patrícia, será aquilo dos 6 meses antes?

- Plutão 14º37' Leão, Casa IV, quintil a Marte, quindecile a Júpiter, semi-quadratura a Úrano - 14 para 15 anos. Do que me lembro com essa idade foram estes quatro grandes acontecimentos:

1) o meu pai encarregou-se que eu tivesse um emprego nas férias de Verão local, na distribuição de botijas de gás. Para um rapaz finório, era difícil ver os outros todos na praia e eu ter que carregar com aquilo. Foi uma bela aprendizagem. O que recebi nesse mês e meio entreguei ao meu pai, que me devolveu na totalidade, em forma de conta bancária quando fiz 15 anos. Era assim, a educação na época.

2) Por iniciativa do Padre Lopes, comecei a ler a Bíblia e, ao mesmo tempo, a pedido dele, iniciei-me no Alcorão, orientado por um imã muçulmano da ilha de Moçambique. Entendo que é o início de um caminho mais esotérico, que foi indo para o espiritual.

3) Li o meu primeiro livro de astrologia. Era brasileiro e muito básico. Guardei-o durante muitos anos. Foi um despertar intenso para esta área, numa altura e numa terra onde não havia como estudar estes temas. Só lendo. Há 50 anos. Sou do tempo de fazer mapas à mão, muito toscos e só perto dos 20 anos é que aperfeiçoei um pouco mais essa técnica com uma amiga na Machava, quando eu era recruta em Boane. Tenho a certeza que hoje em dia não saberia fazer um mapa à mão. :))

4) Tive a minha primeira experiência sexual que foi de meter dó, pois o normal é que eu tivesse sido circuncidado muito mais cedo, anos antes. Eu não sabia, ninguém me explicou e foi terrível. Naquele momento foi um banho de sangue. Fui operado no dia seguinte e durante 2 ou 3 anos tive muito receio de voltar a fazer sexo. Foi preciso apaixonar-me.

- Com 19 anos, o meu pai faleceu em Maio 1970 [1 mês depois fiz 20 anos e 3 meses depois fui para o serviço militar obrigatório durante 3 anos e picos] - Sol 19º55' Gémeos, Casa I, oposição à Lua, quintil a Saturno, sextil ao NN, quindecile a Quíron.

- Saí do serviço militar aos 23 anos. Lua 23º40' Sagitário, Casa VIII, oposição ao Sol, quindecile Mercúrio, trígono Saturno [0º44'], quintil Neptuno, trígono NN. Foi nessa data, também, que fui contactado pel Frelimo, pelo seu lado não guerrilheiro, quando durante o meu serviço militar tinham sido os adversários. Regressei à ilha de Moçambique, onde fiquei pouco tempo, pois fui viver e trabalhar para Lourenço Marques, actual Maputo.

Patrícia, ainda não fiz, mas voltarei novamente aqui, com as contagens no dobro conforme ensinaste e irei ver o que posso acrescentar.

Muito agradecido.

Seguiram-se algumas considerações entre a mentora do desafio,Patrícia Azenha Henriques e eu próprio, mas o essencial do conjunto fica aqui expresso, para permitir que as pessoas aprendam esta nova técnica de 'Previsões através dos Graus dos Planetas'.


.










10 comentários:

William Oliveira disse...
6 de abril de 2013 às 23:00  

Olá António!
Já estou estudando aqui o meu mapa:)))!
Maravilha isto. Como tudo é perfeito e está interligado não é mesmo!?.
Grato pela partilha aqui. Isto vem a calhar com o que estou estudando, tenho me voltado aos estudos pessoais sobre mim.

Um abraço e te desejo um lindo final de semana Amigo Professor!


William

António Rosa disse...
7 de abril de 2013 às 13:49  

Grande abraço, William. Fico sempre feliz ao saber que estás a estudar. O teu futuro será brilhante, se não encurtares caminho, nem desistires.

Abraço amigo

William Oliveira disse...
7 de abril de 2013 às 14:44  

E será brilhante graças a pessoas feito você também que Deus colocou em meu caminho...
Gratidão Bruxo Professor!

Astrid Annabelle disse...
8 de abril de 2013 às 12:59  

Só hoje que vi este seu post meu querido António!
Preciso voltar várias vezes para estudar este tema ...mesmo interessante.

Na mesma idade que você, machuquei minha testa do lado esquerdo, logo acima da sombrancelha. Espetei a cabeça numa lança de grade de jardim...Foi um machucado feio e assim com o seu, tenho a cicatriz até hoje... vez por outra, de acôrdo com o tempo, me incomoda!
Achei essa "coincidência" interessante!

No mais volto aqui para estudar...
Um beijo agradecido para você e a Patrícia!!! Adorei.
Astrid Annabelle

Vera Braz Mendes disse...
8 de abril de 2013 às 19:39  

Bom dia! É muito interessante esta técnica que a Patrícia nos trouxe. Já verifiquei no meu mapa e é surpreendente.

Bjs

Patrícia Azenha Henriques disse...
8 de abril de 2013 às 21:33  

Obrigada por tudo António :) Vamos ver o que o resto do mês nos reserva de mais participações. Mas mesmo que ficássemos por aqui com os teus testemunhos já teria valido a pena. Ainda esta semana conto colocar os resultados da aplicação da técnica num mapa que estou a estudar (de uma celebridade ;))Beijo grande
Patrícia

António Rosa disse...
9 de abril de 2013 às 11:56  

Querida Astrid,

Gostei de saber dessa «coincidência». Muito interessante.

Beijinho

Obrigado

António Rosa disse...
9 de abril de 2013 às 11:56  

Vera

É essa a palavra: «surpreendente».

Um xi,

A.

António Rosa disse...
9 de abril de 2013 às 11:57  

Patrícia,

Ficarei à espera desse projecto. Será muito interessante acompanhar de perto.

Beijinho

A.

Anónimo disse...
26 de janeiro de 2015 às 10:50  

Prezado Antonio, sou brasileira e estudante de astrologia (não pretendo ser astróloga, apenas gosto do assunto). Conheci você pelo site Cova do Urso e Escola Nova Lis. Gosto muito dos seus posts de astrologia, principalmente, quando você fala de sua história. Espero, sinceramente, um dia ter a oportunidade de conhecer você pessoalmente.
Espero, também, que não se assuste com o meu comentário, uma vez que sou carioca e espontânea demais.
Abraço,
Mirthis

6 de abril de 2013

«Previsão através dos Graus dos Planetas» por Robert Glasscock e Patrícia Azenha Henriques



Patrícia Azenha Henrique
Seu blogue «Estudante de Astrologia»
Sua página no Facebook, aqui.
Sua página no Google+, aqui.
Página oficial do «Estudante de Astrologia», no Facebook, aqui.
Site profissional «Chave Mística» no Facebook, aqui.
Seu email para consultas: pazenha@netmadeira.com
Sobre as suas consultas, aqui.


«Previsão através dos Graus dos Planetas*»
por Robert Glasscock e Patrícia Azenha Henriques

Patrícia Azenha Henrique: «No passado dia 19 de Fevereiro de 2013 assisti a mais um webinar de grande interesse promovido pelo Kepler College, desta vez apresentado por Robert Glasscock com o título “Using Planetary Degrees”.»



O objectivo deste artigo é servir de base ao Desafio nº2 de Abril 2013 do Grupo de Pesquisas Astrológicas –ASPAS – Associação Portuguesa de Astrologia do Facebook, baseada apenas no primeiro de um total de dez métodos ou técnicas apresentadas no webinar referido e que passo a citar na língua original:

Webinar “Using Planetary Degrees” by Robert Glasscock  – first method (of ten)

1.       The degrees of planets at birth provide practical and metaphysical information at any stage throughout life.

2.       Use one degree = one year to mentally use this techniques (or use the computer programs to more accurately calculate solar arcs)

3.       You may start with any planet in the horoscope. It’s interesting to begin analyzing the planet in the earliest degree

4.       Planetary archetypes are strongly dynamic at the age corresponding to their degree at birth (and some 6 months on either side)

5.       Study the planet’s archetype and degree-age. Include the house(s) it rules and any planet(s) it disposes or rules

6.       Include the planet’s decanate and duad (and houses they rule) for more information, subtlety and detail.

7.       You can multiply (and divide) birth degrees to get additional (older/younger) ages when that planet’s archetype is dynamic

8.       Years or ages when two or more planetary archetypes are simultaneously dynamic by degree multiple are especially significant

9.       Some years, obviously, will be more strongly impacted by planet’s archetype than other years; from major transits, eclipses, for example

10.   The ages shown by planets’ Birth Degrees can be considered Primary Initiations into that Planet’s Archetype. “Initiation” means first full conscious awareness off the archetype, and the age at which the door to its conscious personal awareness and use first opens


De seguida apresento a tradução em português e exemplo prático aplicado ao meu mapa natal para melhor compreensão e para servir de base à sua participação na pesquisa astrológica nº2 do mês de Abril de 2013.

Webinar “Utilizando os graus planetários” por Robert Glasscock – 1º método (de 10)

1.       Os graus dos planetas no momento do nascimento fornecem informação prática e metafísica em qualquer fase da vida

2.       Utilize um grau = um ano para utilizar mentalmente esta técnica (ou utilize o programa de computador para calcular os arcos solares de forma mais exata)

3.       Pode começar por qualquer planeta no mapa natal. É interessante começar a análise pelo planeta com o grau mais pequeno.

4.       O arquétipo do planeta está fortemente activo na idade que corresponde ao grau do planeta no momento do nascimento (e 6 meses antes e depois). Nota acrescentada por mim: entendo que na designação de arquétipo do planeta, Robert se referia ao conjunto que compõe o seu significado universal, essencial e acidental.

5.       Estude o arquétipo do planeta e o seu grau=idade. Inclua a(s) casa(s) e quaisquer planetas que rege/dispõe.

6.       Inclua o decanato e duad do planeta e as casas que regem para mais informação, subtileza e detalhe. Nota acrescentada por mim: Através do exemplo apresentado por Robert, os decanatos a que se refere são divisões do signo em 3 partes iguais de 10 graus cada atribuídas a signos da mesma triplicidade e não a planetas como definido pelos caldeus, sendo o primeiro decanato sempre igual ao do signo, o segundo decanato será o próximo signo do mesmo elemento seguindo a ordem do zodíaco e o terceiro decanato o último e terceiro signo desse elemento. Duad são divisões de um signo em 12 partes iguais, cada um atribuído a um signo, sendo o primeiro duad sempre igual ao do signo em que está e as restantes 11 partes de 2º30’ serão atribuídas aos restantes signos seguindo a ordem do zodíaco. No seu exemplo quando Robert associou as casas na interpretação, utilizou a simbologia das casas que tinham na sua cúspide os signos que se referiam ao decanato e duad do planeta.

7.       Pode multiplicar (e dividir) os graus dos planetas no mapa natal para obter outras idades (mais velho/mais novo) quando o arquétipo do planeta também estará activo.

8.       Anos ou idades, com os seus múltiplos, em que o arquétipo de dois ou mais planetas estejam simultaneamente activos são especialmente importantes.

9.       Como é óbvio, alguns anos terão um impacto mais forte do que outros no arquétipo do planeta, por exemplo devido aos trânsitos e eclipses.

10.   As idades apresentadas pelos graus dos planetas no mapa natal podem ser consideradas iniciações primárias ao arquétipo do planeta. “Iniciação” quer dizer a primeira tomada de consciência completa do arquétipo e a idade em que a porta se abre pela primeira vez para a sua tomada de consciência e utilização pessoal.

Resumindo por palavras minhas [Patrícia Azenha]:

Como outras técnicas em astrologia esta é simbólica e baseia-se na analogia 1º=1 ano. A técnica diz-nos que o grau de cada planeta no mapa de nascimento da pessoa corresponde à idade em anos, em que aquele planeta estará especialmente activo, com toda a simbologia a ele associada, significado universal, essencial e acidental, isto acontece num intervalo de tempo, uma orbe temporal, de 6 meses antes e depois. Os múltiplos do grau serão considerados como idades em que a simbologia que envolve o planeta também estará activa. As divisões do grau serão consideradas como idades em que a simbologia que envolve o planeta também estará activa de alguma forma mas com expressão inferior. As idades em que estejam activados mais do que um planeta serão especialmente importantes. Esta técnica não atua de forma isolada mas é complementar com outras técnicas de previsão em astrologia, como por exemplo os trânsitos.

Apesar de não estar listada, durante o exemplo que Robert apresentou no webinar, também foram tidos em consideração não só planetas mas também outros corpos e pontos do mapa natal, como o grau Ascendente, o Meio do Céu e Quiron.

Uma conclusão interessante desta técnica é que os planetas em graus iniciais dos signos, no grau zero ou 1, e tendo em conta a orbe temporal de 6 meses antes e depois, indicam energias que estão activadas em permanência na vida da pessoa e por isso estão mais realçadas na sua personalidade e vida.

De seguida apresentamos um exemplo prático sobre o modo de abordar a técnica:


De acordo com o ponto 3 Robert diz-nos que podemos começar por qualquer planeta e aconselha-nos a começar pelo que tem o grau numericamente menor, mas eu vou começar pela Lua porque me permite apresentar de forma mais clara a técnica e tornar o texto mais curto.

A Lua está no grau 13º09’ Peixes, que corresponde à idade aproximada de 13 anos e 2 meses. Quando olhamos, pensamos logo em 13 anos. O passo seguinte será estudar o seu significado universal essencial e acidental.

Lua em peixes na 3, rege a 8, aspectos a Mercúrio, Vénus e Saturno. Com 13 anos deu-se a maior mudança familiar na minha vida, divórcio dos meus pais, mudança para a residência dos avós, separação da mãe, separação do irmão, separação do pai, grande instabilidade emocional, medo, angústia, sentimento de perda e de abandono, culpa, crítica, manipulação emocional, mudança total no quotidiano.

Usando os múltiplos do grau, a Lua estaria novamente activa na idade 13+13 = 26 anos (ou mais exatamente 13º09'+13º09'=26º18'), que também é a idade em que Sol estaria activo a 26º07’Balança.

Sol em Balança na 11, rege a 9, aspetos a Urano e Saturno + o referido para a Lua

Com 26 anos comecei a estudar astrologia, terminei a minha licenciatura em engenharia civil e deixei aquele que foi o meu local de trabalho durante 8 anos. Mudei de cidade para exercer a minha actividade profissional na área da engenharia. Na altura já tinha conseguido desde há alguns anos voltar a viver com o meu irmão e com a minha mãe, mas tive que me separar novamente deles, mudar de casa e começar uma fase completamente diferente da minha vida. Esta altura também reacendeu a anterior tensão e separação do meu pai por razões associadas à minha formatura.

 Esta análise teria que ser feita para todos os planetas do mapa.

Espero ter sido clara na apresentação desta técnica e estou ao dispor para qualquer dúvida que ainda persista.

Desejo que considere este desafio à pesquisa astrológica no seu mapa ou noutros mapas à sua escolha, tão interessante quanto eu achei que foi ao tomar conhecimento desta técnica no Webinar de Robert Glasscock.
E não deixe de passar no Grupo do Facebook para deixar o seu testemunho sobre esta técnica.

Boas Pesquisas!

* artigo publicado hoje por mim no blog da ASPAS




Testemunho de António Rosa, do seu mapa pessoal


A minha participação no grupo «Pesquisas Astrológicas», da Aspas,
foi a seguinte:

No dia 3 Abril 2013, às 15:06:

Antes de mais, tenho aqui alguns planetas em graus zero e um, que claramente, não sei interpretar, de imediato, que são:

- Marte, a 0º49' Gémeos, Casa I, conjunções ao Ascendente e a Mercúrio, trígono a Júpiter Rx [1º27'], quadratura a Saturno [0º44'], semi-sextil a Úrano [0º04'], quintil a Plutão, oposição a Quíron.

- Úrano, a 0º04' Caranguejo, Casa II, conjunto a Vénus, semi-sextil a Marte [0º49'], quincúncio a Júpiter Rx [1º27'], sextil a Saturno [0º44'], semi-quadratura a Plutão.

- Saturno, 0º44' Virgem, Casa IV, quintil ao Sol, trígono à Lua, quadratura a Marte [0º49'], quincúncio a Júpiter Rx [1º27'], sextil a Úrano [0º04'], quadratura ao Ascendente, quadratura a Quíron.

- Júpiter Rx, 01º27' Aquário, Casa IX, trígono a Marte [0º49'], quincúncios a Saturno [0º44'] e Úrano [0º04], quindecile a Plutão, trígono ao Ascendente, sextil a Quíron.

=========

- A única coisa que posso destacar de uma fase muito inicial da minha vida é que nasci na ilha da Madeira e com pouquíssimo tempo de vida fui para a ilha de Moçambique com os meus pais, numa viagem de barco, no Pátria, que demorou quase 1 mês, entre as duas ilhas. A minha mãe dizia que fui fazer os 3 meses em Moçambique.

- Tenho Vénus no grau 4º35' Caranguejo, Casa II, e Quíron Rx no grau 4º57', Sagitário, Casa VII, mas não me recordo de nada de especial, excepto que nos meus 4 para 5 anos, dei um valente trambolhão e bati com a parte da sobrancelha esquerda em cima do serrolho de ferro da janela, tendo feito uma ferida feia e que, ainda hoje, 60 anos depois, tenho a cicatriz e falta de pelos nessa zona da sobrancelha. Com 5 anos feitos entrei na educação primária [antiga 1ª classe].

- Mercúrio 9º29' Gémeos, Casa I - Aos 9 anos regressei com os meus pais e uma irmã que entretanto tinha nascido, à ilha da Madeira, naquilo que se chamava 'férias graciosas' que eram concedidas aos funcionários de 4 em 4 anos e que eram prolongadas durante 6 meses. Tive oportunidade de conhecer os avós maternos e vários tios e primos de ambos os lados. Foi uma época memorável e foi lá que o meu pai me bateu pela única vez em toda a vida dele, bem espicaçado por familiares. Mercúrio faz conjunção com Marte, trígono a Neptuno, trígono ao MC, semi-quadratura ao Nodo Norte.

- Com 10 anos feitos [não tenho nenhum planeta nesse grau, o mais próximo é Mercúrio] tive que ir estudar para fora da ilha de Moçambique. Para uma cidade próxima, a mais de 300 kms, chamada Nampula e foi um grande problema para mim, pois era a 1ª vez que estava longe da família por tanto tempo. Só ia passar férias a casa.

- Com 11 anos, nasceu a minha segunda irmã, mas o planeta mais próximo é Neptuno Rx, 12º26' em Balança na Casa V. Patrícia, será aquilo dos 6 meses antes?

- Plutão 14º37' Leão, Casa IV, quintil a Marte, quindecile a Júpiter, semi-quadratura a Úrano - 14 para 15 anos. Do que me lembro com essa idade foram estes quatro grandes acontecimentos:

1) o meu pai encarregou-se que eu tivesse um emprego nas férias de Verão local, na distribuição de botijas de gás. Para um rapaz finório, era difícil ver os outros todos na praia e eu ter que carregar com aquilo. Foi uma bela aprendizagem. O que recebi nesse mês e meio entreguei ao meu pai, que me devolveu na totalidade, em forma de conta bancária quando fiz 15 anos. Era assim, a educação na época.

2) Por iniciativa do Padre Lopes, comecei a ler a Bíblia e, ao mesmo tempo, a pedido dele, iniciei-me no Alcorão, orientado por um imã muçulmano da ilha de Moçambique. Entendo que é o início de um caminho mais esotérico, que foi indo para o espiritual.

3) Li o meu primeiro livro de astrologia. Era brasileiro e muito básico. Guardei-o durante muitos anos. Foi um despertar intenso para esta área, numa altura e numa terra onde não havia como estudar estes temas. Só lendo. Há 50 anos. Sou do tempo de fazer mapas à mão, muito toscos e só perto dos 20 anos é que aperfeiçoei um pouco mais essa técnica com uma amiga na Machava, quando eu era recruta em Boane. Tenho a certeza que hoje em dia não saberia fazer um mapa à mão. :))

4) Tive a minha primeira experiência sexual que foi de meter dó, pois o normal é que eu tivesse sido circuncidado muito mais cedo, anos antes. Eu não sabia, ninguém me explicou e foi terrível. Naquele momento foi um banho de sangue. Fui operado no dia seguinte e durante 2 ou 3 anos tive muito receio de voltar a fazer sexo. Foi preciso apaixonar-me.

- Com 19 anos, o meu pai faleceu em Maio 1970 [1 mês depois fiz 20 anos e 3 meses depois fui para o serviço militar obrigatório durante 3 anos e picos] - Sol 19º55' Gémeos, Casa I, oposição à Lua, quintil a Saturno, sextil ao NN, quindecile a Quíron.

- Saí do serviço militar aos 23 anos. Lua 23º40' Sagitário, Casa VIII, oposição ao Sol, quindecile Mercúrio, trígono Saturno [0º44'], quintil Neptuno, trígono NN. Foi nessa data, também, que fui contactado pel Frelimo, pelo seu lado não guerrilheiro, quando durante o meu serviço militar tinham sido os adversários. Regressei à ilha de Moçambique, onde fiquei pouco tempo, pois fui viver e trabalhar para Lourenço Marques, actual Maputo.

Patrícia, ainda não fiz, mas voltarei novamente aqui, com as contagens no dobro conforme ensinaste e irei ver o que posso acrescentar.

Muito agradecido.

Seguiram-se algumas considerações entre a mentora do desafio,Patrícia Azenha Henriques e eu próprio, mas o essencial do conjunto fica aqui expresso, para permitir que as pessoas aprendam esta nova técnica de 'Previsões através dos Graus dos Planetas'.


.










10 comentários:

William Oliveira disse...

Olá António!
Já estou estudando aqui o meu mapa:)))!
Maravilha isto. Como tudo é perfeito e está interligado não é mesmo!?.
Grato pela partilha aqui. Isto vem a calhar com o que estou estudando, tenho me voltado aos estudos pessoais sobre mim.

Um abraço e te desejo um lindo final de semana Amigo Professor!


William

António Rosa disse...

Grande abraço, William. Fico sempre feliz ao saber que estás a estudar. O teu futuro será brilhante, se não encurtares caminho, nem desistires.

Abraço amigo

William Oliveira disse...

E será brilhante graças a pessoas feito você também que Deus colocou em meu caminho...
Gratidão Bruxo Professor!

Astrid Annabelle disse...

Só hoje que vi este seu post meu querido António!
Preciso voltar várias vezes para estudar este tema ...mesmo interessante.

Na mesma idade que você, machuquei minha testa do lado esquerdo, logo acima da sombrancelha. Espetei a cabeça numa lança de grade de jardim...Foi um machucado feio e assim com o seu, tenho a cicatriz até hoje... vez por outra, de acôrdo com o tempo, me incomoda!
Achei essa "coincidência" interessante!

No mais volto aqui para estudar...
Um beijo agradecido para você e a Patrícia!!! Adorei.
Astrid Annabelle

Vera Braz Mendes disse...

Bom dia! É muito interessante esta técnica que a Patrícia nos trouxe. Já verifiquei no meu mapa e é surpreendente.

Bjs

Patrícia Azenha Henriques disse...

Obrigada por tudo António :) Vamos ver o que o resto do mês nos reserva de mais participações. Mas mesmo que ficássemos por aqui com os teus testemunhos já teria valido a pena. Ainda esta semana conto colocar os resultados da aplicação da técnica num mapa que estou a estudar (de uma celebridade ;))Beijo grande
Patrícia

António Rosa disse...

Querida Astrid,

Gostei de saber dessa «coincidência». Muito interessante.

Beijinho

Obrigado

António Rosa disse...

Vera

É essa a palavra: «surpreendente».

Um xi,

A.

António Rosa disse...

Patrícia,

Ficarei à espera desse projecto. Será muito interessante acompanhar de perto.

Beijinho

A.

Anónimo disse...

Prezado Antonio, sou brasileira e estudante de astrologia (não pretendo ser astróloga, apenas gosto do assunto). Conheci você pelo site Cova do Urso e Escola Nova Lis. Gosto muito dos seus posts de astrologia, principalmente, quando você fala de sua história. Espero, sinceramente, um dia ter a oportunidade de conhecer você pessoalmente.
Espero, também, que não se assuste com o meu comentário, uma vez que sou carioca e espontânea demais.
Abraço,
Mirthis

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates