Entrevista-me - Parte 3

4 de janeiro de 2008 ·

Photobucket

Parte 3 da entrevista a António Rosa feita por vários amigos. Tudo começou, como se explica aqui. Esta entrevista foi publicada no dia 22 Julho 2009 e está dividida em 3 partes: Parte 1 - Parte 2 - Parte 3. Estes postes foram guardados em datas mais antigas, por uma questão de organização interna do blogue.


Pode clicar nos nomes a vermelho para conhecer os blogues.

Photobucket


Como é a sua relação com os blogueiros da Língua Portuguesa fora de Portugal, como nós brasileiros?

Perguntas interessantes. A minha relação com os bloguistas brasileiros é excelente. Você é um exemplo do que acabo de afirmar. Aqui no 'Cova do Urso' não faço distinções com a nacionalidade de ninguém. Eu próprio considero-me um moçambicano com nacionalidade portuguesa. Mantenho uma relação próxima, e com alguns, uma boa relação de amizade. A minha amiga mais antiga no mundo dos blogues é brasileira e chama-se Astrid Anabelle e é uma bloguista de altíssimo nível, com um projecto sério e consistente.

Nota alguma diferença essencial, seja em temática e posicionamento, seja em qualquer outro ponto, entre os blogueiros brasileiros e os lusitanos?

Noto que há uma área temática que parece ser do agrado dos brasileiros, havendo poucos portugueses a tratarem disso: refiro-me àqueles blogues que ensinam a tratar dos blogues (como escrever, widgets, monetização, códigos html, internet em geral, etc.). São muito úteis, se não ligarmos àquela coisa de se ganhar dinheiro com os blogues. Alguns desses blogues são excelentes. Pela simplicidade que demosntram sigo muito os ensinamentos destes dois bloguistas: a e o Adelson. Havendo milhões de blogues em língua portuguesa, imagine o sucesso desta especialização.

Em contrapartida, da parte portuguesa existem blogues especializados nas questões sociais e políticas do nosso país. Muitos são influentes no cenário da actualidade.

Quanto ao resto não vejo que haja grandes diferenças, excepto as próprias de um país enorme como o Brasil com uma população de 200 milhões, e as de um país pequeno, como Portugal, com apenas 10 milhões de habitantes. Portanto, há mais quantidade de blogues brasileiros que portugueses.

Só me falta mesmo dizer que em ambos os países há de tudo: blogues muito bons, outros assim-assim e outros francamente maus. Como em todas as áreas da vida.

Administrar um blog com postagens constantes - e responder todos os comentários - deve consumir uma fatia considerável do seu tempo. Como lida com isso?

Lido muito bem e faço uma cuidadosa gestão do meu tempo. Este assunto já foi abordado por outros leitores. Se fizer o favor de ler toda a entrevista, verificará que nas Partes 1 e 2 este tema já foi abordado. Quanto a responder a todos os comentários que fazem aqui no 'Cova do Urso', faço muita questão que seja assim. Respeito quem não o faça, mas posso garantir-lhe que nesses blogues, eu comento menos do que naqueles que me respondem no seu próprio blogue. Os comentários neste meu blogue é parte mais preciosa do sítio.


Photobucket


Olá António :)! Bom, eu sou daquelas pessoas que gosta de ler nas linhas e nas entrelinhas... Nas linhas diz que o António é uma pessoa fantástica, adorável, cheia de sabedoria e de talentos (que eu estou em pulgas para conhecer um dia :)!) portanto as minhas perguntas vão ser pela negativa: - Qual considera ser o seu pior defeito? - Qual é aquele talento que lhe falta e que gostaria imenso de ter?

Creio que o meu principal defeito é ser preguiçoso. Se eu puder «não fazer», escolho isso. Quanto ao talento que me falta, gostaria de ter ouvido para a música. Não tenho isso. Também estou interessado em conhecê-la a si.


Photobucket


Quando escreves e publicas textos, qual é o objectivo que queres atingir?

Já expliquei isso mais atrás, já não me lembro a quem. Que os textos sejam lidos e entendidos. O objectivo é divulgar a mensagem. Desde anunciar o teu novo blogue até textos mais profundos. A presunção que tenho é divulgar assuntos de natureza espiritual, auto-ajuda, esotéricos e astrológicos. Como geminiano que sou, por vezes escrevo sobre outros temas (cinema, dicas-net, etc.), o que faz do «Cova do Urso» uma salada, que espero seja gostosa.

Escreves textos que não publicas?

Quando escrevo textos, é sempre com a intenção de publicar. No entanto, acontece que algumas vezes não consigo chegar a bom porto com o que escrevo. Ficam no baú a esperar melhores dias. Tenho uma colecção desses textos que nunca foram publicados. Nem sei se os retomarei, algum dia. Shin Tau, são muitos anos de escrita. Por exemplo, ando há mais de um ano às voltas com um texto sobre o dinheiro cristalino.

Neste momento, o que jamais colocarias no teu blogue? ihhihihihihih

Pergunta difícil, pois não gosto de dizer nunca. A natureza do blogue é vasta, e procuro não me afastar dos assuntos que habitualmente trato. Nem sempre é fácil. Por outro lado, há temas pelos quais não sinto nenhum apelo.


Photobucket


Olá António fico curioso em saber como consegue gerir o seu tempo, na blogosfera, ter ainda um blogue como o Cova do Urso, um site de astrologia e mesmo assim ter tempo para dormir? Fico com a ideia que é preciso ter uma disponibilidade quase a 100 por cento.

Olá Rui, muito agradecido pela questão. Se ler o que respondi ao Guntty, encontra aí a resposta. Não se esqueça de um pormenor simples. Tenho 60 anos, uma vida realizada, não tenho filhos nem netos para tomar conta. Há inúmeras tarefas na editora que já não faço, pois há pessoal para isso. Basicamente, enquanto editor, a minha função é «ler» manuscritos. Ler textos, tal como na blogoesfera. Acordo cedo e trabalho 95% do tempo com computador, tanto em casa como na editora. Não tenho chefes a quem responder. E tudo o que faço é com gosto.

O site de astrologia não dá muito trabalho. Já deu, em 2007, quando o criei e em 2008 para o difundir e captar textos de outros astrólogos. Agora, navega em velocidade cruzeiro. O site possui cerca de 2.000 textos, dos quais uns 1500 são meus. Estão disponíveis, já não me dão trabalho. Deram, agora já não dão. nessa fase não tinha nenhum blogue. No site de astrologia, procuro 2 vezes por semana colocar textos na página de entrada. Como já é um acervo apreciável, tenho campo de manobra e vou colocando uns textos novos (meus ou de outros astrólogos) ou aparecem uns textos que já lá estavam no seu interior. Isto para lhe dizer que o site de astrologia, neste momento, não ocupa tanto assim o meu tempo.

O blogue dá-me mais trabalho, é certo. Mas gosto muito do que faço. É preciso uma grande disponibilidade mas não é a 100%, como disse. Parece, mas não é. Por outro lado, escolho sempre distribuir o meu tempo de forma equitativa

Provavelmente o Rui necessita ocupar os seus tempos livres para frequentar a internet (sites, blogues, fóruns, etc.). Eu tenho a sorte de o poder fazer durante todo o dia, pois trabalho por conta própria e sempre agarrado a um computador com internet.

Photobucket


Estive cá a pensar que és uma pessoa que mantém este blog sempre a bombar, não paras nunca, tirando um dia ou outro... A pergunta: Além deste blog ser um imenso prazer para ti, também já o sentiste como uma obrigação, ou um dever dada a grande audiência que sabes ter? Nunca te apeteceu parar? Se te apetecesse paravas? Ou sentes-te de alguma forma pressionado e mesmo que não te apeteça continuas a blogar diariamente?

Olá Patrícia. Gostei muito das tuas perguntas. Mais atrás já expliquei várias situações sobre a minha atitude com este blogue. Visto de fora, pode parecer isso que afirmas, que não paro nunca. Quando me dedicava apenas à astrologia, havia um sentido de compulsão em relação ao 'Cova do Urso'. Não sentia como obrigação, mas uma pulsão. Era como se fosse uma missão que estava metida na cabeça e não pudesse desviar-me. Aos poucos, mas só este ano, é que parei para pensar melhor. E fiz uma análise profunda ao mundo astrológico da blogoesfera. Fruto dessa análise, decidi abrandar com a área astrológica aqui no blogue. Se reparares, aconteceu o mesmo à Escola de Astrologia Nova-Lis. De posts diários, o site passou para 1 ou 2 semanais. Aqui no blogue não foi tão notório, porque comecei a postar outros temas, um pouco como fazes no teu espaço. Os leitores estão bem servidos de astrologia. Basta irem aos marcadores. E vão.

No entanto, tenho consciência profunda que só à minha conta (no site e no blogue) , os leitores em língua portuguesa têm, gratuitamente, entre 1.500 e 2.000 textos. São mais do que suficientes para quem quiser aprender e ouso dizer, aprofundar os seus conhecimentos astrológicos. Isto dá-me tranquilidade, pois em minha opinião (falível, claro), existem 4 ou 5 excelentes blogues em português, exclusivamente dedicados à astrologia, que eu leio com a maior atenção sempre que sai um post novo. Estão todos na lista de linques de astrologia aqui do blogue.
Isso não significa que não escreva sobre astrologia. Mas só quando me apetece ou entenda útil para explicar certas coisas.

Respondendo-te, não me sinto obrigado à tal audiência que falas, porque tenho a noção (sem modéstia) que as audiências deste blogue não são essas coisas que se imaginam. São interessantes, mas nada de especial. Para veres o quão relativo é isto das audiências, apresento-te 2 blogues com mais de 5.000 visitas diárias: «A Pipoca Mais Doce» e «Usuário Compulsivo». O que me agrada mesmo muito, é a quantidade de comentários que existem aqui no blogue. Isto dos comentários é um privilégio. A tertúlia, as ideias, as contra-ideias, o convívio. Isso é muito bom. Vamos alegremente a caminho dos 10.000 comentários. Isso, agrada-me muito. É o blogue a realizar-se.

Se já me apeteceu parar? Abrandar, sim. Parar, ainda não. Não te esqueças que já tenho a experiência de outros blogues anteriores e já passei por isso. Tens reparado que tenho recuperado posts mais antigos? Ou assinalado a existência deles? Não tenho a presunção que os novos leitores vão ver os posts antigos. Um ou outro poderá ter essa curiosidade, mas rapidamente se cansará. Para eu parar de postar, teria que haver uma razão, o que ainda não aconteceu. No passado, já demonstrei que consegui parar e até apagar blogues inteiros. Não o voltarei a fazer. Poderei, eventualmente, dar por terminada a missão do blogue. Mas até ao momento, só me tem dado alegrias e muito prazer.

Já notei que uma vez ou outra passou pela minha cabeça o pensamento que «não» tinha postado nesse dia. No entanto, para isso acontecer, eu teria que esgotar os muitos «rascunhos» que tenho no blogue. E os muitos que tenho no meu blog-teste. E os muitos textos que tenho guardados e que rapidamente se transformariam em posts para o blogue. Se eu quisesse entrar por uma certa linha de citar outros autores, imagina o fácil que seria para mim, devido aos inúmeros livros publicados. Por aí fora. Tenciono continuar a postar com regularidade. =)

Photobucket


O que é que sente, quando tantos blogues o referenciam como um dos blogues mais queridos e estimados da blogoesfera?


Astrid, essa pergunta é complicada de responder. Sabe a resposta, porque o mesmo se passa consigo. É muito querida e estimada na blogoesfera. Gosto de pensar que somos (o blogue e eu) estimados como afirmou. Gosto de pensar que nos referenciam porque aquilo que há para dizer no blogue (e que tem sido dito) cala fundo nas pessoas, que por sua vez, ao serem bem recebidas, e bem tratadas, sentem-se à vontade para interagirem com imensa energia positiva. É um processo de doação mútua.

Recebo esse respeito, porque o pratico com os outros. Isso dá-me conforto. Dá-me ânimo para continuar. Sinto-me sempre agradecido por ter amigos e amigas que gostam de passar por aqui e partilhar connosco o seu tempo, carinho e atenção. Respondendo à sua pergunta, sobre o que «sinto» disto tudo, só posso dizer que isso me alegra muito, me deixa feliz e grato. Mas não é coisa que se pense. Flui naturalmente. É a minha Lua em Sagitário a cumprir-se. =)

Murilo

Murilo Hildebrand de Abreu,

Perguntas do Questionário de Proust.

Qual é sua maior qualidade? Duas: lealdade e sentido de humor.

E seu maior defeito? Preguiça.

A coisa mais importante em um homem? O Amor chamado Integridade.

E em uma mulher? O mesmo que para o homem.

O que você mais aprecia nos seus amigos? O Amor chamado Amizade.

Sua atividade favorita é... Comunicar.

Qual é sua idéia de felicidade? Viver cada momento que passa.

E o que seria a maior das tragédias? Perder um filho. Atraio muito essas situações nas minhas consultas de astrologia.

Quem você gostaria de ser, se não fosse você mesmo? Às vezes, um urso; outras vezes, um poeta.

E onde gostaria de viver? Ushuaia.

E os poetas de que mais gosta?
Tantos: José Luís Borges, Drumond de Andrade, Reinaldo Ferreira... (tantos mais). Também aprecio a sua poesia.

Quem são seus heróis de ficção? Mr. Ripley, Tom Ripley (de Patricia Highsmith).

E as heroínas? Mrs. Dalloway (de Virgínia Woolf).

E os artistas que você mais curte? Muitos, sobretudo da música brasileira e vários portugueses.

Quem são suas heroínas na vida real? As varredoras de ruas.

E quem são seus heróis? Os maratonistas (não lhe disse acima que eu era preguiçoso?)

Quais são os personagens históricos que você mais despreza? Aqueles que entregaram Portugal aos espanhóis.

Agora, já, como você está se sentindo? Cansado. Por isso, cortei algumas perguntas. :)

Photobucket


O que significa o nome "Cova do Urso"? Ou... porquê "Urso"?

O Urso, para além de ser o meu animal xamânico, foi um nome que me foi dado por uma grande amiga, em 1981. É um nome recorrente na minha vida. O 'Cova do Urso' advém daí. É a minha cova, o meu espaço. Só meses depois de ter dado esse nome ao blogue é que percebi, na prática do dia-a-dia, que é um nome invulgar para um espaço na internet, sobretudo, tratando do que trato. O nome chamou muito a atenção. Muitas pessoas fixaram o blogue só por causa do nome. Tornou-se numa mais valia para o reconhecimento do que faço. Aprecio nomes irreverentes e que marquem. Além disso, acho piada quando muitas pessoas se surpreendem com o conteúdo do blogue, pois o nome não encaminha para os temas que aqui trato. Isso, é muito engraçado.

Do que precisa para se sentir seguro e protegido?

Que aquilo que tenho para dizer seja respeitado e, se puder ser apreciado, melhor. Lua em Sagitário. O facto dessa Lua estar na Casa 8 leva-me a tratar dos assuntos que cuido: espiritualidade, esoterismo, astrologia, metafísica. Às vezes exagero muito.

O que é, para si, a felicidade?

Ir fazendo o meu caminho no dia-a-dia. Ainda hoje tive um momento alto de felicidade, na editora, com a rapaziada (no sentido de jovens) que lá trabalham. Foi um momento em que me diverti a valer e isso deixou-me feliz. Simplesmente, rir. Foi muito bom.

Já viu, Hazel, o que conseguiu com a sua proposta de me entrevistarem? lol

susana-belo

Qual acredita ser o propósito da sua vida?

Espero já estar a cumpri-lo, desde há vários anos: passar a mensagem dos temas com os quais me identifico especialmente: espiritualidade, astrologia, esoterismo e metafísica. Por isso, escolhi ter vindo muito antes da maioria das pessoas que frequentam este blogue, para lhes facilitar a vida, usando as «palavras» como forma de dar entendimento à consciência de quem se aproxima - quer como editor de livros esotéricos e espirituais, quer fazendo o que faço em nome próprio.

Se pudesse escolher apenas um momento já vivido para "emoldurar" na "parede das memórias", que momento especial seria esse?

Foram tantos, Susana, pois a minha vida já é longa. Mas talvez possa destacar um momento especial ocorrido há muitos anos: quando me apercebi, pela primeira vez de uma voz dentro da minha cabeça e soube que não era "eu", o que está a neste momento a responder-lhe.

Quem É o António?

Muito difícil de responder. Por ainda estar a conhecer-me. Por isso, sou um estudante de astrologia. Para saber coisas de mim mesmo, até porque durante muitos anos o 'António' foi uma criatura bastante patética. Ultimamente, este estudo de mim mesmo anda a sufocar-me e tenho andado a simplificar. Estou aqui a enrolar a resposta, apenas porque me custa dizer-lhe isto: sou, em simultâneo, um facilitador e um agitador de consciências. É uma síntese suave. 'Facilitador', no sentido de publicar livros, sites de astrologia, espiritualidade, orações. 'Agitador', no sentido de fazer atendimentos de astrologia e propor no blogue temas que têm servido para reflectirmos sobre diversas questões. Não sei se tenho desempenhado bem a minha tarefa nesta reencarnação. Sinto que sou um simples um zelador do Sagrado, do Divino. Ainda me vou arrepender de lhe ter respondido tão francamente.

VooLivre
Este amigo não tem blogue

Qual o maior erro que vc já cometeu na blogsfera?

Avisar com 3 semanas de antecedência do dia e hora em que encerraria um blogue que já tive chamado «Postais da Novalis».

Como foi o processo de descoberta do seu animal xamanico(que acabou virando sua imagem virtual) ?

VooLivre, prefiro manter esse assunto em reserva, pois durou muitos anos, com profundas inquietações pelo meio.

Quais o limites da Astrologia? Onde ela deve parar?

Quando termina o bom senso e o praticante da astrologia consegue aperceber-se disso. Inovar e evoluir em astrologia não significa ‘inventar’, mas sim investigar, aplicar e comprovar. Muitas vezes. Investigar, aplicar e comprovar. Para isso são necessários vários anos de dedicação.

Como na sua opinião a Astrologia influência nossas vidas? E em que escala ocorre essa influência?

A astrologia não influencia as nossas vidas. Nem sequer os astros influenciam. Porque a astrologia simplesmente ‘narra’ possibilidades de acontecimentos dos mapas natais.

O ser humano faz o resto – experimenta as situações. Arquétipos é o que todo o ser humano transporta na sua psique mais profunda.

O que é “Astrologia Cármica” pro Antonio Rosa?

VooLivre, este tema é tão extenso que prefiro deixar para um post próprio e autónomo.

Qual o papel da Astrologia nessa nova era?

Não faço ideia. Estou convicto que enquanto existir humanidade na terceira dimensão (onde comprovadamente funciona), a astrologia estará presente. Suponho que evoluirá, tal como a humanidade também tem evoluído. A astrologia já dispõe de inúmeras ferramentas de análise. Algumas mais irão aparecer. A sua geração já se encarregará de aprofundar estas questões novas.

O que é “espitualidade” pra vc? Quem são os deuses pra vc?

Espiritualidade, para mim, é viver aqui e agora na impermanência, fazendo o que tenho que fazer, sempre de coração aberto. Espiritualidade, para mim, é ter fé em Deus (ou o nome que você quiser usar)

Quanto aos deuses, não sei a quem se está a referir. Não os tenho.


Joana
Esta amiga não tem blogue.

Nunca se zangou com a astrologia ?

:))) Sim, muitas vezes.

Até que ponto acha (ou não) que as ‘formas-pensamento’ criadas a partir da interpretação astrológica podem influenciar (e moldar) o modo como todos vivemos?

Moldam sempre. Influenciam sempre. Se eu estiver a 'ver' uma coisa com medo, já se sabe o que pode acontecer. O oposto também é verdade. 'Saber demais' nem sempre é positivo, excepto se tentarmos estar mais preparados para os eventos que ocorrem na nossa vida e que foram moldados pelas nossas forma-pensamento.

Como se pode atravessar esse ‘plano mental astrológico’?

Com positivismo e alegria de viver, conscientes que tudo é uma experiência a ser vivida.


Luma


Um questionamento: percebe que quando há sugestões que nós acatamos, na prática aqueles que sugeriram não acatam aquilo que os mesmos sugeriram? Ficou confuso, mas é isso!

Luma, não ficou confuso. Percebi perfeitamente. Isso faz parte da natureza humana. Lembrei-me agora daquela frase de Jesus, mais ou menos assim: «faz o que eu digo e não aquilo que eu faço». É mesmo assim. Faz parte. Porque, quando as pessoas apresentam sugestões para os outros seguirem, estão a ver o seu reflexo no espelho, pois é isso mesmo que elas necessitam aprender. Acontece que, muitas vezes, não se enxergam.

Leia mais, aqui:



Entrevista-me - Parte 2

·

Photobucket
Parte 2 da entrevista a António Rosa feita por vários amigos. Tudo começou, como se explica aqui. Esta entrevista foi publicada no dia 22 Julho 2009 e está dividida em 3 partes: Parte 1 - Parte 2 - Parte 3. Estes postes foram guardados em datas mais antigas, por uma questão de organização interna do blogue.

Pode clicar nos nomes a vermelho para conhecer os blogues.

Photobucket


O que é o mundo virtual?

Adriana, não sei porquê, mas não conheço mais ninguém que fizesse essa pergunta, que é oportuna [risos]. Sinceramente, não sei muito bem o que é o mundo virtual. Em termos técnicos, nem a entendo. Se eu nem consigo entender bem o funcionamento dos telemóveis, quanto mais da internet! Limito-me a 'operar' sem ter consciência do que é. Mas posso dizer-lhe como eu 'vejo' o mundo virtual. Para mim, não há mundo 'real', nem mundo 'virtual', no sentido de os vermos como coisas separadas. Assim como não consigo separar a água, o fogo, a terra e o ar. São diferentes matizes da nossa experiência.

O chamado mundo virtual funciona no éter, a dois passos de dimensões superiores. O mundo real e o mundo virtual pertencem ambos à esfera da gravidade. Fora da gravidade não existe mundo virtual. Isto leva-me a concluir que são formas onde nos podemos expressar. No mundo real falo com a família, amigos, clientes, vizinhos, vou à pastelaria e converso com as pessoas. No mundo virtual, faço mesmo, mas de outra maneira, sem a proximidade física dos outros. De resto, usamos os mesmos meios que no mundo real: a fala, a audição, a visão. É tudo muito físico. A nossa cabecinha é que 'acha' que não. Que são coisas diferentes.

Há 10 ou 20 anos nem sonhávamos que nos pudéssemos contactar no éter. O mais próximo disso eram os telefones fixos. Agora, o mundo abre-se de 1000 maneiras diferentes de comunicarmos, convivermos, interagirmos, amarmos e sermos mais felizes. Basta pensarmos nos blogues. Há 3 anos (2006) quase que só podíamos colocar texto e imagens. Hoje, podemos interagir de muitas maneiras.

É a Era de Aquário a começar a expressar-se. E muito virá.


Photobucket


Qual a tua relação com esse mundo virtual, dos blogues, quando não estás escrevendo neles. Pensas neles, programas teus textos ou vais deixando fluir...?

Olá Chica, muito obrigado por deixar esta questão. A minha relação com o mundo virtual é de adesão. Confesso que, em termos virtuais considero-me um 'net addict'. Quanto aos blogues, sou mais de deixar fluir e ir postando o que me vai surgindo. No entanto, tenho sempre uns quantos posts em rascunho, preparados para serem publicados, que uso quando não me apetece escrever. Faço uma programação mínima. Por exemplo, esta super entrevista teve que ser programada. Demorei 5 dias a responder a todos, com intervalo para outras coisas, claro. Deixei passar vários dias sem reler nada e, quando o fiz, cortei, cortei e cortei nas minhas respostas, conseguindo reduzi-las para metade. Mesmo assim, tive que fazer 3 posts.

Admiro muito as pessoas que têm mais do que um blogue para cuidar. Eu não conseguiria, pois ficaria apreensivo. Se cuido do meu cão e dos meus dois gatos e de mim próprio, também devo cuidar do meu blogue, pois é a minha «forma-pensamento» no éter. Acharmos que é apenas um 'blog' e, portanto, sem importância, não é bom, porque é onde plasmamos a nossa forma-pensamento, que por si é co-criadora e responsável por parte da nossa vida. Logo, tem uma importância grande. Se ler a «Parte 1» da entrevista, saberá que eu não cuido apenas do blogue, pois tenho outros sites



Photobucket


O que te comove?

Cris, gosto muito desta tua fotografia. És uma mulher muito bonita. O que me comove? Tenho a minha Vénus em Câncer. Comovo-me com muitas e muitas coisas. Adoro ver filmes mais antigos em casa e, por vezes, fico tão impactado com certas histórias que chego a chorar. Muitos dos teus poemas e as tuas histórias comovem-me. Por isso, gosto tanto de te ler. Aliás, a minha amiga Patrícia Azenha, que já definiu o meu temperamento, em termos astrológicos, diz com muita razão, que eu sou um chorão. Porque me comovo. Mas também tenho Úrano conjunto a essa Vénus, o que quer dizer que depressa limpo as lágrimas e as emoções e sigo em frente. Muito obrigado por me teres dado a oportunidade de falar de mim como um ser humano comum. Beijo.


Photobucket

Guntty, do «Viver ao Sabor do Vento»

Uma pergunta para detectar o nivel de blogger addicted ... eheh - Quantas horas por dia passa a blogar? (blogar não só a escrever posts, como a prepará-los e todo o trabalho de networking relacionado com blogs, visitar, etc) Não precisa de ser nada muito certo, basta um numero por alto. =))

Yes, I'm a blogger addict. Como já expliquei, parte da minha rotina de trabalho é estar na net, a cuidar dos sites e do blogue. Como me conheces, sabes bem que tenho 60 anos e não tenho que cuidar de filhos ou netos. Tenho quem cuide da minha alimentação. A minha maior atenção em casa vai para os animais (1 cão e 2 gatos). Uso muito o micro-ondas para aquecer o meu jantar. Há inúmeras tarefas na editora que já não faço, pois há pessoal para isso. Basicamente, enquanto editor, a minha função é «ler» manuscritos. Ler textos, tal como na blogoesfera. Há 20 anos que faço edição em computador e isso deu-me muito treino para a internet. Praticamente já não sei escrever à mão, pois à excepção de uns apontamentos em reuniões, o que escrevo e leio é basicamente em computador. Na net ou fora dela.

Tudo isto, para te dizer que não sei contabilizar as horas consumidas, enquanto blogger addict, pois tudo se mistura, no sentido de tudo isso ser a minha actividade profissional. Mas são muitas horas por semana. Por outro lado, em muitos anos de vida e de escrita, acumulei muitos textos que me servem para postar no meu blogue, fazendo adaptações.

Levanto-me muito cedo e, contrariamente à maioria das pessoas, é raro eu andar na net pela noite dentro. Entre as 20 e as 21 desligo o computador e descanso, tenho sempre um livro em leitura, vejo filmes, saio e «penso».


Photobucket

Marise Catrine, do «Momentos Recortados»

Qual o principal objectivo quando surgiu a ideia de criar este blog?

Este blogue passou por duas fases. Em 22 de Novembro de 2007, o fórum do site da «Escola de Astrologia Nova-Lis» começou a dar erro técnico ao receber as imagens de mapas astrológicos. Por isso abri o 'Cova do Urso' - só para colocar os mapas das pessoas que andavam no fórum. Em fins de Dezembro 2007 solucionou-se o tal problema técnico, mas vai-se lá saber porquê, nunca apaguei este blogue, que ficou inactivo apenas com alguns mapas astrais.

Nessa altura, o site da Escola de Astrologia Nova-Lis entrou em velocidade cruzeiro e não necessitava da minha atenção diária. Então, lembrei-me do 'Cova do Urso' e apeteceu-me criar um projecto só meu, menos institucional. Inicialmente a ideia era publicar apenas astrologia, mas a 'coisa' foi evoluindo para outros caminhos. A 14 de Fevereiro de 2008 recomecei a blogar no 'Cova do Urso' e estive uns tempos sem ninguém saber de nada, excepto 2 pessoas que me descobriram. Aos poucos, foram chegando pessoas e eu comecei a visitar outros blogues. Estava a retomar o gosto de blogar. Hoje é uma actividade que me dá imenso prazer, além de ter a sorte de se ter criado uma rede de amigos e convivência com quem interajo.

Aqui no blogue, durante meses mantive-me sempre na onda da astrologia, como pode ser confirmado pelo arquivo. No entanto, comecei a ficar sufocado e a querer fazer outros posts, com outros assuntos, outra interacção. Isso deu-se na primeira metade de 2009. É nessa fase que me encontro.

Eu vejo-te como uma alma inspirada, conhecedora, tranquila e feliz. Como se atinge essa "abertura" para com o mundo que nos rodeia?

Não me vejo assim, Marise. Vejo-me como uma pessoa que já viveu 60 anos intensos e foi-se dando uma acumulação da experiência da vida e, por natureza própria, sou um optimista incorrigível, além de me interessar por temas metafísicos, espirituais e de auto-ajuda, além da astrologia, claro. Creio que isto tudo entrou num caldeirão e resultou na pessoa que sou hoje.

Deixa-me dizer-te Marise, que são os teus olhos que me enxergam assim. Muito obrigado. Beijo.


Photobucket

Marisa Shiroto, do «Isa Grou»

Para você, o que significa "a arte de blogar" nos dias de hoje? Ou diga para nós como você define e expressão: "A arte de blogar".

Querida Isa, a 'arte de bogar' para mim, é aquilo que eu faço: publicar textos que considero úteis e que eu próprio gosto, devidamente ilustrados (com o meu gosto pessoal), disponibilizar os comentários, visitar os outros e, sobretudo, lincar. Lincar muito.

Lincar significa dar a voz ao outro. Costumo dizer que a 'arte de blogar é a arte de lincar'. É uma escola de pensamento, como outra qualquer. Lincar é a arte de sermos generosos, de reconhecermos a qualidade do outro, de nos revermos, de amarmos. Lincar é citar. Lincar é estar com todos, é viver o colectivo. Lincar é dizer ao outro que o/a amo.

Lincar atrai linques dos outros, atrai a sua generosidade, o amor dos outros. O «Cova do Urso» é hoje relativamente conhecido porque linca muito. Esta entrevista também é um exemplo disto que digo: todas as pessoas que fizeram as perguntas e que tenham blogue, aproveitei a oportunidade para fazer o linque. É por isso que em todas as entrevistas que faço, tenho sempre aquela pergunta 'quais os blogues que mais aprecia e o que aprendeu com eles'. É uma enorme oportunidade para lincar, em nome dos meus entrevistados. Um exemplo da arte de lincar, pode ser lido neste post da Luma.

A minha lista de blogue «Comunidade» é um exemplo do que falo: são dezenas de blogues lincados. Se gosto de um blogue, linco-o ao «Cova do Urso». Não estou nem aí se eles me lincam. Também tem acontecido o oposto: descobrir blogues que não conhecia e verificar que há um linque para este blogue. Neste caso, linco-o, também e, informo que o fiz. É uma comunidade que, de alguma maneira, vai criando um Anel do Coração no mundo virtual e real.

Sei que os linques tornam um blogue mais lento, demorando a fazer o download, podendo fazer com que potenciais leitores se afastem, por acharem que perdem tempo, estando à espera que o blogue apareça na sua totalidade. Paciência, nada posso fazer para agradar a essas pessoas.

Leia mais, aqui:


Entrevista-me - Parte 1

·

Photobucket
Parte 1 da entrevista a António Rosa feita por vários amigos. Tudo começou, como se explica aqui. Esta entrevista foi publicada no dia 22 Julho 2009 e está dividida em 3 partes: Parte 1 - Parte 2 - Parte 3. Estes postes foram guardados em datas mais antigas, por uma questão de organização interna do blogue.

Pode clicar nos nomes a vermelho para conhecer os blogues.

Photobucket

Marcelo Dalla, do «Dalla Blog»

Eu tenho uma pergunta: a mesma que faz a todos que entrevista. Como começou a idéia de criar um blog? Conte um pouco da sua história.

Marcelo, fui bem apanhado. Conheci a blogoesfera em 2000, mas era quase toda em língua inglesa e eu estava nessa altura (2000 a 2003) a criar os fundamentos da minha editora e não dispunha de tempo para quase nada. Quando começaram a surgir os primeiros blogues em língua portuguesa, em 2003, interessei-me ainda mais e comecei a acompanhar mais de perto, mas só em 2005 é que me atrevi a entrar na blogoesfera.

Desde 2003 que tenho estado envolvido na criação de projectos para a internet. Sites e blogues. A diferença entre ambos os modelos é a interacção dos leitores. Nos blogues podemos deixar comentários e no sites, não. Você e eu somos uns felizardos, pois temos sempre amigos e leitores que comentam nos nossos blogues. Posso garantir-lhe que a maioria dos blogues, em qualquer idioma, ou não recebem comentários ou são escassos.

Para que tenha uma ideia sobre a minha actividade na internet desde 2003, criei estes projectos: já vamos no segundo site da editora «Anjo Dourado» (que antes era conhecido por «Livros Novalis», uma marca nossa). Os sites «Nave Lusitânia» (com textos espirituais de vários autores), «Orações de Sempre» e um site de textos que já não existe. Também criei um site exclusivo para os meus cursos presenciais de astrologia. O material desse site foi posteriormente usado no nosso site «Escola de Astrologia Nova-Lis».

Aproveitei a noite de Natal de 2005 para criar o meu 1º blogue, o «Postais da Novalis». O nome derivava da marca da minha editora: 'Livros Novalis'. Entendi que era uma continuação do que eu fazia no meu dia-a-dia. Esse blogue funcionou como uma plataforma atractora, pois quase que não havia blogues em português a falarem de assuntos que hoje em dia são normalíssimos. Havia todo o género de blogues, mas não os de natureza espiritual-esotérico-astrológico-metafísico. Havia a Astrid e a Onda Encantadam que começou em 2005. Foi um blogue bem sucedido.

Ao começar a fazer postes de astrologia no «Postais da Novalis» percebi que havia leitores específicos para este tema e que não se juntavam aos leitores dos restantes temas. Tal com ainda hoje acontece. Uma pessoa interessada em astrologia não significa que se interesse por espiritualidade. O contrário, também.
Não quer dizer que não haja leitores comuns. Em 2006 criei um blogue secundário, que funcionava inicialmente na esfera do «Postais da Novalis», a que dei o nome de «Astrologia para Todos», mas depressa se emancipou e veio a integrar o site «Escola de Astrologia Nova-Lis». Há pessoas que conhecem este percurso: a Astrid, a Lucy, a Pitanga, a Onda Encantada, a Magda, e a Clotilde. E outras pessoas.

Quanto a visitantes desses blogues havia um abismo a separá-los. O «Postais da Novalis» tinha imensos visitantes 'reais' diários, enquanto que o «Astrologia para Todos» tinha sobretudo, visitantes vindos de pesquisas feitas no Google. Ou seja, os 'reais', eram aquelas pessoas que tinham marcado o «Postais» nos seus favoritos ou lincado nos seus blogues e vinham visitar especificamente o que se escrevia e comentava, havendo amenas cavaqueiras, como hoje há no «Cova do Urso».

Entre Novembro e Dezembro de 2006 comecei a pensar em criar um site de astrologia, com o material que tinha no «Astrologia para Todos» e no tal antigo site exclusivo para os meus alunos. Essa ideia ia tornando-se cada vez mais premente. Por isso tomei a decisão de encerrar o «Postais da Novalis» e anunciei o seu apagamento com antecedência, com dia e hora marcada - para 5 Fevereiro 2007. Nunca mais voltarei a fazer isso. Nem apagarei, nem anunciarei o fim de nenhum blogue. Recomendo que se faça apenas isto: um último post a 'encerrar' a actividade, fechando também a zona de comentários. Para que as 'energias' não negativizem. Para que não se torne num 'filho' abandonado.

Criei o site da «Escola de Astrologia Nova-Lis» e quando já estava em velocidade cruzeiro, na minha condição de 'blogger addicted' retomei a actividade com o «Cova do Urso» em Novembro de 2007. Entretanto, já em 2008, criei o segundo template da Escola.

No 1º post deste blogue e no botão no topo 'Sobre mim' podem ser lidas mais situações sobre a minha relação com a blogoesfera e a internet em geral.


Photobucket

Qual o teu objectivo principal em "blogares", o que pretendes com o blogue?

Sempre foi o mesmo, Paula, quer nos sites quer nos blogues. A única diferença entre sites e blogues é haver ou não a interacção dos leitores, deixando comentários. Hoje em dia, muitos sites permitem isso. Respondendo ao que perguntas: pretendo sempre o mesmo, disponibilizar textos nas áreas em que me movimento e que facilitem a vida das pessoas nas suas crenças e práticas espirituais. Apenas isso. Quer nos sites, nos blogues, na editora, nos cursos de astrologia, nas palestras, etc. Sempre e apenas isso. Mensagens para um maior nível de consciência. Mensagens que se enquadrem no processo evolutivo de cada um. Eu limito-me apenas a ser o mensageiro.

Photobucket

Ana Cristina, do «Astrologicamente»

Pensa que o blogue (moda) está em ascensão ou ao contrário? Como vê o futuro da actividade bloguista? Considera todos os seus muitos seguidores :-) como seguidores fieis?

Ana Cristina, creio que a blogoesfera em geral está em ascensão. Obviamente, que haverá sempre pessoas que criarão os seus blogues por pensarem que a 'coisa' está na moda. No entanto, estas pessoas, passado pouco tempo, desistem e abandonam os seus blogues. Deixo um aqui um exemplo de um blogue com uma vida muito curta (1 mês) e aparentemente criado por ser moda, sem nenhum propósito especial. :) Haverá sempre quem o faça por 'moda', mas a tendência é serem abandonados.

O processo bloguístico está em franca ascensão. Isso não significa que, em todo o mundo, inúmeros blogues não se fiquem pelo caminho. Como sempre, os blogues que tiverem qualidade e um propósito, permanecerão. Os que ficam é porque tinham algo a passar aos leitores.

Como sabe, aquilo que hoje chamamos de blog surgiu em 1997, e era muito complicado operar. O primeiro blog de Portugal foi criado em 1999. Entretanto, uma empresa americana [Pyra Labs] criou a plataforma 'blogsopt', mais tarde conhecida como Blogger. No ano 2000, já era um fenómeno que atingia os mais inovadores na internet, havendo milhares de blogues em todo o mundo. O Google, em 2003, ao adquirir o Blogger, elevou a fasquia. Hoje existem milhões de blogues. Conheço alguns blogues em língua portuguesa, que ainda existem e que foram criados em 2003.

Quanto à sua pergunta sobre o futuro da actividade bloguista, vejo que se vai consolidar cada vez mais. Cada vez mais sofisticados e com muita flexibilidade de funcionamento. Muitos blogues já são considerados de referência nas suas áreas. O seu, por exemplo, já é uma referência na área da astrologia. Parabéns. A importância dos blogues já acontece hoje, veja-se a disputa entre imprensa e blogues. Veja-se também a televisão [o media que anda sempre a reboque dos outros, pois tem que agradar a massas muito numerosas] que já tem como comentadores, alguns dos bloguistas de sucesso em Portugal. O mesmo se passa em outros países. Portanto, a blogoesfera tornou-se num social media de natureza horizontal - apreciamos e podemos comentar. São parte dos novos relacionamentos. Os social media funcionam por identificação. Eu identifico-me com o seu blogue e vou lá ler e aprender. É uma referência pessoal.

Sobre os seguidores fiéis, está a referir-se àquele widget do Google onde aparecem os avatares dos seguidores? [risos] Não são nada fiéis. Nem têm que o ser. Não considero isso como forma de fidelizar leitores. Não passam de formas interessantes de interactividade. No entanto, tenho conhecido blogues muito interessantes, usando os 'seguidores' dos outros e muitos dos que aportam, também. Já reparou que no meu perfil não aparece nenhuma lista de blogues que eu sigo? Muito obrigado pelas suas perguntas, pois são temas que me interessam. Sabe como é: Gémeos com Ascendente Aquário.


Photobucket

Se deixasse de escrever no seu blog achava que iria fazer muita diferença na sua vida? Por favor, diga porquê.

Sim, faria muita diferença. No entanto, como a Adelaide sabe, conseguimos adaptar-nos a todas as circunstâncias, pelo que acabaria por fazer outras tarefas. trabalhar com a internet (sites e blogue) é uma das minhas actividades principais, hoje em dia, por ser uma parte da minha tarefa diária. Mais atrás desenvolvo vários assuntos que se encaixam nesta resposta. Para mim, este blogue é uma de várias ferramentas que utilizo para passar uma mensagem.

Photobucket



Quando era pequenino, qual era o seu grande sonho?

Ser pescador. :) Eu vivia numa ilha muito pequena e o horizonte era o mar e os pescadores. Imagem aqui.


Photobucket


Olha, tenho muita curiosidade em saber como eram as tuas brincadeiras de menino, pode ser? Ando cá numa de nostalgia e sabem-me bem as histórias de infância dos meus amigos.

Eram as brincadeiras próprias dos anos 50: sem tv, jogos de computador ou telemóvel e as coisas modernas que existem desde há uns anos. Eram , sobretudo, brincadeiras na rua e no quintal da casa e também na praia, pois eu vivia na ilha de Moçambique. Foi uma infância prazenteira, sobretudo ao ar livre. Beijo.


Por favor, se quiser, deixe o seu comentário
no post de entrada, clicando aqui.



Divulgação do Cova do Urso

3 de janeiro de 2008 ·

Se você quiser divulgar o 'Cova do Urso' no seu blog/site/fórum, copie o código do botão e informe-me por email - covadourso@gmail.com. Ou então, deixe um comentário e o endereço do seu blogue. Aceitam-se e analisam-se parcerias.





Entrevistas «Anel do Coração» - índice por blogues

2 de janeiro de 2008 ·



Entrevistas «Anel do Coração» índice por blogues:



Entrevistas «Anel do Coração» - índice por autores

·




Faço minhas, as palavras da Maria Lúcia Campos (aqui):

«A impressão que dá é que conheço vocês melhor do que muitas das pessoas com quem convivo há anos (e põe anos nisso, rsss). Honestidade, abertura, não esconder nem se esconder... ficamos íntimos. É uma coisa de alma, afinidade no sentimento. E daí a aproximação é inevitável, formou-se uma rede, malha... melhor dizendo, um anel. Um anel metafórico que une circularmente os pontos equidistantes de um centro, os raios. E quando de dentro de cada um vem sua verdade própria, todas as cores ficam representadas, todas são válidas. E o anel brilha cada vez mais.»


Entrevistas «Anel do Coração» - por autores:

Adriana Canova - Dimensões Internas - Monólogo Amoroso











Lista de blogues

1 de janeiro de 2008 ·

Caro leitor, se verificar que o seu blogue nesta lista, está mal classificado, ou se notar que está em falta, por ter o 'Cova do Urso' na sua lista e o seu não estar aqui, ou por outro motivo qualquer, não hesite, escreva-me para o email covadourso@gmail.com. Se, simplesmente quiser entrar na lista é só dizer. Se, pelo contrário, quiser sair, também é só dizer.

Neste momento estou a usar um widget que serve para «apanhar» todos os blogues que têm links do 'Cova do Urso'. Esse widget está no final da barra lateral direita e dei-lhe o nome de 'Os que se aproximam'. Tem sido de uma enorme utilidade. Ainda vai ficar mais umas semanas, antes de ser retirado. É assim, que tenho estado a encontrar os blogues para construir a minha nova «Lista de blogues».

Lista de blogues
ainda em construção, pelos motivos indicados acima

Arte / Poesia / Narrativa
Astrologia
Auto-ajuda / Espiritualidade / Terapias / Esoterismo / Tarô
Energia Vital
Engenharia da Ascenção (downloads de André Louro de Almeida)
Era do Entendimento
Ecologia, Ambiente, Clima, Sustentabilidade, Vegetarianismo
Entretenimento (cinema, tv, música, etc.)
Filhos / Crianças
Gastronomia
Generalistas / Pessoais
LGBT
Técnicos

4 de janeiro de 2008

Entrevista-me - Parte 3

Photobucket

Parte 3 da entrevista a António Rosa feita por vários amigos. Tudo começou, como se explica aqui. Esta entrevista foi publicada no dia 22 Julho 2009 e está dividida em 3 partes: Parte 1 - Parte 2 - Parte 3. Estes postes foram guardados em datas mais antigas, por uma questão de organização interna do blogue.


Pode clicar nos nomes a vermelho para conhecer os blogues.

Photobucket


Como é a sua relação com os blogueiros da Língua Portuguesa fora de Portugal, como nós brasileiros?

Perguntas interessantes. A minha relação com os bloguistas brasileiros é excelente. Você é um exemplo do que acabo de afirmar. Aqui no 'Cova do Urso' não faço distinções com a nacionalidade de ninguém. Eu próprio considero-me um moçambicano com nacionalidade portuguesa. Mantenho uma relação próxima, e com alguns, uma boa relação de amizade. A minha amiga mais antiga no mundo dos blogues é brasileira e chama-se Astrid Anabelle e é uma bloguista de altíssimo nível, com um projecto sério e consistente.

Nota alguma diferença essencial, seja em temática e posicionamento, seja em qualquer outro ponto, entre os blogueiros brasileiros e os lusitanos?

Noto que há uma área temática que parece ser do agrado dos brasileiros, havendo poucos portugueses a tratarem disso: refiro-me àqueles blogues que ensinam a tratar dos blogues (como escrever, widgets, monetização, códigos html, internet em geral, etc.). São muito úteis, se não ligarmos àquela coisa de se ganhar dinheiro com os blogues. Alguns desses blogues são excelentes. Pela simplicidade que demosntram sigo muito os ensinamentos destes dois bloguistas: a e o Adelson. Havendo milhões de blogues em língua portuguesa, imagine o sucesso desta especialização.

Em contrapartida, da parte portuguesa existem blogues especializados nas questões sociais e políticas do nosso país. Muitos são influentes no cenário da actualidade.

Quanto ao resto não vejo que haja grandes diferenças, excepto as próprias de um país enorme como o Brasil com uma população de 200 milhões, e as de um país pequeno, como Portugal, com apenas 10 milhões de habitantes. Portanto, há mais quantidade de blogues brasileiros que portugueses.

Só me falta mesmo dizer que em ambos os países há de tudo: blogues muito bons, outros assim-assim e outros francamente maus. Como em todas as áreas da vida.

Administrar um blog com postagens constantes - e responder todos os comentários - deve consumir uma fatia considerável do seu tempo. Como lida com isso?

Lido muito bem e faço uma cuidadosa gestão do meu tempo. Este assunto já foi abordado por outros leitores. Se fizer o favor de ler toda a entrevista, verificará que nas Partes 1 e 2 este tema já foi abordado. Quanto a responder a todos os comentários que fazem aqui no 'Cova do Urso', faço muita questão que seja assim. Respeito quem não o faça, mas posso garantir-lhe que nesses blogues, eu comento menos do que naqueles que me respondem no seu próprio blogue. Os comentários neste meu blogue é parte mais preciosa do sítio.


Photobucket


Olá António :)! Bom, eu sou daquelas pessoas que gosta de ler nas linhas e nas entrelinhas... Nas linhas diz que o António é uma pessoa fantástica, adorável, cheia de sabedoria e de talentos (que eu estou em pulgas para conhecer um dia :)!) portanto as minhas perguntas vão ser pela negativa: - Qual considera ser o seu pior defeito? - Qual é aquele talento que lhe falta e que gostaria imenso de ter?

Creio que o meu principal defeito é ser preguiçoso. Se eu puder «não fazer», escolho isso. Quanto ao talento que me falta, gostaria de ter ouvido para a música. Não tenho isso. Também estou interessado em conhecê-la a si.


Photobucket


Quando escreves e publicas textos, qual é o objectivo que queres atingir?

Já expliquei isso mais atrás, já não me lembro a quem. Que os textos sejam lidos e entendidos. O objectivo é divulgar a mensagem. Desde anunciar o teu novo blogue até textos mais profundos. A presunção que tenho é divulgar assuntos de natureza espiritual, auto-ajuda, esotéricos e astrológicos. Como geminiano que sou, por vezes escrevo sobre outros temas (cinema, dicas-net, etc.), o que faz do «Cova do Urso» uma salada, que espero seja gostosa.

Escreves textos que não publicas?

Quando escrevo textos, é sempre com a intenção de publicar. No entanto, acontece que algumas vezes não consigo chegar a bom porto com o que escrevo. Ficam no baú a esperar melhores dias. Tenho uma colecção desses textos que nunca foram publicados. Nem sei se os retomarei, algum dia. Shin Tau, são muitos anos de escrita. Por exemplo, ando há mais de um ano às voltas com um texto sobre o dinheiro cristalino.

Neste momento, o que jamais colocarias no teu blogue? ihhihihihihih

Pergunta difícil, pois não gosto de dizer nunca. A natureza do blogue é vasta, e procuro não me afastar dos assuntos que habitualmente trato. Nem sempre é fácil. Por outro lado, há temas pelos quais não sinto nenhum apelo.


Photobucket


Olá António fico curioso em saber como consegue gerir o seu tempo, na blogosfera, ter ainda um blogue como o Cova do Urso, um site de astrologia e mesmo assim ter tempo para dormir? Fico com a ideia que é preciso ter uma disponibilidade quase a 100 por cento.

Olá Rui, muito agradecido pela questão. Se ler o que respondi ao Guntty, encontra aí a resposta. Não se esqueça de um pormenor simples. Tenho 60 anos, uma vida realizada, não tenho filhos nem netos para tomar conta. Há inúmeras tarefas na editora que já não faço, pois há pessoal para isso. Basicamente, enquanto editor, a minha função é «ler» manuscritos. Ler textos, tal como na blogoesfera. Acordo cedo e trabalho 95% do tempo com computador, tanto em casa como na editora. Não tenho chefes a quem responder. E tudo o que faço é com gosto.

O site de astrologia não dá muito trabalho. Já deu, em 2007, quando o criei e em 2008 para o difundir e captar textos de outros astrólogos. Agora, navega em velocidade cruzeiro. O site possui cerca de 2.000 textos, dos quais uns 1500 são meus. Estão disponíveis, já não me dão trabalho. Deram, agora já não dão. nessa fase não tinha nenhum blogue. No site de astrologia, procuro 2 vezes por semana colocar textos na página de entrada. Como já é um acervo apreciável, tenho campo de manobra e vou colocando uns textos novos (meus ou de outros astrólogos) ou aparecem uns textos que já lá estavam no seu interior. Isto para lhe dizer que o site de astrologia, neste momento, não ocupa tanto assim o meu tempo.

O blogue dá-me mais trabalho, é certo. Mas gosto muito do que faço. É preciso uma grande disponibilidade mas não é a 100%, como disse. Parece, mas não é. Por outro lado, escolho sempre distribuir o meu tempo de forma equitativa

Provavelmente o Rui necessita ocupar os seus tempos livres para frequentar a internet (sites, blogues, fóruns, etc.). Eu tenho a sorte de o poder fazer durante todo o dia, pois trabalho por conta própria e sempre agarrado a um computador com internet.

Photobucket


Estive cá a pensar que és uma pessoa que mantém este blog sempre a bombar, não paras nunca, tirando um dia ou outro... A pergunta: Além deste blog ser um imenso prazer para ti, também já o sentiste como uma obrigação, ou um dever dada a grande audiência que sabes ter? Nunca te apeteceu parar? Se te apetecesse paravas? Ou sentes-te de alguma forma pressionado e mesmo que não te apeteça continuas a blogar diariamente?

Olá Patrícia. Gostei muito das tuas perguntas. Mais atrás já expliquei várias situações sobre a minha atitude com este blogue. Visto de fora, pode parecer isso que afirmas, que não paro nunca. Quando me dedicava apenas à astrologia, havia um sentido de compulsão em relação ao 'Cova do Urso'. Não sentia como obrigação, mas uma pulsão. Era como se fosse uma missão que estava metida na cabeça e não pudesse desviar-me. Aos poucos, mas só este ano, é que parei para pensar melhor. E fiz uma análise profunda ao mundo astrológico da blogoesfera. Fruto dessa análise, decidi abrandar com a área astrológica aqui no blogue. Se reparares, aconteceu o mesmo à Escola de Astrologia Nova-Lis. De posts diários, o site passou para 1 ou 2 semanais. Aqui no blogue não foi tão notório, porque comecei a postar outros temas, um pouco como fazes no teu espaço. Os leitores estão bem servidos de astrologia. Basta irem aos marcadores. E vão.

No entanto, tenho consciência profunda que só à minha conta (no site e no blogue) , os leitores em língua portuguesa têm, gratuitamente, entre 1.500 e 2.000 textos. São mais do que suficientes para quem quiser aprender e ouso dizer, aprofundar os seus conhecimentos astrológicos. Isto dá-me tranquilidade, pois em minha opinião (falível, claro), existem 4 ou 5 excelentes blogues em português, exclusivamente dedicados à astrologia, que eu leio com a maior atenção sempre que sai um post novo. Estão todos na lista de linques de astrologia aqui do blogue.
Isso não significa que não escreva sobre astrologia. Mas só quando me apetece ou entenda útil para explicar certas coisas.

Respondendo-te, não me sinto obrigado à tal audiência que falas, porque tenho a noção (sem modéstia) que as audiências deste blogue não são essas coisas que se imaginam. São interessantes, mas nada de especial. Para veres o quão relativo é isto das audiências, apresento-te 2 blogues com mais de 5.000 visitas diárias: «A Pipoca Mais Doce» e «Usuário Compulsivo». O que me agrada mesmo muito, é a quantidade de comentários que existem aqui no blogue. Isto dos comentários é um privilégio. A tertúlia, as ideias, as contra-ideias, o convívio. Isso é muito bom. Vamos alegremente a caminho dos 10.000 comentários. Isso, agrada-me muito. É o blogue a realizar-se.

Se já me apeteceu parar? Abrandar, sim. Parar, ainda não. Não te esqueças que já tenho a experiência de outros blogues anteriores e já passei por isso. Tens reparado que tenho recuperado posts mais antigos? Ou assinalado a existência deles? Não tenho a presunção que os novos leitores vão ver os posts antigos. Um ou outro poderá ter essa curiosidade, mas rapidamente se cansará. Para eu parar de postar, teria que haver uma razão, o que ainda não aconteceu. No passado, já demonstrei que consegui parar e até apagar blogues inteiros. Não o voltarei a fazer. Poderei, eventualmente, dar por terminada a missão do blogue. Mas até ao momento, só me tem dado alegrias e muito prazer.

Já notei que uma vez ou outra passou pela minha cabeça o pensamento que «não» tinha postado nesse dia. No entanto, para isso acontecer, eu teria que esgotar os muitos «rascunhos» que tenho no blogue. E os muitos que tenho no meu blog-teste. E os muitos textos que tenho guardados e que rapidamente se transformariam em posts para o blogue. Se eu quisesse entrar por uma certa linha de citar outros autores, imagina o fácil que seria para mim, devido aos inúmeros livros publicados. Por aí fora. Tenciono continuar a postar com regularidade. =)

Photobucket


O que é que sente, quando tantos blogues o referenciam como um dos blogues mais queridos e estimados da blogoesfera?


Astrid, essa pergunta é complicada de responder. Sabe a resposta, porque o mesmo se passa consigo. É muito querida e estimada na blogoesfera. Gosto de pensar que somos (o blogue e eu) estimados como afirmou. Gosto de pensar que nos referenciam porque aquilo que há para dizer no blogue (e que tem sido dito) cala fundo nas pessoas, que por sua vez, ao serem bem recebidas, e bem tratadas, sentem-se à vontade para interagirem com imensa energia positiva. É um processo de doação mútua.

Recebo esse respeito, porque o pratico com os outros. Isso dá-me conforto. Dá-me ânimo para continuar. Sinto-me sempre agradecido por ter amigos e amigas que gostam de passar por aqui e partilhar connosco o seu tempo, carinho e atenção. Respondendo à sua pergunta, sobre o que «sinto» disto tudo, só posso dizer que isso me alegra muito, me deixa feliz e grato. Mas não é coisa que se pense. Flui naturalmente. É a minha Lua em Sagitário a cumprir-se. =)

Murilo

Murilo Hildebrand de Abreu,

Perguntas do Questionário de Proust.

Qual é sua maior qualidade? Duas: lealdade e sentido de humor.

E seu maior defeito? Preguiça.

A coisa mais importante em um homem? O Amor chamado Integridade.

E em uma mulher? O mesmo que para o homem.

O que você mais aprecia nos seus amigos? O Amor chamado Amizade.

Sua atividade favorita é... Comunicar.

Qual é sua idéia de felicidade? Viver cada momento que passa.

E o que seria a maior das tragédias? Perder um filho. Atraio muito essas situações nas minhas consultas de astrologia.

Quem você gostaria de ser, se não fosse você mesmo? Às vezes, um urso; outras vezes, um poeta.

E onde gostaria de viver? Ushuaia.

E os poetas de que mais gosta?
Tantos: José Luís Borges, Drumond de Andrade, Reinaldo Ferreira... (tantos mais). Também aprecio a sua poesia.

Quem são seus heróis de ficção? Mr. Ripley, Tom Ripley (de Patricia Highsmith).

E as heroínas? Mrs. Dalloway (de Virgínia Woolf).

E os artistas que você mais curte? Muitos, sobretudo da música brasileira e vários portugueses.

Quem são suas heroínas na vida real? As varredoras de ruas.

E quem são seus heróis? Os maratonistas (não lhe disse acima que eu era preguiçoso?)

Quais são os personagens históricos que você mais despreza? Aqueles que entregaram Portugal aos espanhóis.

Agora, já, como você está se sentindo? Cansado. Por isso, cortei algumas perguntas. :)

Photobucket


O que significa o nome "Cova do Urso"? Ou... porquê "Urso"?

O Urso, para além de ser o meu animal xamânico, foi um nome que me foi dado por uma grande amiga, em 1981. É um nome recorrente na minha vida. O 'Cova do Urso' advém daí. É a minha cova, o meu espaço. Só meses depois de ter dado esse nome ao blogue é que percebi, na prática do dia-a-dia, que é um nome invulgar para um espaço na internet, sobretudo, tratando do que trato. O nome chamou muito a atenção. Muitas pessoas fixaram o blogue só por causa do nome. Tornou-se numa mais valia para o reconhecimento do que faço. Aprecio nomes irreverentes e que marquem. Além disso, acho piada quando muitas pessoas se surpreendem com o conteúdo do blogue, pois o nome não encaminha para os temas que aqui trato. Isso, é muito engraçado.

Do que precisa para se sentir seguro e protegido?

Que aquilo que tenho para dizer seja respeitado e, se puder ser apreciado, melhor. Lua em Sagitário. O facto dessa Lua estar na Casa 8 leva-me a tratar dos assuntos que cuido: espiritualidade, esoterismo, astrologia, metafísica. Às vezes exagero muito.

O que é, para si, a felicidade?

Ir fazendo o meu caminho no dia-a-dia. Ainda hoje tive um momento alto de felicidade, na editora, com a rapaziada (no sentido de jovens) que lá trabalham. Foi um momento em que me diverti a valer e isso deixou-me feliz. Simplesmente, rir. Foi muito bom.

Já viu, Hazel, o que conseguiu com a sua proposta de me entrevistarem? lol

susana-belo

Qual acredita ser o propósito da sua vida?

Espero já estar a cumpri-lo, desde há vários anos: passar a mensagem dos temas com os quais me identifico especialmente: espiritualidade, astrologia, esoterismo e metafísica. Por isso, escolhi ter vindo muito antes da maioria das pessoas que frequentam este blogue, para lhes facilitar a vida, usando as «palavras» como forma de dar entendimento à consciência de quem se aproxima - quer como editor de livros esotéricos e espirituais, quer fazendo o que faço em nome próprio.

Se pudesse escolher apenas um momento já vivido para "emoldurar" na "parede das memórias", que momento especial seria esse?

Foram tantos, Susana, pois a minha vida já é longa. Mas talvez possa destacar um momento especial ocorrido há muitos anos: quando me apercebi, pela primeira vez de uma voz dentro da minha cabeça e soube que não era "eu", o que está a neste momento a responder-lhe.

Quem É o António?

Muito difícil de responder. Por ainda estar a conhecer-me. Por isso, sou um estudante de astrologia. Para saber coisas de mim mesmo, até porque durante muitos anos o 'António' foi uma criatura bastante patética. Ultimamente, este estudo de mim mesmo anda a sufocar-me e tenho andado a simplificar. Estou aqui a enrolar a resposta, apenas porque me custa dizer-lhe isto: sou, em simultâneo, um facilitador e um agitador de consciências. É uma síntese suave. 'Facilitador', no sentido de publicar livros, sites de astrologia, espiritualidade, orações. 'Agitador', no sentido de fazer atendimentos de astrologia e propor no blogue temas que têm servido para reflectirmos sobre diversas questões. Não sei se tenho desempenhado bem a minha tarefa nesta reencarnação. Sinto que sou um simples um zelador do Sagrado, do Divino. Ainda me vou arrepender de lhe ter respondido tão francamente.

VooLivre
Este amigo não tem blogue

Qual o maior erro que vc já cometeu na blogsfera?

Avisar com 3 semanas de antecedência do dia e hora em que encerraria um blogue que já tive chamado «Postais da Novalis».

Como foi o processo de descoberta do seu animal xamanico(que acabou virando sua imagem virtual) ?

VooLivre, prefiro manter esse assunto em reserva, pois durou muitos anos, com profundas inquietações pelo meio.

Quais o limites da Astrologia? Onde ela deve parar?

Quando termina o bom senso e o praticante da astrologia consegue aperceber-se disso. Inovar e evoluir em astrologia não significa ‘inventar’, mas sim investigar, aplicar e comprovar. Muitas vezes. Investigar, aplicar e comprovar. Para isso são necessários vários anos de dedicação.

Como na sua opinião a Astrologia influência nossas vidas? E em que escala ocorre essa influência?

A astrologia não influencia as nossas vidas. Nem sequer os astros influenciam. Porque a astrologia simplesmente ‘narra’ possibilidades de acontecimentos dos mapas natais.

O ser humano faz o resto – experimenta as situações. Arquétipos é o que todo o ser humano transporta na sua psique mais profunda.

O que é “Astrologia Cármica” pro Antonio Rosa?

VooLivre, este tema é tão extenso que prefiro deixar para um post próprio e autónomo.

Qual o papel da Astrologia nessa nova era?

Não faço ideia. Estou convicto que enquanto existir humanidade na terceira dimensão (onde comprovadamente funciona), a astrologia estará presente. Suponho que evoluirá, tal como a humanidade também tem evoluído. A astrologia já dispõe de inúmeras ferramentas de análise. Algumas mais irão aparecer. A sua geração já se encarregará de aprofundar estas questões novas.

O que é “espitualidade” pra vc? Quem são os deuses pra vc?

Espiritualidade, para mim, é viver aqui e agora na impermanência, fazendo o que tenho que fazer, sempre de coração aberto. Espiritualidade, para mim, é ter fé em Deus (ou o nome que você quiser usar)

Quanto aos deuses, não sei a quem se está a referir. Não os tenho.


Joana
Esta amiga não tem blogue.

Nunca se zangou com a astrologia ?

:))) Sim, muitas vezes.

Até que ponto acha (ou não) que as ‘formas-pensamento’ criadas a partir da interpretação astrológica podem influenciar (e moldar) o modo como todos vivemos?

Moldam sempre. Influenciam sempre. Se eu estiver a 'ver' uma coisa com medo, já se sabe o que pode acontecer. O oposto também é verdade. 'Saber demais' nem sempre é positivo, excepto se tentarmos estar mais preparados para os eventos que ocorrem na nossa vida e que foram moldados pelas nossas forma-pensamento.

Como se pode atravessar esse ‘plano mental astrológico’?

Com positivismo e alegria de viver, conscientes que tudo é uma experiência a ser vivida.


Luma


Um questionamento: percebe que quando há sugestões que nós acatamos, na prática aqueles que sugeriram não acatam aquilo que os mesmos sugeriram? Ficou confuso, mas é isso!

Luma, não ficou confuso. Percebi perfeitamente. Isso faz parte da natureza humana. Lembrei-me agora daquela frase de Jesus, mais ou menos assim: «faz o que eu digo e não aquilo que eu faço». É mesmo assim. Faz parte. Porque, quando as pessoas apresentam sugestões para os outros seguirem, estão a ver o seu reflexo no espelho, pois é isso mesmo que elas necessitam aprender. Acontece que, muitas vezes, não se enxergam.

Leia mais, aqui:



Entrevista-me - Parte 2

Photobucket
Parte 2 da entrevista a António Rosa feita por vários amigos. Tudo começou, como se explica aqui. Esta entrevista foi publicada no dia 22 Julho 2009 e está dividida em 3 partes: Parte 1 - Parte 2 - Parte 3. Estes postes foram guardados em datas mais antigas, por uma questão de organização interna do blogue.

Pode clicar nos nomes a vermelho para conhecer os blogues.

Photobucket


O que é o mundo virtual?

Adriana, não sei porquê, mas não conheço mais ninguém que fizesse essa pergunta, que é oportuna [risos]. Sinceramente, não sei muito bem o que é o mundo virtual. Em termos técnicos, nem a entendo. Se eu nem consigo entender bem o funcionamento dos telemóveis, quanto mais da internet! Limito-me a 'operar' sem ter consciência do que é. Mas posso dizer-lhe como eu 'vejo' o mundo virtual. Para mim, não há mundo 'real', nem mundo 'virtual', no sentido de os vermos como coisas separadas. Assim como não consigo separar a água, o fogo, a terra e o ar. São diferentes matizes da nossa experiência.

O chamado mundo virtual funciona no éter, a dois passos de dimensões superiores. O mundo real e o mundo virtual pertencem ambos à esfera da gravidade. Fora da gravidade não existe mundo virtual. Isto leva-me a concluir que são formas onde nos podemos expressar. No mundo real falo com a família, amigos, clientes, vizinhos, vou à pastelaria e converso com as pessoas. No mundo virtual, faço mesmo, mas de outra maneira, sem a proximidade física dos outros. De resto, usamos os mesmos meios que no mundo real: a fala, a audição, a visão. É tudo muito físico. A nossa cabecinha é que 'acha' que não. Que são coisas diferentes.

Há 10 ou 20 anos nem sonhávamos que nos pudéssemos contactar no éter. O mais próximo disso eram os telefones fixos. Agora, o mundo abre-se de 1000 maneiras diferentes de comunicarmos, convivermos, interagirmos, amarmos e sermos mais felizes. Basta pensarmos nos blogues. Há 3 anos (2006) quase que só podíamos colocar texto e imagens. Hoje, podemos interagir de muitas maneiras.

É a Era de Aquário a começar a expressar-se. E muito virá.


Photobucket


Qual a tua relação com esse mundo virtual, dos blogues, quando não estás escrevendo neles. Pensas neles, programas teus textos ou vais deixando fluir...?

Olá Chica, muito obrigado por deixar esta questão. A minha relação com o mundo virtual é de adesão. Confesso que, em termos virtuais considero-me um 'net addict'. Quanto aos blogues, sou mais de deixar fluir e ir postando o que me vai surgindo. No entanto, tenho sempre uns quantos posts em rascunho, preparados para serem publicados, que uso quando não me apetece escrever. Faço uma programação mínima. Por exemplo, esta super entrevista teve que ser programada. Demorei 5 dias a responder a todos, com intervalo para outras coisas, claro. Deixei passar vários dias sem reler nada e, quando o fiz, cortei, cortei e cortei nas minhas respostas, conseguindo reduzi-las para metade. Mesmo assim, tive que fazer 3 posts.

Admiro muito as pessoas que têm mais do que um blogue para cuidar. Eu não conseguiria, pois ficaria apreensivo. Se cuido do meu cão e dos meus dois gatos e de mim próprio, também devo cuidar do meu blogue, pois é a minha «forma-pensamento» no éter. Acharmos que é apenas um 'blog' e, portanto, sem importância, não é bom, porque é onde plasmamos a nossa forma-pensamento, que por si é co-criadora e responsável por parte da nossa vida. Logo, tem uma importância grande. Se ler a «Parte 1» da entrevista, saberá que eu não cuido apenas do blogue, pois tenho outros sites



Photobucket


O que te comove?

Cris, gosto muito desta tua fotografia. És uma mulher muito bonita. O que me comove? Tenho a minha Vénus em Câncer. Comovo-me com muitas e muitas coisas. Adoro ver filmes mais antigos em casa e, por vezes, fico tão impactado com certas histórias que chego a chorar. Muitos dos teus poemas e as tuas histórias comovem-me. Por isso, gosto tanto de te ler. Aliás, a minha amiga Patrícia Azenha, que já definiu o meu temperamento, em termos astrológicos, diz com muita razão, que eu sou um chorão. Porque me comovo. Mas também tenho Úrano conjunto a essa Vénus, o que quer dizer que depressa limpo as lágrimas e as emoções e sigo em frente. Muito obrigado por me teres dado a oportunidade de falar de mim como um ser humano comum. Beijo.


Photobucket

Guntty, do «Viver ao Sabor do Vento»

Uma pergunta para detectar o nivel de blogger addicted ... eheh - Quantas horas por dia passa a blogar? (blogar não só a escrever posts, como a prepará-los e todo o trabalho de networking relacionado com blogs, visitar, etc) Não precisa de ser nada muito certo, basta um numero por alto. =))

Yes, I'm a blogger addict. Como já expliquei, parte da minha rotina de trabalho é estar na net, a cuidar dos sites e do blogue. Como me conheces, sabes bem que tenho 60 anos e não tenho que cuidar de filhos ou netos. Tenho quem cuide da minha alimentação. A minha maior atenção em casa vai para os animais (1 cão e 2 gatos). Uso muito o micro-ondas para aquecer o meu jantar. Há inúmeras tarefas na editora que já não faço, pois há pessoal para isso. Basicamente, enquanto editor, a minha função é «ler» manuscritos. Ler textos, tal como na blogoesfera. Há 20 anos que faço edição em computador e isso deu-me muito treino para a internet. Praticamente já não sei escrever à mão, pois à excepção de uns apontamentos em reuniões, o que escrevo e leio é basicamente em computador. Na net ou fora dela.

Tudo isto, para te dizer que não sei contabilizar as horas consumidas, enquanto blogger addict, pois tudo se mistura, no sentido de tudo isso ser a minha actividade profissional. Mas são muitas horas por semana. Por outro lado, em muitos anos de vida e de escrita, acumulei muitos textos que me servem para postar no meu blogue, fazendo adaptações.

Levanto-me muito cedo e, contrariamente à maioria das pessoas, é raro eu andar na net pela noite dentro. Entre as 20 e as 21 desligo o computador e descanso, tenho sempre um livro em leitura, vejo filmes, saio e «penso».


Photobucket

Marise Catrine, do «Momentos Recortados»

Qual o principal objectivo quando surgiu a ideia de criar este blog?

Este blogue passou por duas fases. Em 22 de Novembro de 2007, o fórum do site da «Escola de Astrologia Nova-Lis» começou a dar erro técnico ao receber as imagens de mapas astrológicos. Por isso abri o 'Cova do Urso' - só para colocar os mapas das pessoas que andavam no fórum. Em fins de Dezembro 2007 solucionou-se o tal problema técnico, mas vai-se lá saber porquê, nunca apaguei este blogue, que ficou inactivo apenas com alguns mapas astrais.

Nessa altura, o site da Escola de Astrologia Nova-Lis entrou em velocidade cruzeiro e não necessitava da minha atenção diária. Então, lembrei-me do 'Cova do Urso' e apeteceu-me criar um projecto só meu, menos institucional. Inicialmente a ideia era publicar apenas astrologia, mas a 'coisa' foi evoluindo para outros caminhos. A 14 de Fevereiro de 2008 recomecei a blogar no 'Cova do Urso' e estive uns tempos sem ninguém saber de nada, excepto 2 pessoas que me descobriram. Aos poucos, foram chegando pessoas e eu comecei a visitar outros blogues. Estava a retomar o gosto de blogar. Hoje é uma actividade que me dá imenso prazer, além de ter a sorte de se ter criado uma rede de amigos e convivência com quem interajo.

Aqui no blogue, durante meses mantive-me sempre na onda da astrologia, como pode ser confirmado pelo arquivo. No entanto, comecei a ficar sufocado e a querer fazer outros posts, com outros assuntos, outra interacção. Isso deu-se na primeira metade de 2009. É nessa fase que me encontro.

Eu vejo-te como uma alma inspirada, conhecedora, tranquila e feliz. Como se atinge essa "abertura" para com o mundo que nos rodeia?

Não me vejo assim, Marise. Vejo-me como uma pessoa que já viveu 60 anos intensos e foi-se dando uma acumulação da experiência da vida e, por natureza própria, sou um optimista incorrigível, além de me interessar por temas metafísicos, espirituais e de auto-ajuda, além da astrologia, claro. Creio que isto tudo entrou num caldeirão e resultou na pessoa que sou hoje.

Deixa-me dizer-te Marise, que são os teus olhos que me enxergam assim. Muito obrigado. Beijo.


Photobucket

Marisa Shiroto, do «Isa Grou»

Para você, o que significa "a arte de blogar" nos dias de hoje? Ou diga para nós como você define e expressão: "A arte de blogar".

Querida Isa, a 'arte de bogar' para mim, é aquilo que eu faço: publicar textos que considero úteis e que eu próprio gosto, devidamente ilustrados (com o meu gosto pessoal), disponibilizar os comentários, visitar os outros e, sobretudo, lincar. Lincar muito.

Lincar significa dar a voz ao outro. Costumo dizer que a 'arte de blogar é a arte de lincar'. É uma escola de pensamento, como outra qualquer. Lincar é a arte de sermos generosos, de reconhecermos a qualidade do outro, de nos revermos, de amarmos. Lincar é citar. Lincar é estar com todos, é viver o colectivo. Lincar é dizer ao outro que o/a amo.

Lincar atrai linques dos outros, atrai a sua generosidade, o amor dos outros. O «Cova do Urso» é hoje relativamente conhecido porque linca muito. Esta entrevista também é um exemplo disto que digo: todas as pessoas que fizeram as perguntas e que tenham blogue, aproveitei a oportunidade para fazer o linque. É por isso que em todas as entrevistas que faço, tenho sempre aquela pergunta 'quais os blogues que mais aprecia e o que aprendeu com eles'. É uma enorme oportunidade para lincar, em nome dos meus entrevistados. Um exemplo da arte de lincar, pode ser lido neste post da Luma.

A minha lista de blogue «Comunidade» é um exemplo do que falo: são dezenas de blogues lincados. Se gosto de um blogue, linco-o ao «Cova do Urso». Não estou nem aí se eles me lincam. Também tem acontecido o oposto: descobrir blogues que não conhecia e verificar que há um linque para este blogue. Neste caso, linco-o, também e, informo que o fiz. É uma comunidade que, de alguma maneira, vai criando um Anel do Coração no mundo virtual e real.

Sei que os linques tornam um blogue mais lento, demorando a fazer o download, podendo fazer com que potenciais leitores se afastem, por acharem que perdem tempo, estando à espera que o blogue apareça na sua totalidade. Paciência, nada posso fazer para agradar a essas pessoas.

Leia mais, aqui:


Entrevista-me - Parte 1

Photobucket
Parte 1 da entrevista a António Rosa feita por vários amigos. Tudo começou, como se explica aqui. Esta entrevista foi publicada no dia 22 Julho 2009 e está dividida em 3 partes: Parte 1 - Parte 2 - Parte 3. Estes postes foram guardados em datas mais antigas, por uma questão de organização interna do blogue.

Pode clicar nos nomes a vermelho para conhecer os blogues.

Photobucket

Marcelo Dalla, do «Dalla Blog»

Eu tenho uma pergunta: a mesma que faz a todos que entrevista. Como começou a idéia de criar um blog? Conte um pouco da sua história.

Marcelo, fui bem apanhado. Conheci a blogoesfera em 2000, mas era quase toda em língua inglesa e eu estava nessa altura (2000 a 2003) a criar os fundamentos da minha editora e não dispunha de tempo para quase nada. Quando começaram a surgir os primeiros blogues em língua portuguesa, em 2003, interessei-me ainda mais e comecei a acompanhar mais de perto, mas só em 2005 é que me atrevi a entrar na blogoesfera.

Desde 2003 que tenho estado envolvido na criação de projectos para a internet. Sites e blogues. A diferença entre ambos os modelos é a interacção dos leitores. Nos blogues podemos deixar comentários e no sites, não. Você e eu somos uns felizardos, pois temos sempre amigos e leitores que comentam nos nossos blogues. Posso garantir-lhe que a maioria dos blogues, em qualquer idioma, ou não recebem comentários ou são escassos.

Para que tenha uma ideia sobre a minha actividade na internet desde 2003, criei estes projectos: já vamos no segundo site da editora «Anjo Dourado» (que antes era conhecido por «Livros Novalis», uma marca nossa). Os sites «Nave Lusitânia» (com textos espirituais de vários autores), «Orações de Sempre» e um site de textos que já não existe. Também criei um site exclusivo para os meus cursos presenciais de astrologia. O material desse site foi posteriormente usado no nosso site «Escola de Astrologia Nova-Lis».

Aproveitei a noite de Natal de 2005 para criar o meu 1º blogue, o «Postais da Novalis». O nome derivava da marca da minha editora: 'Livros Novalis'. Entendi que era uma continuação do que eu fazia no meu dia-a-dia. Esse blogue funcionou como uma plataforma atractora, pois quase que não havia blogues em português a falarem de assuntos que hoje em dia são normalíssimos. Havia todo o género de blogues, mas não os de natureza espiritual-esotérico-astrológico-metafísico. Havia a Astrid e a Onda Encantadam que começou em 2005. Foi um blogue bem sucedido.

Ao começar a fazer postes de astrologia no «Postais da Novalis» percebi que havia leitores específicos para este tema e que não se juntavam aos leitores dos restantes temas. Tal com ainda hoje acontece. Uma pessoa interessada em astrologia não significa que se interesse por espiritualidade. O contrário, também.
Não quer dizer que não haja leitores comuns. Em 2006 criei um blogue secundário, que funcionava inicialmente na esfera do «Postais da Novalis», a que dei o nome de «Astrologia para Todos», mas depressa se emancipou e veio a integrar o site «Escola de Astrologia Nova-Lis». Há pessoas que conhecem este percurso: a Astrid, a Lucy, a Pitanga, a Onda Encantada, a Magda, e a Clotilde. E outras pessoas.

Quanto a visitantes desses blogues havia um abismo a separá-los. O «Postais da Novalis» tinha imensos visitantes 'reais' diários, enquanto que o «Astrologia para Todos» tinha sobretudo, visitantes vindos de pesquisas feitas no Google. Ou seja, os 'reais', eram aquelas pessoas que tinham marcado o «Postais» nos seus favoritos ou lincado nos seus blogues e vinham visitar especificamente o que se escrevia e comentava, havendo amenas cavaqueiras, como hoje há no «Cova do Urso».

Entre Novembro e Dezembro de 2006 comecei a pensar em criar um site de astrologia, com o material que tinha no «Astrologia para Todos» e no tal antigo site exclusivo para os meus alunos. Essa ideia ia tornando-se cada vez mais premente. Por isso tomei a decisão de encerrar o «Postais da Novalis» e anunciei o seu apagamento com antecedência, com dia e hora marcada - para 5 Fevereiro 2007. Nunca mais voltarei a fazer isso. Nem apagarei, nem anunciarei o fim de nenhum blogue. Recomendo que se faça apenas isto: um último post a 'encerrar' a actividade, fechando também a zona de comentários. Para que as 'energias' não negativizem. Para que não se torne num 'filho' abandonado.

Criei o site da «Escola de Astrologia Nova-Lis» e quando já estava em velocidade cruzeiro, na minha condição de 'blogger addicted' retomei a actividade com o «Cova do Urso» em Novembro de 2007. Entretanto, já em 2008, criei o segundo template da Escola.

No 1º post deste blogue e no botão no topo 'Sobre mim' podem ser lidas mais situações sobre a minha relação com a blogoesfera e a internet em geral.


Photobucket

Qual o teu objectivo principal em "blogares", o que pretendes com o blogue?

Sempre foi o mesmo, Paula, quer nos sites quer nos blogues. A única diferença entre sites e blogues é haver ou não a interacção dos leitores, deixando comentários. Hoje em dia, muitos sites permitem isso. Respondendo ao que perguntas: pretendo sempre o mesmo, disponibilizar textos nas áreas em que me movimento e que facilitem a vida das pessoas nas suas crenças e práticas espirituais. Apenas isso. Quer nos sites, nos blogues, na editora, nos cursos de astrologia, nas palestras, etc. Sempre e apenas isso. Mensagens para um maior nível de consciência. Mensagens que se enquadrem no processo evolutivo de cada um. Eu limito-me apenas a ser o mensageiro.

Photobucket

Ana Cristina, do «Astrologicamente»

Pensa que o blogue (moda) está em ascensão ou ao contrário? Como vê o futuro da actividade bloguista? Considera todos os seus muitos seguidores :-) como seguidores fieis?

Ana Cristina, creio que a blogoesfera em geral está em ascensão. Obviamente, que haverá sempre pessoas que criarão os seus blogues por pensarem que a 'coisa' está na moda. No entanto, estas pessoas, passado pouco tempo, desistem e abandonam os seus blogues. Deixo um aqui um exemplo de um blogue com uma vida muito curta (1 mês) e aparentemente criado por ser moda, sem nenhum propósito especial. :) Haverá sempre quem o faça por 'moda', mas a tendência é serem abandonados.

O processo bloguístico está em franca ascensão. Isso não significa que, em todo o mundo, inúmeros blogues não se fiquem pelo caminho. Como sempre, os blogues que tiverem qualidade e um propósito, permanecerão. Os que ficam é porque tinham algo a passar aos leitores.

Como sabe, aquilo que hoje chamamos de blog surgiu em 1997, e era muito complicado operar. O primeiro blog de Portugal foi criado em 1999. Entretanto, uma empresa americana [Pyra Labs] criou a plataforma 'blogsopt', mais tarde conhecida como Blogger. No ano 2000, já era um fenómeno que atingia os mais inovadores na internet, havendo milhares de blogues em todo o mundo. O Google, em 2003, ao adquirir o Blogger, elevou a fasquia. Hoje existem milhões de blogues. Conheço alguns blogues em língua portuguesa, que ainda existem e que foram criados em 2003.

Quanto à sua pergunta sobre o futuro da actividade bloguista, vejo que se vai consolidar cada vez mais. Cada vez mais sofisticados e com muita flexibilidade de funcionamento. Muitos blogues já são considerados de referência nas suas áreas. O seu, por exemplo, já é uma referência na área da astrologia. Parabéns. A importância dos blogues já acontece hoje, veja-se a disputa entre imprensa e blogues. Veja-se também a televisão [o media que anda sempre a reboque dos outros, pois tem que agradar a massas muito numerosas] que já tem como comentadores, alguns dos bloguistas de sucesso em Portugal. O mesmo se passa em outros países. Portanto, a blogoesfera tornou-se num social media de natureza horizontal - apreciamos e podemos comentar. São parte dos novos relacionamentos. Os social media funcionam por identificação. Eu identifico-me com o seu blogue e vou lá ler e aprender. É uma referência pessoal.

Sobre os seguidores fiéis, está a referir-se àquele widget do Google onde aparecem os avatares dos seguidores? [risos] Não são nada fiéis. Nem têm que o ser. Não considero isso como forma de fidelizar leitores. Não passam de formas interessantes de interactividade. No entanto, tenho conhecido blogues muito interessantes, usando os 'seguidores' dos outros e muitos dos que aportam, também. Já reparou que no meu perfil não aparece nenhuma lista de blogues que eu sigo? Muito obrigado pelas suas perguntas, pois são temas que me interessam. Sabe como é: Gémeos com Ascendente Aquário.


Photobucket

Se deixasse de escrever no seu blog achava que iria fazer muita diferença na sua vida? Por favor, diga porquê.

Sim, faria muita diferença. No entanto, como a Adelaide sabe, conseguimos adaptar-nos a todas as circunstâncias, pelo que acabaria por fazer outras tarefas. trabalhar com a internet (sites e blogue) é uma das minhas actividades principais, hoje em dia, por ser uma parte da minha tarefa diária. Mais atrás desenvolvo vários assuntos que se encaixam nesta resposta. Para mim, este blogue é uma de várias ferramentas que utilizo para passar uma mensagem.

Photobucket



Quando era pequenino, qual era o seu grande sonho?

Ser pescador. :) Eu vivia numa ilha muito pequena e o horizonte era o mar e os pescadores. Imagem aqui.


Photobucket


Olha, tenho muita curiosidade em saber como eram as tuas brincadeiras de menino, pode ser? Ando cá numa de nostalgia e sabem-me bem as histórias de infância dos meus amigos.

Eram as brincadeiras próprias dos anos 50: sem tv, jogos de computador ou telemóvel e as coisas modernas que existem desde há uns anos. Eram , sobretudo, brincadeiras na rua e no quintal da casa e também na praia, pois eu vivia na ilha de Moçambique. Foi uma infância prazenteira, sobretudo ao ar livre. Beijo.


Por favor, se quiser, deixe o seu comentário
no post de entrada, clicando aqui.



3 de janeiro de 2008

Divulgação do Cova do Urso

Se você quiser divulgar o 'Cova do Urso' no seu blog/site/fórum, copie o código do botão e informe-me por email - covadourso@gmail.com. Ou então, deixe um comentário e o endereço do seu blogue. Aceitam-se e analisam-se parcerias.





2 de janeiro de 2008

Entrevistas «Anel do Coração» - índice por blogues



Entrevistas «Anel do Coração» índice por blogues:



Entrevistas «Anel do Coração» - índice por autores




Faço minhas, as palavras da Maria Lúcia Campos (aqui):

«A impressão que dá é que conheço vocês melhor do que muitas das pessoas com quem convivo há anos (e põe anos nisso, rsss). Honestidade, abertura, não esconder nem se esconder... ficamos íntimos. É uma coisa de alma, afinidade no sentimento. E daí a aproximação é inevitável, formou-se uma rede, malha... melhor dizendo, um anel. Um anel metafórico que une circularmente os pontos equidistantes de um centro, os raios. E quando de dentro de cada um vem sua verdade própria, todas as cores ficam representadas, todas são válidas. E o anel brilha cada vez mais.»


Entrevistas «Anel do Coração» - por autores:

Adriana Canova - Dimensões Internas - Monólogo Amoroso











1 de janeiro de 2008

Lista de blogues

Caro leitor, se verificar que o seu blogue nesta lista, está mal classificado, ou se notar que está em falta, por ter o 'Cova do Urso' na sua lista e o seu não estar aqui, ou por outro motivo qualquer, não hesite, escreva-me para o email covadourso@gmail.com. Se, simplesmente quiser entrar na lista é só dizer. Se, pelo contrário, quiser sair, também é só dizer.

Neste momento estou a usar um widget que serve para «apanhar» todos os blogues que têm links do 'Cova do Urso'. Esse widget está no final da barra lateral direita e dei-lhe o nome de 'Os que se aproximam'. Tem sido de uma enorme utilidade. Ainda vai ficar mais umas semanas, antes de ser retirado. É assim, que tenho estado a encontrar os blogues para construir a minha nova «Lista de blogues».

Lista de blogues
ainda em construção, pelos motivos indicados acima

Arte / Poesia / Narrativa
Astrologia
Auto-ajuda / Espiritualidade / Terapias / Esoterismo / Tarô
Energia Vital
Engenharia da Ascenção (downloads de André Louro de Almeida)
Era do Entendimento
Ecologia, Ambiente, Clima, Sustentabilidade, Vegetarianismo
Entretenimento (cinema, tv, música, etc.)
Filhos / Crianças
Gastronomia
Generalistas / Pessoais
LGBT
Técnicos

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates