Tarantino: 'Django Unchained' - No Brasil: 'Django Livre' - Em Portugal: 'Django Libertado'

21 de dezembro de 2012 ·


Nos E.U.A.: 'Django Unchained' - estreia a 25 Dezembro 2012
No Brasil: 'Django Livre' - estreia a 18 Janeiro 2013
Em Portugal: 'Django Libertado' - estreia a 24 Janeiro 2013

O filme esteve para ser estreado em 18 de Dezembro, mas
foi adiado para o dia de Natal devido
ao luto nacional pelas vítimas do massacre de Newtown, CA, USA.

No entanto, a sua antestreia, ocorreu em Nova Iorque
em 11 de Dezembro, conforme comentamos mais abaixo. É a
cópia desta antestreia que circula entre nós.

Site oficial do filme:
http://www.djangounchained.org

Página do filme no Facebook:
http://www.facebook.com/unchainedmovie

Página do filme na Wikipedia

Para mim é sempre um prazer comentar um filme de Tarantino.
A última vez que o fiz aqui no blogue, foi a quando da estreia do seu anterior filme:

Este post tem inúmeros links a diversos sites sobre os actores.
Espero que apreciem.

Primeiro, o que é óbvio: é um filme de Quentin Tarantino, o que faz com que assistamos a uma peça montada como só os contadores de histórias o sabem fazer. Com uma valente piscadela de olhos aos espectadores cinéfilos. Encontramos todos os ingredientes que dão prazer aos cinéfilos. Quanto ao grande público, duvido que apreciem as minudências de um filme com assinatura. Este está destinado a ser um filme de culto, com muita assistência de espectadores à procura de violência.


Aviso prévio aos amigos brasileiros que estejam menos atentos:
p.f., substitual a palavra 'western' por 'faroeste' e irão entender perfeitamente.
Também se usa em Portugal.

Tarantino, nos seus filmes, arranja sempre maneira de 'falar' de cinema. Neste caso, é a própria natureza do seu filme que evoca os antigos filmes de «western». Mais que um «western», a ideia de Quentin Tarantino foi desde o início fazer o que ele chama um «southern», ou seja, um «western» passado nos Sul profundo dos EUA, com o tema da escravatura a ser apresentado com a estética de um «western spaghetti». A película homenageia a imensa série de fitas do género protagonizadas por 'Django', o pistoleiro interpretado no primeiro desses filme por Franco Nero, o actor italiano que tem uma curta aparição neste filme, mas é uma figura de culto entre os cinéfilos americanos e europeus.



O Filme

Ambientado no Sul dos Estados Unidos, dois anos antes da Guerra Civil, "Django Unchained" é protagonizado por Jamie Foxx, como Django, um escravo cuja história brutal com os seus antigos proprietários, coloca-o frente-a-frente com o caçador de recompensas alemão, Dr. King Schultz  [Christoph Waltz]. Schultz procura por uns violentos irmãos assassinos e Django é o único que pode levá-lo até à sua ambicionada recompensa. O pouco ortodoxo Schultz decide então comprar Django, com a promessa de libertá-lo assim que capturar os irmãos assassinos – mortos ou vivos.



O sucesso leva a que Schultz cumpra a promessa de libertar Django, embora os dois homens optem por não seguirem caminhos separados. Ao invés disso, Schultz decide caçar os criminosos mais perigosos do sul, com Django ao seu lado. Enquanto aperfeiçoa as suas habilidades de caça, Django permanece concentrado no seu único objectivo: encontrar e resgatar Broomhilda [Kerry Washington], a esposa que perdeu para o tráfico de escravos há muito tempo atrás.

As buscas de Django e Schultz acabam por leva-los até Calvin Candie [Leonardo DiCaprio], o proprietário de “Candyland”, uma infame propriedade agrícola em que os escravos são preparados por um treinador para lutarem entre si por desporto.



Ao explorarem a propriedade sob falsos pretextos, Django e Schultz acabam por despertar a desconfiança de Stephen [Samuel L. Jackson], o fiel escravo doméstico de Candie. As suas manobras são descobertas, e uma organização traiçoeira cria um cerco em redor destes. Se Django e Schultz quiserem escapar e levar Broomhilda, necessitam escolher entre a independência e a solidariedade, entre o sacrifício e a sobrevivência…



O titulo do filme originalmente seria «The Angel, the Bad and the Wise» para homenagear o cineasta Sergio Leone, porém Tarantino resolveu mudar o nome para «Djando Unchained» baseado no filme italiano de 1966 «Django» com Franco Nero, que faz uma participação no filme de Tarantino.



Os críticos presentes em Nova Iorque na projecção de novo filme de Quentin Tarantino destacam a sua “mistura de violência extrema e humor espirituoso”. Recuámos três anos e falamos, afinal, de «Inglorious Basterds», o épico de 2009 passado na Segunda Guerra Mundial? Não, estamos em 2012 e o novo de Tarantino, «Django Unchained», não é um filme de guerra. A “mistura de violência extrema e humor espirituoso” que, dizem alguns críticos, pode colocar o realizador de «Pulp Fiction» na rota dos prémios da Academia.

O realizador Peter Bogdanovich, discursando segunda-feira numa cerimónia de homenagem a Tarantino no Museum Of Modern Art, chamou-lhe, cita o New York Times, “o mais curto longo western desde Rio Bravo”. Acrescentou que será provavelmente o melhor filme do realizador. Bogdanovich vira as suas duas horas e quarenta e quatro minutos na noite de domingo, sentado ao lado do seu autor: “Ainda estou a tremer”.



«A estreia americana está marcada para 25 de Dezembro, mas, como se depreende, Django Unchained não será um Do Céu Caiu Uma Estrela, o filme de Frank Capra que é um clássico natalício há gerações. Em 2007, a dois anos de distância de Inglorious Basterds, quando estava ainda ocupado na promoção de À Prova de Morte, a sua homenagem à série B da década de 1970, partilhada com o Planeta Terror, de Robert Rodriguez, Tarantino manifestara, em entrevista ao Daily Telegraph, o desejo de “explorar um tema que, na verdade, ainda não foi abordado”, “Quero criar filmes que lidem com o horrível passado de escravatura da América, mas fazê-los como western spaghetti”, esclareceu, acrescentando que, sendo cinema de género, “enfrentarão tudo aquilo com que a América nunca se defrontou por sentir vergonha”. Cinco anos depois, o resultado é Django Unchained.

O Guardian destacava o frenesim crítico, via Twitter, que se seguiu às projecções do fim-de-semana. Jeff Goldsmith, do site theqandapodcast.com, realçou os “baldes de sangue” e o humor. “A questão racial é abordada, mas diria que de forma não muito controversa. O ritmo e os diálogos são óptimos – definitivamente candidato aos prémios”. O realizador Rian Johnson foi mais conciso: “Django é extraordinário. DiCaprio rebenta a escala”. O jornalista David Erlich, por sua vez, não teve dúvidas: “Uma comédia spaghetti brutalmente hilariante. Melhor filme americano de 2012”.»

Público, 5-12-2012





Críticas ao filme






Os actores / personagens principais da história

O elenco é verdadeiramente de luxo e inclui nomes como Jamie Foxx (o Django do título), Leonardo DiCaprio, Christoph Waltz (oscarizado pelo filme anterior do realizador, «Sacanas sem Lei»), Kerry Washington, Samuel L. Jackson e Don Johnson.




Jamie Foxx como Django


Leonardo DiCaprio como Calvin J. Candie


Christoph Waltz como Dr. King Schultz


Kerry Washington como Broomhilda Von Shaft


Samuel L. Jackson como Stephen


Walton Goggins como Billy Crash


Don Johnson como Spencer 'Big Daddy' Bennett


Franco Nero como Amerigo Vassepi



Quentin Tarantino, o realizador / diretor do filme

Filmes dirigidos por Quentim Tarantino:


«Sacanas Sem Lei», um dos filmes da minha vida, pode ler aqui.

2012 - Django Unchained - Django Libertado
2007 - Grindhouse
2003/4 - Kill Bill (Vol. I & II)
1997 - Jackie Brown
1995 - Four Rooms
1993 - Pulp Fiction
1992 - Reservoir Dogs - Cães de Aluguer

O filme que atirou Quentim Tarantino para a fama,
com a nossa Maria de Medeiros num dos papéis principais.



Opiniões




As músicas do filme


A lista de canções e músicas escolhidas por Tarantino é deveras impressionante. Parece que estamos perante o 'quem é quem' da música do século 20. Segundo se sabe, a maioria das músicas vieram da colecção de discos de vinil da colecção privada do realizador. Confirmem, por favor.

A homenagem ao spaghetti western não surge apenas no título e na participação de Franco Nero. Naturalmente, dada a importância que as bandas sonoras sempre tiveram no cinema de Tarantino, a música reflecte também a natureza de Django Unchained.

E, pela primeira vez, o realizador encomendou música. Assim, entre canções seleccionadas por Tarantino da sua colecção de vinil, com o som da agulha a cair na estria e os ruídos típicos dos velhos discos incluídos, encontramos originais de Ennio Morricone, o compositor que definiu o som dos western spaghetti, e de nomes do hip hop como Rick Ross, John Legend e Anthony Hamilton. Frank Ocean também compôs uma canção para o filme, mas foi recusada por Tarantino.

Em comunicado, o realizador afirmou que a estrela em ascensão do R&B, autor este ano do celebrado Channel Orange, criou “uma balada fantástica, verdadeiramente adorável e poética, sob todos os aspectos, mas simplesmente não havia uma cena para ela”.


1. WINGED
2. DJANGO (MAIN THEME) - LUIS BACALOV, ROCKY ROBERTS
3. THE BRAYING MULE - ENNIO MORRICONE
4. IN THAT CASE, DJANGO, AFTER YOU...
5. LO CHIAMAVANO KING (HIS NAME IS KING) - LUIS BACALOV, EDDA DELL'ORSO
6. FREEDOM - ANTHONY HAMILTON & ELAYNA BOYNTON
7. FIVE-THOUSAND-DOLLAR NIGGA'S AND GUMMY MOUTH BITCHES
8. LA CORSA (2ND VERSION) - LUIS BACALOV
9. SNEAKY SCHULTZ AND THE DEMISE OF SHARP
10. I GOT A NAME - JIM CROCE
11. I GIORNI DELL'IRA - RIZ ORTOLANI
12. 100 BLACK COFFINS - RICK ROSS
13. NICARAGUA - JERRY GOLDSMITH FEATURING PAT METHENY
14. HILDI'S HOT BOX
15. SISTER SARA'S THEME - ENNIO MORRICONE
16. ANCORA QUI - ENNIO MORRICONE AND ELISA
17. UNCHAINED (THE PAYBACK/UNTOUCHABLE) - JAMES BROWN AND 2PAC
18. WHO DID THAT TO YOU? - JOHN LEGEND
19. TOO OLD TO DIE YOUNG - BROTHER DEGE
20. STEPHEN THE POKER PLAYER
21. UN MONUMENTO - ENNIO MORRICONE
22. SIX SHOTS TWO GUNS
23. TRINITY (TITOLI) - ANNIBALE E I CANTORI MODERNI

Fonte: aqui.



Fotos da antestreia em Nova Iorque
no dia 11-12-2012

Passadeira vermelha em alto estilo para a antestreia do novo filme de Quentin Tarantino, «Django Unchained», em Nova Iorque. A antestreia reuniu ainda celebridades como Uma Thurman, ex do realizador e protagonista do seu «Kill Bill», Dakota Johnson, filha de Don Johnson e Melanie Griffith, Liv Tyler, filha de Steven Taylor e Zoe Kravitz, filha de Lenny Kravitz. Olivia Wilde, Ronnie Wood, Salman Rushdie e 50 Cent também marcaram presença neste que foi o grande evento dessa noite em Nova Iorque.


Quentim Tarantino e Uma Thurman,
sua antiga companheira e personagem de alguns dos seus filmes.






Quer ver imagens do filme, seus posters e outras fotos?
Clique aqui e irá parar à secção cinematográfica
da UOL brasileira, chamada Omolete. Aqui.



Outros eventos




Nomeações para os Globos de Ouro



.

6 comentários:

Astrid Annabelle disse...
22 de dezembro de 2012 às 11:40  

Bom dia minha alegria... bom dia António.
Agora eu não posso ler todo este seu post, mas hoje à tarde virei com muita calma ver, ler e clicar em todos os links...
Já sei que está excelente... afinal tem a sua assinatura!!!
beijo
Astrid Annabelle

António Rosa disse...
22 de dezembro de 2012 às 11:52  

Olá Astrid,

Bom dia. Este filme irá transformar-se num clássico e, ao mesmo tempo, num filme de culto para os cinéfilos.

Beijinho, obrigado.

Lucia de Belo Horizonte / MG disse...
22 de dezembro de 2012 às 20:29  

Olá Antonio: Falando em filme, chega o final do ano e chega o tempo de recapitular o filme de nossa vida, agradecendo a Deus pelas conquistas e corrigir nossas imperfeições para que as próximas películas sejam cada vez melhores. No jogo da vida 2013 representa o momento de "passar a régua" que significa limpar a mesa para começar um novo tempo. Que tenhamos novas forças revigoradas e continuemos a formar laços para que possamos tornar o nosso mundo cada vez melhor. Feliz Natal, Lucia

Táxi Pluvioso disse...
23 de dezembro de 2012 às 08:06  

Parece-me que o Tarantino quanto mais dinheiro tem para as suas produções, vai-lhe faltando na imaginação, enfim Hollywood vence.

Venho desejar um BOM NATAL

Astrid Annabelle disse...
23 de dezembro de 2012 às 09:32  

Voltei, li e vi todos os links... incrível o seu trabalho para organizar este post. Parabéns meu querido António.
Quanto ao filme veremos...acredito nas suas previsões!!!
Beijos para um bom dia de domingo, antevéspera de Natal!
Astrid Annabelle

* Edméia * disse...
22 de janeiro de 2013 às 15:59  


*Gostei da expressão «western

spaghetti». Esta afirmação também

foi interessante :

“Uma comédia spaghetti brutalmente hilariante.... "

Brutalmente hilariante é um

grande paradoxo !

*Confesso que Quentin Tarantino

parece ser UM LOUCO !!! Todavia,

já constatei que ás vezes, a

loucura leva a feitos geniais !!!

Quero assistir este filme ! Fiquei

CURIOSA !!! :))

21 de dezembro de 2012

Tarantino: 'Django Unchained' - No Brasil: 'Django Livre' - Em Portugal: 'Django Libertado'


Nos E.U.A.: 'Django Unchained' - estreia a 25 Dezembro 2012
No Brasil: 'Django Livre' - estreia a 18 Janeiro 2013
Em Portugal: 'Django Libertado' - estreia a 24 Janeiro 2013

O filme esteve para ser estreado em 18 de Dezembro, mas
foi adiado para o dia de Natal devido
ao luto nacional pelas vítimas do massacre de Newtown, CA, USA.

No entanto, a sua antestreia, ocorreu em Nova Iorque
em 11 de Dezembro, conforme comentamos mais abaixo. É a
cópia desta antestreia que circula entre nós.

Site oficial do filme:
http://www.djangounchained.org

Página do filme no Facebook:
http://www.facebook.com/unchainedmovie

Página do filme na Wikipedia

Para mim é sempre um prazer comentar um filme de Tarantino.
A última vez que o fiz aqui no blogue, foi a quando da estreia do seu anterior filme:

Este post tem inúmeros links a diversos sites sobre os actores.
Espero que apreciem.

Primeiro, o que é óbvio: é um filme de Quentin Tarantino, o que faz com que assistamos a uma peça montada como só os contadores de histórias o sabem fazer. Com uma valente piscadela de olhos aos espectadores cinéfilos. Encontramos todos os ingredientes que dão prazer aos cinéfilos. Quanto ao grande público, duvido que apreciem as minudências de um filme com assinatura. Este está destinado a ser um filme de culto, com muita assistência de espectadores à procura de violência.


Aviso prévio aos amigos brasileiros que estejam menos atentos:
p.f., substitual a palavra 'western' por 'faroeste' e irão entender perfeitamente.
Também se usa em Portugal.

Tarantino, nos seus filmes, arranja sempre maneira de 'falar' de cinema. Neste caso, é a própria natureza do seu filme que evoca os antigos filmes de «western». Mais que um «western», a ideia de Quentin Tarantino foi desde o início fazer o que ele chama um «southern», ou seja, um «western» passado nos Sul profundo dos EUA, com o tema da escravatura a ser apresentado com a estética de um «western spaghetti». A película homenageia a imensa série de fitas do género protagonizadas por 'Django', o pistoleiro interpretado no primeiro desses filme por Franco Nero, o actor italiano que tem uma curta aparição neste filme, mas é uma figura de culto entre os cinéfilos americanos e europeus.



O Filme

Ambientado no Sul dos Estados Unidos, dois anos antes da Guerra Civil, "Django Unchained" é protagonizado por Jamie Foxx, como Django, um escravo cuja história brutal com os seus antigos proprietários, coloca-o frente-a-frente com o caçador de recompensas alemão, Dr. King Schultz  [Christoph Waltz]. Schultz procura por uns violentos irmãos assassinos e Django é o único que pode levá-lo até à sua ambicionada recompensa. O pouco ortodoxo Schultz decide então comprar Django, com a promessa de libertá-lo assim que capturar os irmãos assassinos – mortos ou vivos.



O sucesso leva a que Schultz cumpra a promessa de libertar Django, embora os dois homens optem por não seguirem caminhos separados. Ao invés disso, Schultz decide caçar os criminosos mais perigosos do sul, com Django ao seu lado. Enquanto aperfeiçoa as suas habilidades de caça, Django permanece concentrado no seu único objectivo: encontrar e resgatar Broomhilda [Kerry Washington], a esposa que perdeu para o tráfico de escravos há muito tempo atrás.

As buscas de Django e Schultz acabam por leva-los até Calvin Candie [Leonardo DiCaprio], o proprietário de “Candyland”, uma infame propriedade agrícola em que os escravos são preparados por um treinador para lutarem entre si por desporto.



Ao explorarem a propriedade sob falsos pretextos, Django e Schultz acabam por despertar a desconfiança de Stephen [Samuel L. Jackson], o fiel escravo doméstico de Candie. As suas manobras são descobertas, e uma organização traiçoeira cria um cerco em redor destes. Se Django e Schultz quiserem escapar e levar Broomhilda, necessitam escolher entre a independência e a solidariedade, entre o sacrifício e a sobrevivência…



O titulo do filme originalmente seria «The Angel, the Bad and the Wise» para homenagear o cineasta Sergio Leone, porém Tarantino resolveu mudar o nome para «Djando Unchained» baseado no filme italiano de 1966 «Django» com Franco Nero, que faz uma participação no filme de Tarantino.



Os críticos presentes em Nova Iorque na projecção de novo filme de Quentin Tarantino destacam a sua “mistura de violência extrema e humor espirituoso”. Recuámos três anos e falamos, afinal, de «Inglorious Basterds», o épico de 2009 passado na Segunda Guerra Mundial? Não, estamos em 2012 e o novo de Tarantino, «Django Unchained», não é um filme de guerra. A “mistura de violência extrema e humor espirituoso” que, dizem alguns críticos, pode colocar o realizador de «Pulp Fiction» na rota dos prémios da Academia.

O realizador Peter Bogdanovich, discursando segunda-feira numa cerimónia de homenagem a Tarantino no Museum Of Modern Art, chamou-lhe, cita o New York Times, “o mais curto longo western desde Rio Bravo”. Acrescentou que será provavelmente o melhor filme do realizador. Bogdanovich vira as suas duas horas e quarenta e quatro minutos na noite de domingo, sentado ao lado do seu autor: “Ainda estou a tremer”.



«A estreia americana está marcada para 25 de Dezembro, mas, como se depreende, Django Unchained não será um Do Céu Caiu Uma Estrela, o filme de Frank Capra que é um clássico natalício há gerações. Em 2007, a dois anos de distância de Inglorious Basterds, quando estava ainda ocupado na promoção de À Prova de Morte, a sua homenagem à série B da década de 1970, partilhada com o Planeta Terror, de Robert Rodriguez, Tarantino manifestara, em entrevista ao Daily Telegraph, o desejo de “explorar um tema que, na verdade, ainda não foi abordado”, “Quero criar filmes que lidem com o horrível passado de escravatura da América, mas fazê-los como western spaghetti”, esclareceu, acrescentando que, sendo cinema de género, “enfrentarão tudo aquilo com que a América nunca se defrontou por sentir vergonha”. Cinco anos depois, o resultado é Django Unchained.

O Guardian destacava o frenesim crítico, via Twitter, que se seguiu às projecções do fim-de-semana. Jeff Goldsmith, do site theqandapodcast.com, realçou os “baldes de sangue” e o humor. “A questão racial é abordada, mas diria que de forma não muito controversa. O ritmo e os diálogos são óptimos – definitivamente candidato aos prémios”. O realizador Rian Johnson foi mais conciso: “Django é extraordinário. DiCaprio rebenta a escala”. O jornalista David Erlich, por sua vez, não teve dúvidas: “Uma comédia spaghetti brutalmente hilariante. Melhor filme americano de 2012”.»

Público, 5-12-2012





Críticas ao filme






Os actores / personagens principais da história

O elenco é verdadeiramente de luxo e inclui nomes como Jamie Foxx (o Django do título), Leonardo DiCaprio, Christoph Waltz (oscarizado pelo filme anterior do realizador, «Sacanas sem Lei»), Kerry Washington, Samuel L. Jackson e Don Johnson.




Jamie Foxx como Django


Leonardo DiCaprio como Calvin J. Candie


Christoph Waltz como Dr. King Schultz


Kerry Washington como Broomhilda Von Shaft


Samuel L. Jackson como Stephen


Walton Goggins como Billy Crash


Don Johnson como Spencer 'Big Daddy' Bennett


Franco Nero como Amerigo Vassepi



Quentin Tarantino, o realizador / diretor do filme

Filmes dirigidos por Quentim Tarantino:


«Sacanas Sem Lei», um dos filmes da minha vida, pode ler aqui.

2012 - Django Unchained - Django Libertado
2007 - Grindhouse
2003/4 - Kill Bill (Vol. I & II)
1997 - Jackie Brown
1995 - Four Rooms
1993 - Pulp Fiction
1992 - Reservoir Dogs - Cães de Aluguer

O filme que atirou Quentim Tarantino para a fama,
com a nossa Maria de Medeiros num dos papéis principais.



Opiniões




As músicas do filme


A lista de canções e músicas escolhidas por Tarantino é deveras impressionante. Parece que estamos perante o 'quem é quem' da música do século 20. Segundo se sabe, a maioria das músicas vieram da colecção de discos de vinil da colecção privada do realizador. Confirmem, por favor.

A homenagem ao spaghetti western não surge apenas no título e na participação de Franco Nero. Naturalmente, dada a importância que as bandas sonoras sempre tiveram no cinema de Tarantino, a música reflecte também a natureza de Django Unchained.

E, pela primeira vez, o realizador encomendou música. Assim, entre canções seleccionadas por Tarantino da sua colecção de vinil, com o som da agulha a cair na estria e os ruídos típicos dos velhos discos incluídos, encontramos originais de Ennio Morricone, o compositor que definiu o som dos western spaghetti, e de nomes do hip hop como Rick Ross, John Legend e Anthony Hamilton. Frank Ocean também compôs uma canção para o filme, mas foi recusada por Tarantino.

Em comunicado, o realizador afirmou que a estrela em ascensão do R&B, autor este ano do celebrado Channel Orange, criou “uma balada fantástica, verdadeiramente adorável e poética, sob todos os aspectos, mas simplesmente não havia uma cena para ela”.


1. WINGED
2. DJANGO (MAIN THEME) - LUIS BACALOV, ROCKY ROBERTS
3. THE BRAYING MULE - ENNIO MORRICONE
4. IN THAT CASE, DJANGO, AFTER YOU...
5. LO CHIAMAVANO KING (HIS NAME IS KING) - LUIS BACALOV, EDDA DELL'ORSO
6. FREEDOM - ANTHONY HAMILTON & ELAYNA BOYNTON
7. FIVE-THOUSAND-DOLLAR NIGGA'S AND GUMMY MOUTH BITCHES
8. LA CORSA (2ND VERSION) - LUIS BACALOV
9. SNEAKY SCHULTZ AND THE DEMISE OF SHARP
10. I GOT A NAME - JIM CROCE
11. I GIORNI DELL'IRA - RIZ ORTOLANI
12. 100 BLACK COFFINS - RICK ROSS
13. NICARAGUA - JERRY GOLDSMITH FEATURING PAT METHENY
14. HILDI'S HOT BOX
15. SISTER SARA'S THEME - ENNIO MORRICONE
16. ANCORA QUI - ENNIO MORRICONE AND ELISA
17. UNCHAINED (THE PAYBACK/UNTOUCHABLE) - JAMES BROWN AND 2PAC
18. WHO DID THAT TO YOU? - JOHN LEGEND
19. TOO OLD TO DIE YOUNG - BROTHER DEGE
20. STEPHEN THE POKER PLAYER
21. UN MONUMENTO - ENNIO MORRICONE
22. SIX SHOTS TWO GUNS
23. TRINITY (TITOLI) - ANNIBALE E I CANTORI MODERNI

Fonte: aqui.



Fotos da antestreia em Nova Iorque
no dia 11-12-2012

Passadeira vermelha em alto estilo para a antestreia do novo filme de Quentin Tarantino, «Django Unchained», em Nova Iorque. A antestreia reuniu ainda celebridades como Uma Thurman, ex do realizador e protagonista do seu «Kill Bill», Dakota Johnson, filha de Don Johnson e Melanie Griffith, Liv Tyler, filha de Steven Taylor e Zoe Kravitz, filha de Lenny Kravitz. Olivia Wilde, Ronnie Wood, Salman Rushdie e 50 Cent também marcaram presença neste que foi o grande evento dessa noite em Nova Iorque.


Quentim Tarantino e Uma Thurman,
sua antiga companheira e personagem de alguns dos seus filmes.






Quer ver imagens do filme, seus posters e outras fotos?
Clique aqui e irá parar à secção cinematográfica
da UOL brasileira, chamada Omolete. Aqui.



Outros eventos




Nomeações para os Globos de Ouro



.

6 comentários:

Astrid Annabelle disse...

Bom dia minha alegria... bom dia António.
Agora eu não posso ler todo este seu post, mas hoje à tarde virei com muita calma ver, ler e clicar em todos os links...
Já sei que está excelente... afinal tem a sua assinatura!!!
beijo
Astrid Annabelle

António Rosa disse...

Olá Astrid,

Bom dia. Este filme irá transformar-se num clássico e, ao mesmo tempo, num filme de culto para os cinéfilos.

Beijinho, obrigado.

Lucia de Belo Horizonte / MG disse...

Olá Antonio: Falando em filme, chega o final do ano e chega o tempo de recapitular o filme de nossa vida, agradecendo a Deus pelas conquistas e corrigir nossas imperfeições para que as próximas películas sejam cada vez melhores. No jogo da vida 2013 representa o momento de "passar a régua" que significa limpar a mesa para começar um novo tempo. Que tenhamos novas forças revigoradas e continuemos a formar laços para que possamos tornar o nosso mundo cada vez melhor. Feliz Natal, Lucia

Táxi Pluvioso disse...

Parece-me que o Tarantino quanto mais dinheiro tem para as suas produções, vai-lhe faltando na imaginação, enfim Hollywood vence.

Venho desejar um BOM NATAL

Astrid Annabelle disse...

Voltei, li e vi todos os links... incrível o seu trabalho para organizar este post. Parabéns meu querido António.
Quanto ao filme veremos...acredito nas suas previsões!!!
Beijos para um bom dia de domingo, antevéspera de Natal!
Astrid Annabelle

* Edméia * disse...


*Gostei da expressão «western

spaghetti». Esta afirmação também

foi interessante :

“Uma comédia spaghetti brutalmente hilariante.... "

Brutalmente hilariante é um

grande paradoxo !

*Confesso que Quentin Tarantino

parece ser UM LOUCO !!! Todavia,

já constatei que ás vezes, a

loucura leva a feitos geniais !!!

Quero assistir este filme ! Fiquei

CURIOSA !!! :))

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates